20 Mil Léguas Submarinas – Jules Verne

20 Mil Léguas Submarinas é um clássico do autor francês Jules Verne, publicado originalmente em 1869 e cuja edição pela editora Zahar data de 2014.

SOBRE O LIVRO

Aronnax é um professor que se vê em meio a um grave acidente marítimo, ele e sua equipe são resgatados e, em seguida, feitos prisioneiros do capitão Nemo e sua tripulação, a bordo do misterioso submarino Náutilus. Excluídos e escondidos do mundo, por iniciativa própria, a tripulação do submarino vive uma vida à parte da que Aronnax e seus companheiros conheciam até então, mesmo sendo ele justamente um professor naturalista.

“- Professor – replicou vivamente o comandante -, não sou o que chama de um homem civilizado! Rompi com a sociedade inteira por razões que só eu tenho o direito de apreciar”.

Arronnax será então confrontado com a realidade de um mundo submarino sobre o qual ele julgava conhecer, mas que, na verdade, se mostra bem mais complexo do que qualquer conhecimento acadêmico que ele tinha até então. Acompanharemos, assim, as aventuras que o professor passa a ter na companhia do capitão Nemo e o modo como cada descoberta mexe com o que ele pensava que sabia sobre aquela parte do mundo e mesmo com o que se sabia à época da publicação desta obra.


MINHA OPINIÃO

Este é um daqueles clássicos complicados pois, apesar de trazer uma história muito interessante e envolvente, possui um ritmo bastante irregular, o qual exige um pouco mais de paciência e atenção do leitor, principalmente por conter, em meio a grandes aventuras, um certo excesso de detalhes sobre espécies de flora e fauna marinha que, mesmo para aqueles que se interessam pelo assunto, fica cansativo e até enfadonho em determinado momento. O leitor se vê, assim, diante de uma leitura que, embora perfeitamente capaz de manter nossa curiosidade pelo que vem a seguir, acaba nos cansando um pouco.

É impossível, porém, não nos apaixonarmos pelo complexo e carismático capitão Nemo! É através da perspectiva do professor Aronnax que vamos, aos poucos, desvendando os segredos desde personagem, que envolvem um forte sentimento de vingança por trás deste ímpeto de deixar a sociedade em que vivia para trás e criar uma nova vida. E este é sem dúvida um dos pontos fortes desta obra: nos apresentar o personagem Nemo em toda a sua complexidade, personagem este que voltará ainda em outra obra de Verne, “A Ilha Misteriosa”, publicada apenas cinco anos depois de “20 Mil Léguas Submarinas”.

“Saberia eu um dia a nação a que pertencia aquele homem estranho, que se vangloriava de não pertencer a nação nenhuma? Quem teria provocado o ódio que ele votara à humanidade, ódio que talvez buscasse vinganças terríveis?”.

Um dos aspectos mais interessantes de Verne escolher contar esta história não propriamente da perspectiva do capitão Nemo, mas, sim, do estudioso Arronax, é justamente o modo como temos acesso ao olhar de um estrangeiro apresentado a este mundo que, até então, apesar de ser um estudioso da área, jamais imaginou existir. Assim, o leitor facilmente se identifica com o protagonista e se sente na sua pele quando ele se vê maravilhado por uma série de criaturas, flora marítima e culturas diferentes que encontrará pelo caminho.

Esta edição, como todas as edições de clássicos feitas pela Zahar, é muito gostosa de ler e tem um projeto editorial impecável, incluindo uma série de ilustrações originais ao longo do texto. Senti um pouco de falta dos comentários, que são apresentados apenas das edições tradicionais, mas não nas edições de bolso, pois quando lemos um clássico há sempre algo que se perde quando não somos especialistas naquele autor ou período histórico.

De todo modo, acredito que, independente da edição escolhida, esta é uma leitura que sabe recompensar a paciência e dedicação do seu leitor. Acredito que os apaixonados por aventura e, em especial, aqueles que se interessam pelos mistérios submersos que ainda aguardam serem desvendados.

20 MIL LÉGUAS SUBMARINAS

Autor: Jules Verne

Editora: Zahar

Ano de publicação: 2014

Em 1866, quando navios de diversas partes do mundo começaram a naufragar e sofrer misteriosas avarias, governantes e homens de ciência mobilizaram-se para identificar, localizar e deter o misterioso monstro marinho responsável por tais ataques. Buscavam algo descrito como “comprido, fusiforme, fosforescente em certas ocasiões, infinitamente maior e mais veloz que uma baleia”.
Mas a missão não correu conforme os planos, e a besta desconhecida destroçou a fragata que fora em sua captura. Lançados ao mar, o professor Aronnax, o fiel Conselho e o exímio arpoador Ned Land foram resgatados e feitos prisioneiros pelo enigmático capitão Nemo, dono, líder e principal habitante do prodigioso submarino Náutilus .
Navegando águas remotas dos oceanos e lançando-se em ousadas caminhadas submarinas, esses homens desbravarão a vida por um ângulo inteiramente novo, descobrindo a exuberância da flora e da fauna marinhas e experimentando emoções conflituosas, numa inesquecível viagem vinte mil léguas sob os mares

Escritora, mestranda em Filosofia, mas, acima de tudo, apaixonada por livros. Carioca com preguiça de praia, gosta mesmo de uma tarde aconchegante na companhia de um livro e uma caneca de chá gigantesca.

  • Camila Rezende

    Olá Maíra,
    Não conhecia o trabalho do autor, mas o nome do livro não me é estranho (não que depois de ler a sinopse eu tenha me lembrado de algo.
    Achei interessante a ideia do autor com relação a estória e mesmo vc citando que é um pouco cansativa por causa dos detalhes, até fiquei com curiosidade pra ler o livro.
    Achei interessante o seu comentário sobre a escolha do autor sobre o narrador do livro.

    • Maíra Protasio

      Já que despertou sua curiosidade, recomendo a leitura! E depois me conta o que achou…

  • Pamela Liu

    Oi Maíra.
    Acho q premissa desse livro bastante interessante, mas acho que eu ficaria um pouco entediada com a leitura.
    Excesso de descrições e de ambientação é algo que torna a leitura bem tediosa e eu acho que eu pularia algumas partes rs Que pena que faltou comentários de rodapé. É algo que ajuda bastante no entendimento da obra.
    Adorei as ilustrações e achei a capa lindíssima.
    Beijos

    • Maíra Protasio

      Sim, acho que é o tipo de livro que pode entendiar se você não estiver muito interessado no conteúdo, porém sugiro conhecer obras com menos foco na descrição do autor, como é o caso de Volta ao mundo em 80 dias, na minha opinião.

  • rudynalvacorreiasoares

    Maíra!
    É a boa ficção transcrita por Verne.
    Quem não leu ainda não pode se transportar para dentro do Nautilus e singrar os mares em buscas de aventuras…
    Embora reconheça que a leitura não flui em todos os momentos, embora goste demais de detalhes.
    Um carnaval de alegria e moderação e bom final de semana!
    “Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você está certo.” (Henry Ford)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    • Maíra Protasio

      Obrigada! De fato os detalhes que fazem a leitura não fluir tão bem às vezes são bastante recompensadores.

  • Patrini Viero Ferreira

    Esse é um livro impossível de não conhecer, pelo menos de título. Eu confesso que nunca cheguei a ler a obra completa, mas o enredo me deixa bastante interessada, visto que não é comum a vida submersa ser tema de uma história literária. Acho que a escolha do foco narrativo faz toda a diferença quando se trata de trazer o leitor para a história e envolvê-lo na leitura. Essa foi, portanto, uma decisão acertada do autor, na minha opinião. Depois de ler todos os teus comentários a respeito do capitão Nemo fiquei ainda mais curiosa para conhecer essa complexidade que tu afirma existir, por isso acho que, enfim, vou completar minha leitura!

    • Maíra Protasio

      Complete, sim, que vai valer a pena!

  • Natália Costa

    Sou curiosíssima com este livro, tanto quanto com O viagem ao centro da terra. Quero muito conhecer a obra do Julio Verne! Estas edições da Zahar são uma gracinha! Dá vontade de colecionar… hahaha

    • Maíra Protasio

      Dá vontade mesmo! São lindas e de excelente qualidade!