A Duquesa – Danielle Steel

A Duquesa é um romance de época da autora Danielle Steel, publicado em 2018 pela editora Record.

SOBRE O LIVRO

Angélique é a filha mais nova do duque  de Westerfield, Philipe. Ela vive em Hertfordshire, no castelo Belgrave, que já está há tempos na linhagem. Ela é a menina dos olhos do pai, sempre foi tratada como uma princesa, uma jovem muito doce, encantadoramente linda e muito dedicada aos seus deveres com a administração do castelo. Sua mãe, uma bela moça francesa com parentesco próximo ao rei, foi a segunda esposa do Duque, e tinha a mesma idade que o filho mais velho de Philipe quando se casou com ele, 20 anos.

Tristan e Edward, filhos do Duque, sempre viram a segunda esposa do pai como uma prostituta,nunca foi aceita e quando ela morreu no parto de Angélique, a jovem ficou com o fardo de ser odiada pelos irmãos mais velhos. No entanto, Philiipe a amava e sempre cuidou muito bem dela, até o dia em que, já muito velho e com a saúde debilitada, caiu de cama muito doente.

“O irmão era uma cobra. Prometeu ao pai que proveria seu sustento e, em vez disso, expulsava-a de sua casa e a mandava trabalhar como babá para estranhos, pessoas que ela nem mesmo conhecia. Era quase inacreditável sabe quanto Tristan, Edward e Elizabeth sempre a odiaram e se ressentiam do relacionamento que ela tinha com o pai. Eles foram para cima dela como lobos.”

O Duque de Westerfield sabia que por lei ele não poderia deixar nada à sua adorada filha, e que tudo o que ele possuía iria para seu filho mais velho. Todavia, ele sabia que seu filho nunca gostou de Angélique e na noite anterior a sua morte, ele deixou para ela algo como herança. A morte do Duque foi então o pontapé inicial para os problemas que Angelique começaria a enfrentar. O que ela não imaginava era que seria expulsa de casa pelo seu irmão e que de agora em diante, ela teria que trabalhar para poder se sustentar.

Com tantas mudanças em sua vida, ela vai ter que aprender a se virar em uma época onde mulheres não tem muitas escolhas na vida.  Aprender que as pessoas podem ser muito ruins e que a vida tem muito a lhe ensinar.


MINHA OPINIÃO

Acredito que eu nunca tenha lido uma história tão triste como de Angelique Latham. Me colocando no lugar da personagem, em uma época onde mulheres não tinham vez na sociedade, e ou você nascia rica ou era uma criada, posso afirmar que, sim, foi a história mais triste que já li. Aos 18 anos Angélique, que acaba de perder a única pessoa que ela amou a sua vida toda, se vê obrigada a deixar uma vida com mordomia e conforto para viver como criada, na casa de estranhos e fazendo coisas que ela nunca fez.

Eu me senti diversas vezes incomodada, pois de todos os romances de época que eu li, esse não teve nenhum véu em cima do que acontecia de fato. Danielle Steel nos conta, sem papas na língua, que no século XIX não era fácil ser mulher, e que mostrar riquezas e boa aparência eram bem mais importante que família.

Foi repulsivo conhecer a família Ferguson, a quem Angélique foi babá de 6 crianças. Eles viam os filhos apenas uma vez na semana, por no máximo 5 minutos. Suas crianças tiveram uma ama de leite, pois a Sra. Ferguson achava asqueroso dar ela mesma de mama. E sempre que engravidava ela tentava esconder o máximo a gravidez com espartilhos bem apertados para se manter “elegante”.

Quando se é uma criada e alguém próximo a família inventa algo sobre você, simplesmente não há argumentação, você é obrigada a deixar o emprego e, dependendo da gravidade do ocorrido, sem carta de recomendação. O que significa não conseguir trabalho digno em nenhum outro lugar. Foi de queda em queda que Angélique foi conhecendo a vida.

É nítido o crescimento da personagem a cada página, a cada nova dificuldade, ao invés de se lamentar, ela dá a volta por cima e vai deixando de ser uma mocinha totalmente inocente e indefesa e passa a ser uma mulher refinada e inteligente.

“Angélique tinha acabado de completar 20 anos e ainda não conhecia todos os percalços do mundo. Mas ela havia aprendido uma amarga lição: que a vida era efêmera e que, a qualquer momento, poderia perder tudo e ter de recomeçar.”

A história é de certa forma triste e eu me vi muito concentrada na narrativa da autora. Steel tem um jeito peculiar de conduzir a narrativa, a qual não estou familiarizada, são parágrafos e parágrafos de narração com pouquíssimos diálogos, mostrando-se uma trama “corrida”, com capítulos longos, mas que mesmo assim, te deixa completamente imerso aos acontecimentos.

A autora não se utiliza de frases bonitas e cheias de ensinamento, mas ela nos dá vários tapas na cara da forma mais comuns, sem precisar embelezar as palavras. Isso foi para mim algo bastante positivo em todo o enredo, pois enquanto eu esperava algo marcante, vinha a autora com frases simples e cruas. Já um ponto negativo da escrita é que a autora é bastante repetitiva em nos fazer “lembrar” que Angélique ainda tinha o dinheiro do pai ou o quanto ela estava sofrendo, o que se tornava um pouco cansativo. Mas, para um primeiro contato com a autora, eu gostei muito e quero ler outras obras dela.

Indico para quem gosta de um romance de época bastante fiel ao século, lembrando que é uma história triste de superação.

A DUQUESA

Autor: Danielle Steel

Editora: Record

Ano de publicação: 2018

A saga de uma jovem bem-nascida, que se vê sozinha no mundo e é obrigada a embarcar em uma jornada de sobrevivência e sensualidade em busca da tão sonhada justiça. Angélique Latham cresceu no esplendoroso Castelo Belgrave, na Inglaterra, e foi criada sob a tutela e o carinho do pai, o duque de Westerfield. Aos 18 anos, ela é a menina dos olhos do duque, mas, assim que ele morre, seus meios-irmãos mais velhos lhe viram as costas, abandonando-a completamente. Porém, com sua inteligência aguçada, uma beleza arrebatadora e um baú de dinheiro que seu pai lhe deu em segredo no leito de morte, ela fará de tudo para sobreviver. Sem conseguir arrumar emprego por não ter uma carta de referência, mesmo depois de um tempo trabalhando como babá, Angélique tenta a sorte em Paris. E é lá que o destino coloca em seu caminho uma prostituta, vítima dos maus-tratos de Madame Albin. Ao ajudar a jovem, Angélique vê uma oportunidade: abrir um bordel de luxo para atender aos homens mais abastados da cidade e onde pudesse proteger essas mulheres. Logo, o elegante le Boudoir, um lugar onde os homens poderosos podem satisfazer seus desejos mais secretos com as companhias mais sofisticadas, se torna a sensação de Paris. Mas, vivendo na iminência de um escândalo, Angélique conseguirá algum dia recuperar seu lugar no mundo? da Inglaterra do século XIX, passando por Paris e Nova York, Danielle Steel retrata uma época de luta das mulheres em uma sociedade predominantemente masculina ao contar a história inspiradora de uma cativante dama de espírito revolucionário.

Colaboradora do Resenhando Sonhos.

25 anos, Técnica em Química e apaixonada por livros desde que me conheço por gente!