fbpx

5 filmes de horror/suspense na ficção científica

Quando se fala em horror ou terror, geralmente o que vem à mente são filmes com assassinos, monstros, demônios e afins. Mas, há alguns filmes que também trabalham com essa temática dentro de um escopo bem diferente. Me refiro à filmes de ficção científica que, ao invés de apenas ser uma história de naves, planetas ou contato alienígena,  trazem elementos para chocar e dar medo no telespectador. Clássicos que podem ser citados são o Predador e o Alien. Este último, inclusive, mudou grande parte de como os filmes de sci-fi eram feito até então (e devo dizer que é fortemente inspirado em um dos grandes nomes do horror moderno, H.P. Lovecraft). Mas, para não ser redundante, separei uma listinha de outros filmes que também incitam o medo e o horror na ficção científica. Vamos lá?

Os Escolhidos

O nome original deste filme é Dark Skies (algo como céus escuros) e narra a história da família Barret de classe média dos EUA que está passando alguns apertos financeiros. O casamento está instável e a relação com os dois filhos não é das melhores. Até que coisas estranhas começam a acontecer na casa e assustar a família – e também os vizinhos. Objetos e fotos começam a sumir, o filho mais novo começa a desenhar um monstro de areia que rouba olhos durante a noite, alarmes da casa disparam sem invasor. As coisas começam a ficar ainda mais obscuras quando os pais das crianças também começam a testemunhar lapsos de memórias, surtos psicóticos e estranhas cicatrizes no corpo. Quando procuram ajuda, a família descobre que estão sendo contatados por uma força sobre-humana e que os eventos não são o início de algo, mas sim o fim, e só vão piorar.

Apesar de não ser o “melhor filme do mundo”, não posso deixar de dizer que é um filme agradável no que tange o horror no sci-fi. A premissa é bem construída e passa um ar de veracidade em grande parte da trama, além é claro de dar uns suntos em algumas cenas. Rende uma boa sessão pipoca hehe.


O Nevoeiro

Baseado no conto homônimo escrito por ninguém menos que Stephen King, o filme começa retratando os estranhos eventos que atingem uma pequena cidade do interior americano. Uma estranha névoa cai sobre a cidade e quem está nela começa a morrer. Confinados dentro de um supermercado, um grupo de pessoas enfrentam os piores terrores de suas vidas, desde confrontos pessoais, discussões religiosas e até mesmo a luta contra insetos e bichos gigantes que surgem pela névoa. Quando uma das pessoas dentro do mercado, um oficial do exército conta o que pode ser a névoa e o que se esconde nela, o terror atinge novamente as pessoas dentro do mercado e tudo parece não ter fim, a não ser esperar a morte chegar.

Diferentemente da série (que ao meu ver fracassa miseravelmente em contar a história), o filme consegue prender a nossa atenção o tempo todo e fazer-nos sentir como uma das pessoas dentro do supermercado, enfrentando os seus piores medos. Além de trazer uma discussão sobre conservadorismo religioso, também debate sobre até que pondo certas experiências científicas militares são benéficas ou maléficas à sociedade.


Vida

Vida é o novo Alien, ou tenta ser, pelo menos. A temática do filme tem quase a mesma ideia do filme de Ridley, mas se mantém mais no presente do que no futuro (Alien se passa nos anos 2100 pra frente). Neste filme, um time de astronautas está em órbita fazendo experimentos e estudos científicos sobre vida alienígena quando uma cápsula de pesquisa, que anos antes fora enviada para Marte, retorna para a base. Ao estudarem a capsula, os cientistas descobrem que uma minúscula forma de vida fora descoberta e revolucionaria a ciência moderna. Porém, os estudos saem de controle e a nova forma de vida se mostra muito mais hostil do que poderia se imaginar, e poem em risco toda a nave. Pior ainda quando o organismo começa a matança e “some” dentro da nave. Se não for parada a a tempo, toda  a vida na Terra pode ser ameaçada se o organismo marciano conseguir chegar à superfície do planeta.

Confesso que como tem uma premissa parecida com Alien, a sensação que fica ao assistir ele é “já sei o que vai acontecer”. Mesmo assim, os diretores do filme foram bem audaciosos em dar um final diferente do previsível e por isso só a menção à este filme já se faz merecedora.


Pandorum

O filme narra a jornada de uma nave que leva aproximadamente 60.000 pessoas à bordo em sono criogênico. Depois que a Terra se tornou praticamente inabitada, essa nave leva pessoas para um novo planeta onde poderão recomeçar a vida e a humanidade. Mas, durante a viagem, algo de estranho acontece e alguns tripulantes acordam antes do previsto.  Rooney, Johnson, Payton, Hamilton e Richardson se encarregam de explorar a nave de descobrir o que aconteceu, mas logo essa missão se mostrará mais assustadora do que parece. Estranhos ruídos e sinais aparecem por toda a nave, e logo os passageiros concluem que, além das 60 mil pessoas, há algo a mais na nave.. e isso não é nada bom.

Apesar do nome lembrar a velho mito da Caixa de Pandora, na verdade o título do filme tem relação com a síndrome paranoica que atinge os tripulantes, levando o espectador a se perguntar quem está de fato falando a verdade e quem está alucinando, se é que de fato há algo na nave. É uma ideia bem interessante e, apesar de não ter lucrado muito nos cinemas, é uma boa escolha de filme de horror.


Um Lugar Silencioso

Para finalizar, eu não poderia deixar de falar do melhor filme de suspense/horror que assisti esse ano até agora. Um Lugar Silencioso é audacioso em todos os sentidos, desde o roteiro sem falas até mesmo nos acontecimentos agonizantes entre os personagens. Não sabemos em nenhum momento o que de fato são os “monstros”, mas pode-se observar que o mundo entrou em um estado pós-apocaliptico. Tudo é muito quieto, e ao menor som as pessoas morrem. Assim, acompanhamos uma pequena família do interior dos Estados Unidos lutando dia após dia para se manterem sãs e vivas. Porém, algumas coisas complicam e cada vez mais se esconder dos estranhos seres que atacam ao ouvirem qualquer barulho se torna ainda mais difícil.

O filme consegue passar não só uma grande dose de horror e medo dos estranhos seres, bem como também nos fazer sentir angústia por não poder fazer nenhum barulho, até mesmo em cenas onde certas coisas como gritar ou falar algo se torna impossível de não fazer. O filme foi super elogiado por críticos e parece que vai vir uma sequencia. Que assim seja!


E você, já conhecia algumas dessas dicas? Comente abaixo o que achou das dicas e se já assistiu ou não. Combinado?

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.