A Poção Perdida – Amy Alward

A Poção Perdida é o segundo livro dentro da série Diários de uma Garota Alquimista da autora Amy Alwardi, lançado no Brasil em 2017 pela editora Jangada.

*Essa resenha contém spoilers do livro anterior

Sobre o Livro

Depois de vencer a Caçada Selvagem, a vida Sam Kemi parece estar entrando nos trilhos. Sua família voltou a ter notoriedade e as vendas da loja de poções estão com um fluxo muito bom, e sua relação com Zain segue progredindo. Porém, a Princesa Evelyn ainda não está 100% e precisa de poções de tempos em tempos para se manter em controle. Algo que a assombra também é o fato de que ela precisa se casar logo pra garantir a linha de sucessão.

Tudo isso entra em colapso quando o avô de Sam é atacado no meio da rua e entra em coma, ao mesmo tempo em que Emília fugiu da prisão e pode estar ligada ao primeiro acontecimento. Pelo fóruns de discussão se fala sobre a Aqua Vitae, a poção de cura mais poderosa do mundo, e que supostamente havia sido encontrada pela e feita pela bisavó de Sam, a última Kemi a participar de uma Caçada Selvagem antes da garota.

Para salvar seu avô e tentar ajudar também a princesa, Samantha vai ir em busca do suposto diário onde essa poção estaria, enfrentando todos que podem estar atrás da mesma coisa. Porém, pode ser que mesmo que encontre, o preço seja muito alto para se pagar.


Minha Opinião

Eu gostei tanto de A Poção Secreta que não sei porque acabei demorando para ler esse segundo livro. A leitura foi super gostosinha e fiquei bem surpresa com o desenvolvimento da trama. No primeiro volume tamos uma narrativa simples e que funciona muito bem pelo tom de “conto de fadas”, mas que não chega a surpreender com algo diferente. Já em A Poção Perdida, parece que a autora quis inserir mais desdobramentos dentro da história exatamente pra quebrar um pouco essa visão.

O que veremos em suma é nossa protagonista indo em outra busca, porém, há muito mais coisas acontecendo ao seu redor. Vamos conhecer as consequências do que aconteceu com a princesa, o cenário político não só do reino deles, mas também de seus vizinhos e, algo bem importante, investigaremos mais e mais dentro da família Kemi e dos muitos feitos e segredos que envolvem os antepassados de Sam. E saberemos um pouco mais sobre criaturas que também habitam esse mundo, como os centauros!

“Não me deixe no escuro outra vez.”

Acho que o desenvolvimento “ao redor” da protagonista foi o que mais me chamou a atenção. Não é somente um fato que coloca ela em movimento, mas também as descobertas que ela faz e que, consequentemente, nós fazemos também. Acho bem importante quando os autores resolvem sair do básico mesmo que a história funcione nele, nos faz ter mais gosto de ler e indicar as tramas.

Outra coisa que eu adorei ver aqui foram os fóruns de discussão. Então, além de termos a perspectiva de Sam, também temos um formato de capítulo que nos apresenta a visão das pessoas de fora, daqueles que estão na “internet” teorizando sobre o assunto e, literalmente, cuidando da vida alheia. Além de dar uma dinâmica ao livro, também ajuda a dar um tom ainda mais leve, mesmo que nem sempre o que venha sido tratado tenha o tom.

A previsibilidade da narrativa também fica um pouco de lado e, por mais que não sejam surpresas inimagináveis, consegui ser pega desprevenida em alguns momentos, talvez exatamente porque comecei a leitura subestimando a trama. E, me digam, tem algo que deixa o leitor mais feliz do que ser surpreendido positivamente por uma história?

E a história que Amy Alward traz aqui é sobre a importância da família, das tradições, de manter o “poder” nas mão certas, de fazer o certo mas ponderar um pouco sobre os seus extremos também. Sam é uma personagem que desde o primeiro livro me surpreendeu pela sua motivação, por não deixar que sua caminhada perca o foco, por ser leal e mesmo assim conseguir enxergar que nem sempre isso basta ou é a forma correta de lidar com as situações. E aqui, mais uma vez, ela vai fazer as coisas do seu jeito para chegar a um resultado que é diferente do que muita gente esperaria.

“Um beijo… se pudesse ser engarrafado, seria a cura mais poderosa para a tristeza, preocupações, tensão, desespero, raiva… Talvez essa seja a Aqua Vitae.”

Há a continuação do romance que se desenvolveu no primeiro livro, mas confesso que não achei que chegou a atrapalhar o andamento da trama. Há algumas cenas açucaradas, mas me pareceram mais raras do que em A Poção Secreta. E, outro aspecto que é desenvolvido, é a relação dela com a irmã e do que ela pode fazer. Achei muito interessante isso e foi uma das coisas que gostei de ver trabalhado aqui como forma de engrandecimento da trama.

A narrativa de Amy Alward é muito fluida e o livro é muito rapidinho de se ler, apesar de suas mais de 400 páginas. Gosto muito também das capas que mantém o tom lúdico. E sigo dizendo, essa é uma história que pode ter sido proposta para um público mais jovem, mas que funciona super bem mais a frente e que pode sim surpreender você.

ALÉM DA MAGIA

Autor: Amy Alward

Editora: Jangada

Ano de publicação: 2017

Depois de vencer a Caçada Selvagem, salvando a Princesa Evelyn, a vida de Sam Kemi mudou completamente! Com uma avalanche de entrevistas na TV, o trabalho na loja de poções da família e os preparativos para acompanhar a Princesa – sua nova melhor amiga – numa grande viagem internacional, tudo parece estar indo muito bem, até que de repente não está mais…Alguém adulterou a mente do avô de Sam para tentar descobrir a fórmula da Aqua Vitae, uma poção capaz de curar qualquer doença e que estava perdida entre as páginas de um antigo diário da família Kemi. Sem suas memórias e precioso conhecimento, seu avô está cada vez mais perdido e confuso. E, conforme o tempo passa, seu estado só vai piorando. Agora, Sam precisa encontrar a receita perdida da poção mais poderosa do mundo, aquela que as pessoas matariam para pôr as mãos, e também tentar trazer as memórias do seu avô de volta. Trocando vestidos, príncipes e palácios por dragões, centauros e cavernas, Sam começa a aventura mais importante e perigosa de sua vida – na qual tudo pode acontecer!

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.