172 Horas na Lua – Johan Harstad

172 Horas na Lua é do autor norueguês Johan Harstad e é lançamento de 2015 da Editora Novo Conceito.

Sobre o livro

Já fazem mais de 40 anos desde que o homem pisou na Lua pela última vez e desde então todas as missões fracassaram e perderam o investimento financeiro. Para tentar reverter essa situação, em 2017 a Nasa anuncia uma nova missão e um sorteio para chamar a atenção de patrocinadores. Eles irão levar três adolescentes entre 14 e 18 anos de qualquer parte do mundo para passarem, junto com 5 astronautas, 172 horas na Lua.

172h1

O que supostamente os espera é a base Darlah 2, instalada remotamente entre missões de 1972 a 1976 e mantida em sigilo pelo governo até agora, quando parte do segredo precisou ser revelado. Alegando para a população geral de que seria apenas uma base de pesquisa e que se fosse revelada anteriormente levantaria suspeitas de uso militar e nuclear, a Nasa conseguiu abafar os questionamento e deu sequência ao sorteio para escolher os três jovens a irem para o espaço.

Mia da Noruega, Midori do Japão e Antoine da França são os escolhidos. Cada um deles tem um motivo para ter se inscrito e querer embarcar nessa viagem, porém, o que todos não sabem, é que as razões reveladas pela Nasa para nortear essa missão não são exatamente toda a verdade e há muitas coisas na superfície da Lua que não podem ser reveladas ou nem mesmo explicadas. E todos eles podem estar embarcando para uma viagem sem volta.


Capa e edição

A capa desse livro é muito intrigante e eu acho ela super bacana. É preciso um pouquinho de observação para logo de cara, pela própria imagem da capa, descobrir que há mais na Lua do que nos foi revelado e que isso pode ser aterrorizante.

Já a parte interna da edição está um capricho, pois ela é cheia de imagens para ilustrar o que está acontecendo e que criam um suspense ainda maior na trama. Desde o cartaz de divulgação para o concurso, ao mapa da base Darlah 2. Os capítulos também são divididos e conhecemos essa história através de diversos narradores, sendo os três adolescentes os principais.

Além da diagramação sempre satisfatória da Novo Conceito, com bom tamanho de fonte e espaçamento, há alguns detalhes também para dar mais “realidade” a história, o que é sempre muito legal.

20150927_1528m03

20150927_15271o4

20150927_1528k36


Minha opinião

Eu tinha ouvido falar coisas boas, porém a nota no Skoob estava meio baixa e por isso não fui esperando nada sensacional, porém a surpresa chegou depois que a leitura acabou e eu já vou explicar porque.

Na primeira metade do livro nós estamos na Terra, conhecendo nossos protagonistas e entendendo os motivos de cada um. Essa parte pode ser lenta e extensa eu fiquei sempre me perguntando quando a coisa ia ficar boa. Até que, na metade do livro, quando eles estão prestes a embarcar na nave a história começa a dar drops do que viria a seguir e parecia que ia seguir por um bom caminho.

172h3

Dai, quando eles embarcam, gente do céu, a coisa começa a ir por água a baixo logo de cara e eu ficava sempre pensando: não né? já? sério? noooossa. E é a partir daqui que cada página carrega uma dose de tensão que é suficiente para que não abandonemos o livro até descobrir que fim isso vai dar. E quando o fim chega, você pensa: pera, é isso? não sei o que pensar.

E sim, eu achei o fim ok e ia por o livro na estante, dar a notinha no Skoob e deixar de lado, o problema foi que eu não consegui parar de pensar na proposta que o livro apresentou e quando me dei por conta estava virada na maluca das teorias da conspiração, desbravando a internet em busca de mais informações que de certa forma fossem “colaborar” com a história ficcional que Johan escreveu.

172h2

20150927_152638

E foi ai que eu percebi que esse não era um livro ok e sim um dos livros mais interessantes que li esse ano, exatamente pelo efeito pós leitura ter sido tão maior que os sentimentos durante a mesma. Aliás, acho que isso nunca tinha acontecido dessa forma pra mim. Eu me emociono durante o momento e não depois. Mas dessa vez eu fiquei em parafusos pensando nas teorias loucas e em como quando se trata da Lua, realmente todos nós não fazemos a menor ideia do que está acontecendo e muito menos do que há lá em cima, quem sabe, esperando -olhando – por nós.

Portanto, fica a dica pra você que gosta de ficção científica e quer ler algo bacana, 172 Horas na Lua é super recomendado e talvez vá despertar em você a mesma paranóia que despertou em mim, pois mesmo já fazendo um tempo que eu li, toda vez que olho pra Lua me pego pensando no que será que tem lá em cima.

172 HORAS NA LUA

Autor: Johan Harstad

Editora: Novo Conceito

Ano de publicação: 2015

O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez.
Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 – um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano.
Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviando mais ninguém à Lua.
Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer…

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.