10 filmes antigos de horror para relembrar

Outubro pode ser o mês favorito para aqueles que gostam de coisas horripilantes, então, nada mais justo que eu listar alguns filmes que fazem jus ao mês do horror!

Todos os filmes listados abaixo entram na categoria trash, que nada mais são do que filmes de baixo orçamento. Normalmente entram nessa categoria os filmes mais antigos de horror, pelo simples fato de serem pretensiosos ao extremo dando vida a histórias mirabolantes com baixo custo e praticamente nada de tecnologia. Muitos desses filmes não causam medo em si, mas são os campeões em causar nojo e desconforto, além disso, muitos trazem algumas reflexões e críticas ao ser humano/sociedade. Veja a lista para entender!

O cérebro que não queria morrer (1962, de Josepeh Green)

Um jovem cirurgião, Dr. Bill Cortner, faz experiências secretas em seu laboratório numa casa de campo, com o objetivo de conseguir sucesso no transplante de membros humanos, utilizando um soro especialmente desenvolvido para evitar a rejeição. Quando ocorre um grave acidente de carro que vitimou sua noiva Jan Compton, ele consegue recuperar apenas sua cabeça dos escombros em chamas e decidiu mantê-la viva em seu laboratório, repousando-a numa bandeja com o soro. Agora, o desafio do cientista é encontrar um corpo de uma bela mulher, sem chamar a atenção da polícia, para tentar uma cirurgia de transplante na cabeça da noiva, que por sua vez não aceita a condição monstruosa em que se encontra, adquirindo poderes não previstos, distorcendo a mente, adquirindo raiva e conseguindo se comunicar e se aliar com uma aberração grotesca que está mantida presa no porão, fruto das experiências fracassadas do cirurgião.


O incrível homem que derreteu (1977, de William Sachs)

O coronel Steven West (Alex Rebar) volta de um vôo até Saturno. Hospitalizado, ele descobre que na sua visita ao planeta pegou uma doença desconhecida! Uma infecção que faz sua carne derreter! West foge do hospital e se esconde num bosque próximo para comer. Uma série de crimes horríveis, com cadáveres mutilados, mostra que West se transformou numa coisa perigosa, que precisa comer carne humana para evitar o próprio derretimento. Uma empolgante caçada humana é desencadeada, em busca do astronauta que virou fera.


 O mistério do cesto (1982, de Frank Henenlotter)

Duane (Kevin Van Hentenryck) é um tipo acanhado que chega a New York e se acomoda num pestilento hotel cheio de mendigos e prostitutas. No bolso traz centenas de notas de dólar e, por baixo do braço, carrega um enorme cesto que desperta as atenções. Duane parece um moço ingênuo, mas afinal viajou até a grande cidade com que objetivo?


 A coisa (1985, de Larry Cohen)

Mineradores encontram uma substância gosmenta de cheiro e sabor muito atrativos. A substância é servida como sobremesa pelo mundo todo e vira uma coqueluche. Um espião industrial tenta roubar a fórmula doce, mas descobre algo assustador: o material do qual é feito hospeda um parasita que devora as entranhas de quem o come.


A mosca (1986, de David Cronenberg)

Seth Brundie (Jeff Goldblum) é um cientista excêntrico que trabalha numa nova invenção, uma máquina de teletransporte – a TelePod. Ao seu lado, tem Veronica (Geena Davis), uma jornalista que acompanha seus projetos acreditando ser essa a história do ano. Ao experimentar seu novo invento, Seth não percebe que uma mosca entrou na cabine do teletransporte. O imprevisto faz com que os padrões moleculares do homem e do inseto se misturem e, pouco a pouco, o cientista vai sofrendo terríveis transformações.


Do além (1986, de Stuart Gordon)

Dr. Pretorius (Ted Sorel) e seus colegas estão trabalhando em uma experiência, por meio da estimulação da glândula pineal, querem abrir a mente humana para dimensões superiores. O experimento é bem-sucedido, no entanto, eles são imediatamente atacados por terríveis formas de vida, que aparentemente estão em torno de nós o tempo todo. Quando o Dr. Pretorius é morto por um deles, o Dr. Tillinghast (Jeffrey Combs) sob suspeita pela morte é considerado louco, devido a sua história. Só a psicóloga ambiciosa Dr.ª McMichaels (Barbara Crampton) acredita nele e quer continuar o experimento.

O cérebro (1988, de Ed Hunt)

Numa pequena cidade, o dr. Anthony Blakely apresenta um show de TV altamente influente na vida da população local, que se mantém num estado de hipnotismo contagioso. Na verdade, o médico é apenas um instrumento utilizado por um gigantesco cérebro alienígena, que cresce à medida em que vai se alimentando do corpo e da mente das pessoas.


 A bolha assassina (1988, de Chuck Russell)

Arborville, EUA. Um velho passeia entre os arbustos da periferia quando encontra uma bolha gelatinosa que veio do espaço. Logo a bolha gruda em seu corpo, devorando-o em seguida. Uma amostra dela é levada a um médico, que não consegue identificar sua formação. A bolha cada vez necessita mais de nutrientes, o que faz com que ataque um teatro, um depósito de carnes e enfrente a população da cidade em campo aberto, devorando centenas de pessoas.


Fome animal (1992, de Peter Jackson)

Lionel (Timothy Balme) é um rapaz muito tímido e é totalmente submisso a sua mãe (Elizabeth Moody), até ela ser mordida por uma macaca-rata de Sumatra, que tem uma doença que transforma pessoas em zumbis, assim sua mãe sai matando e comendo animais e pessoas, deixando sua desajeitada vida ainda mais de cabeça pra baixo. Lionel tenta esconder o fato, principalmente da moça por quem está apaixonado, mas a peste acaba se alastrando rapidamente.


 Centopeia humana (2009, de Tom Six)

O internacionalmente respeitado cirurgião de gêmeos siameses Dr. Josef Heiter tem uma doentia visão para o futuro da humanidade. Ele quer remover a rótula para que os humanos tenham que andar de 4 e então cirurgicamente costurá-los boca-ao-ânus para formar uma cadeia de centopéia. Quando duas amigas americanas chegam a sua luxuosa mansão procurando por ajuda, seu plano rapidamente se transforma em ação com uma força chocante. Sequestrando uma terceira pessoa, um turista japonês, ele começa seu jogo de tecidos humanos, removendo dentes e nádegas e moldando-as para criar sua tripla criatura.


Espero que a lista tenha lhe causado arrepios! Divirtam-se… Muhaha.

Apaixonada por livros desde que me entendo por gente, me infiltrei aqui no Resenhando Sonhos para poder falar dessa paixão desenfreadamente (sem ser julgada).