Alien: Surgido das Sombras – Tim Lebbon

Surgido das Sombras é o primeiro livro da trilogia Alien, expansão oficial do universo. Escrito por Tim Lebbon, é uma publicação de 2016 da editora Leya.

Sobre o Livro

Chris Hooper é um engenheiro na nave mineradora Marion e está em missão no planeta LV178. Porém, algo sai do controle e as naves que fazem o transporte dos minérios saem em pressa do planeta, colidindo de forma desastrosa com a nave mãe. Com as filmagens internas os tripulantes conseguem ver que algo maligno foi encontrado nas profundezas do LV178 e que agora está no espaço junto com eles.

No meio da busca por uma solução para sobreviver já que Marion está com os sistemas comprometidos e entrar em contato com as criaturas que habitam as outras naves não parece uma boa ideia, algo na imensidão do espaço acaba se tornando uma opção. A tenente Ellen Ripley que vagava sem muita direção adormecida em sua nave acaba sendo acoplada à Marion e desperta bem mais perto do caos que acreditou ter deixado para trás.

“Os mineradores haviam desenterrado algo terrível lá embaixo, e não dava para saber quantas daquelas coisas poderiam estar esperando por eles.”

Compartilhando sua história e experiência, explica aos outros tripulantes o que realmente são aquelas criaturas e o que elas podem fazer. Porém, não há muito como fugir de um confronto, afinal, para sobreviverem eles precisam passar por esses seres e conseguir as peças necessárias para seguir viagem.


Minha Opinião

O Universo Alien nunca me chamou muito a atenção, até que eu fui confrontada com a necessidade de aprender mais sobre ele. Lembro de ter visto uns dois filmes, ter o livro oficial, mas nunca ter realmente me aventurado em desbravar essa saga que tem muitos desdobramentos, o que pode gerar até uma certa confusão. Uma delas é com relação ao posicionamento dessa trilogia da Leya. Esse livro não é uma republicação da novelização do filme escrita por Alan Dean Foster e publicado pela Aleph no Brasil. O que temos aqui são histórias complementares que expandem o universo.

Surgido das Sombras se passa 37 anos depois da história que conhecemos em O 8º Passageiro e vai preencher uma lacuna do que poderia ter acontecido no caminho de Ripley antes de vermos ela novamente em Alien: O Resgate. O terceiro livro da trilogia, Rio de Sofrimento, também acontece nesse meio tempo entre o ano de 2.122 e 2.179 e tem o mesmo propósito, enquanto o segundo, Mar de Angústia acontece em 2.412 e é a obra mais a frente em toda essa cronologia. Os volumes podem ser lidos de forma separada, mas se você é um fã desse universo, recomendo a leitura na ordem cronológica e, portanto, 1,3,2. Afinal, já temos uma bagunça enorme com relação aos filmes que vão e voltam no tempo.


Pra facilitar a sua vida, coloco aqui a ordem temporal dos filmes e livros, deixando de fora os jogos e quadrinhos:

  1. Ano de 2.093: Prometeus (filme de 2012)
  2. Ano de 2.103: Alien Covenant (filme de 2017)
  3. Ano de 2.122: Alien – O 8º Passageiro (filme de 1979 e livro de Alan Dean Foster)
  4. Ano de 2.159: Alien – Surgido das Sombras (livro 1 da trilogia, lançado em 2016)
  5. Ano de 2.179: Alien – Rio de Sofrimento (livro 3 da trilogia, lançado em 2016)
  6. Ano de 2.179: Alien – O Resgate (filme de 1986)
  7. Ano de 2.179: Alien 3 (filme de 1992)
  8. Ano de 2.379: Alien – Ressurreição (filme de 1997)
  9. Ano de 2.412: Alien – Mar de Angústia (livro 2 da trilogia, lançado em 2017)

Antes de fazer essa leitura eu retomei a história de Alien: O 8º Passageiro devido a conexão evidente que existe e realmente acho imprescindível que, caso você não tenha visto o filme, ou lido o livro, o faça. A importância da personagem Ripley se cria na história inicial e ela vira peça chave também em Surgido das Sombras.

“Quando eu era criança, eu sonhava com monstros – disse. Não preciso mais sonhar.”

Aqui conheceremos Chris Hooper, e quando ele resolveu desbravar o espaço, ele realmente sonhava em encontrar monstros. Porém, quando isso realmente acontece, a coisa não é tão simples ou fácil. O primeiro sentimento é o mesmo que foi visto no filme original: choque e surpresa. O que são essas coisas, de onde elas vem? E é ai que entra Ripley com seu conhecimento para que a história não se repita completamente. Ela tem uma experiência prévia e nada feliz de confronto com esses seres, mas também sabe o que pode ou não ser útil.

É claro que para a personagem é como acordar em um pesadelo. Ela fez o que pode para sobreviver e agora, quando acorda, está novamente em uma situação de vida ou morte frente a frente com esses aliens. Isso faz com que o protagonismo da história deixe de ser de Chris e passe a ter um enfoque na antiga membro da Nostromo e na angústia que ela apresenta em tal situação. Acredito que isso tenha sido um enfoque bem positivo, afinal é sempre com os personagens originais que estamos mais propícios a nos preocupar. A questão é que não há como fugir disso, com a nave prejudicada eles precisam de fontes de energia para continuar viagem e pra isso é necessário confrontar o mal que espreita.

Desde o começo me preocupei em como a narrativa iria encaixar a participação de Ripley sem estragar o fato de que quando vemos ela nos filmes, principalmente na sequência O Resgate, não há registro dessa incursão fora de hibernação ter acontecido. Mas, novamente há uma boa resolução pra isso e a trama original não fica prejudicada pelo uso dos personagens principais nas expansões.

“Aquele era um perigo além da humanidade, um que já existia desde muito tempo antes de os seres humanos ao menos saberem o que eram as estrelas.”

Pra mim que era uma completa leiga do assunto, achei o livro muito bem contextualizado e alinhado ao filme em suas informações. A escrita do autor é bem fluída e conseguimos passar pelas páginas com bastante rapidez, dando andamento na história. Há momentos bem tensos onde é possível se relacionar com o medo dos personagens e o que eles estão sentindo em meio a tamanha incerteza. Já tendo em mente o visual dos aliens pelo filme, não é difícil dar vida a eles na nossa cabeça na hora da leitura.

Cada um dos livros dessa trilogia é escrito por um autor diferente, então não posso garantir que a mesma fluidez se mantenha, mas quero dar continuidade na leitura, sim. A edição da editora Leya está bem bonita, com uma capa levemente laminada. A fonte do livro está num tamanho confortável e os capítulos são curtos, tendo divisões bem organizadas entre ele e também entre os atos principais da história.

Para quem é fã do universo, acredito que essa trilogia seja um prato cheio, afinal é mais um a oportunidade para acompanhar Ripley e passar mais tempo no espaço em confronto com as criaturas. E, caso você, assim como eu, não seja um aficionado por Alien, se depois do contato com o 8º Passageiro surgiu aquela curiosidade, tem um material muito interessante aqui pra dar continuidade no desbravamento desse universo que é tão rico e que tem seus altos e baixos no cinema.

ALIEN: SURGIDO DAS SOMBRAS

Autor: Tim Lebbon

Editora: Leya

Ano de publicação: 2016

Chris Hooper, quando criança, sonhava com monstros. Mais tarde, ele percebeu que monstros não moram apenas nos sonhos infantis. Trabalhando numa mineradora, no planeta LV178, Chris e sua equipe encontram no solo um ninho de Xenomorfos, mas o que Chris ainda não sabia é que essa viagem se tornaria o seu pior pesadelo.
Com a participação de Ellen Ripley, essa nova aventura promete ser surpreendente e revelar uma história até então desconhecida. Resgatando todo o clima de terror e suspense que fez sucesso nos filmes, Alien: surgido das sombras é o primeiro livro da trilogia que promete trazer de volta monstros terríveis, naves espaciais, androides e uma das maiores heroínas que conquistou toda uma geração.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.