A 5ª Onda – Rick Yancey

A 5ª Onda é o primeiro livro da série de mesmo nome do autor Rick Yancey, e foi lançado aqui no Brasil em 2013 pela editora Fundamento. O segundo livro, O Mar Infinito, também já está disponível aos leitores brasileiros.

Sobre o Livro

Uma nave entra na atmosfera terrestre e se mantém sobre nós sem nenhum sinal de contato. Dez dias depois a primeira onda chega, com um pulso eletromagnético que desativa todos os aparelhos que precisam de energia para funcionar. Alguns dias depois, a segunda onda atinge a população, onde maremotos e terremotos devastam as cidades costeiras e matam muitas pessoas. Quando a população acha que nada pior pode vir, os Outros, como são chamados, usam as aves para transmitir um vírus fatal que extermina 97% da população. Essa foi a terceira onda. A quarta onda vem de forma sutil, descobrimos que eles já estão entre nós e que não é mais possível confiar em ninguém.

Os poucos humanos sobreviventes se isolam e tentam escapar dos silenciadores, Outros que estão nos caçando. Nossa protagonista, Cassie, é uma dessas sobreviventes. Ela, o pai e o irmão resistiram as três primeira ondas, mas na quarta ela perde o pai e seu irmão, Sam, é levado pelo exército para uma base militar. Agora, Cassie precisa reencontrar o irmão e se manter viva, enquanto é perseguida por um silenciador.

Porém, quando alguém cruza o seu caminho e a ajuda, Cassie não sabe ao certo como reagir. Se ele não a matou, significa que ele é humano, ou será que é um Outro e tem um objetivo oculto? Será que ela pode confiar sua vida nas mãos de um estanho, para alcançar seu objetivo de reencontrar o irmão?

Minha opinião

Desde que conheci a premissa do livro, me interessei por ler a história. Apesar de já me sentir saturada de distopias, essa, por trazer o tema “extraterrestre” me chamou a atenção. Com o lançamento do filme, acelerei a leitura e não me decepcionei.

A história é narrada em primeira pessoa por vários pontos de vistas e eles vão se intercalando ao longo do livro, porém, achei os capítulos narrados do ponto de vista de Ben Parish, que se passam na base militar, meio chatos se comparados com os da Cassie, que é a história que realmente queremos acompanhar.

A leitura é fluída e a edição está bem bonita, sendo um livro rápido de ler. Cassie não é uma protagonista chata que fica chorando o que passou, pelo contrário, ela nos explica o que aconteceu antes do ponto onde começa o livro – e ela já está sozinha -, situando o leitor. Sua busca não se desvia e seu objetivo jamais é esquecido. Reencontrar o irmão é o que ela precisa fazer e não mede esforços pra isso. O conflito que ela entra ao encontrar um “humano” é bastante coerente, e a cena do mercado e do seu confronto com o homem machucado mostra que ela está disposta a sobreviver, mesmo não sabendo o que isso vai lhe custar.

20160124_175646

20160124_175726

20160124_175708

Temos um certo romance no livro, mas não me incomodou durante a leitura, o que é um bom sinal. Já a revelação do que seria a quinta onda parece estar implícita em todo o livro e quando a revelação verdadeiramente se faz, não causa tanta surpresa. Mesmo assim, considerei um bom livro e estou ansiosa para ler O Mar Infinito e descobrir o que acontece daqui pra frente, já que o fim desse primeiro não dá muitas dicas do que virá.

Livro x Filme

Eu fui assistir o filme um dias depois que terminei o livro, portanto estava com a memória bem fresca sobre os acontecimentos. Não tenho muitas reclamações sobre as adaptações feitas na história, mas tenho com relação ao casting e plots da história.

Primeiro, achei muito desleal a escolha do ator que interpretou Ben Parish, sendo que Evan Walker é milhares de vezes mais atraente. Seguindo a descrição de Ben no livro, tinha imaginado ele mais com cara de homem e menos garotinho. Outro problema pra mim foi a cara de anjo da Chlöe, e gente, eu adoooro ela, mas não acho que o personagem tenha combinado com a atriz nesse momento. Ela está bem, mas poderia ter sido melhor.

Pareceu pra mim que a descoberta do que era a quinta onda, no filme, teve pouco efeito sobre a plateia e ficou meio: ok, é só isso? Outra coisa que não posso deixar de mencionar é que imaginei o negócio do óculos infra alien bem diferente, e jamais como aquele “verme(?)” grudado ao cérebro. Achei que fosse algo realmente como visão infra vermelho onde a pessoa toda aparece colorida através dos óculos.

Quanto ao final e ao futuro incerto de um personagem em específico, fiquei feliz de ver a mudança, bem como a ausência do – beijo -, que no livro me fez contorcer por dentro pela falta de coerência. Acho que o mistério ficou no ar e ajudou a amenizar algumas coisas do decorrer do enredo, com relação ao filme.

Acredito que se você não leu o livro, tenha uma experiência melhor com a adaptação do que eu tive. E não me entendam mal, eu gostei, mas sabe quando achamos que poderia ter sido bem mais do que isso? Pois é.

divisoria

Espero que a série tenha continuidade também no cinema, para que possamos seguir acompanhando as adaptações e ver como um segundo filme se comportaria. Quero ler O Mar Infinito agora em 2016 e espero que o terceiro livro saia logo, para que possamos conhecer o desfecho da história. Acredito que a série tenha potencial pra desenvolver uma ótima história daqui pra frente, já que a premissa das ondas é muito interessante e o primeiro livro consegue cativar o leitor.

20160124_175622

Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora A QUINTA ONDA está começando… Cassie está sozinha, fugindo dos Outros. Ela vive em uma Terra devastada, onde qualquer pessoa, até mesmo uma criança, pode ser o inimigo. Um inimigo que parece humano, que espreita em todos os lugares, pronto para aniquilar os últimos sobreviventes. Permanecer sozinha é permanecer viva – Cassie acredita nisso até encontrar Evan Walker. Mas será que ela pode confiar nele? Será que ele pode ajudá-la a resgatar o irmão? Chegou o momento em que Cassie deve escolher entre a esperança ou o desespero, entre enfrentar os Outros ou se render ao seu destino, entre a vida ou a morte. Entre desistir ou lutar!

 

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.