Amanhã #3: No Terceiro Dia, a Geada – John Marsden

No Terceiro Dia, a Geada é o terceiro volume da série Amanhã, do autor John Marsden. O livro foi lançado no Brasil em 2011 pela editora Fundamento.


*Essa resenha contém spoilers dos livros anteriores

Sobre o Livro

Depois dos últimos acontecimentos o grupo novamente se isolou no inferno. Ter perdido mais um membro não foi algo fácil, e seis meses se escondendo já está cobrando seu preço. Porém, eles não podem ficar estáticos para sempre e é preciso achar forças para seguir em frente com a resistência. Depois do atentado, porém, eles foram perseguidos e há mais olhos agora esperando que eles apareçam. Os colonizadores também já estão se instaurando nas casas das famílias, e a cidade pulsa em um ritmo diferente, já que seus reais moradores seguem cativos ou viraram serviçais dos invasores.

“Quando sua terra é invadida, seu povo é aprisionado e toda a liberdade e os sonhos de um futuro maravilhoso caem por terra, você tem duas escolhas: render-se ou… lutar.”

Ellie, Le, Homer, Fi e Robyn começam a bolar um novo plano, mirando a Baía do Sapateiro, principal ponto na região. Porém, antes disso eles vão reencontrar um velho amigo e por uma nova perspectiva em vista. Algumas coisas vão mudar ao longo da jornada e um novo caminho parece se abrir em frente aos jovens. Agora a pergunta que fica é: vale a pena seguir lutando?


Minha Opinião

No Terceiro Dia, a Geada é um livro de transição entre o cenário que vínhamos vendo e conhecendo nos dois primeiros livros, para um novo caminho na história. Acho que é exatamente a hora de mudar, pra que a trama não fique repetitiva e possamos dar um novo rumo. Aqui também temos uma melhor visualização do contexto global. Estamos na Austrália, ela foi invadida já há 6 meses e parece que a principal aliada que está ajudando o país é a Nova Zelândia. Há sim uma resistência, lugares chamados de Zonas livres e, com isso, a abertura da configuração política se fez mais exposta ao leitor.

Todo o segredo pra mim no primeiro livro e a falta de informações concretas no segundo foi um ponto negativo, pois saber que se tratava certamente de uma realidade como a nossa em nosso mundo, dá um peso mais substancial para a trama. Há também uma dose a mais de ação, principalmente na cena que envolve a Baía do Sapateiro. Foi uma sequência muito bacana que começa ali a moldar um novo caminho para a história.

“Virei uma especialista em medo. Acho que já senti todas as emoções fortes que existem: amor, ódio, inveja, raiva. Mas o medo é a maior de todas. Nada é tão intenso nem nos atinge tão profundamente quanto o medo. O medo toma posse da gente como nenhuma outra emoção faz. É um tipo de doença, uma febre que nos domina.”

Algo que eu defendi no primeiro livro foi que esses jovens sabiam a sua posição e o fato de que não poderiam resolver tudo sozinhos. O que aconteceu foi que, com o sucesso dos ataques que fizeram, um certo orgulho subiu à cabeça e aqui a coisa mudou um pouco de figura. Pelo que o próprio livro conta, eles vivem em uma cidade do interior e mesmo assim passam a achar que estão fazendo grandes coisas. Alguns contato exteriores também alertam ao fato de que já se sabe sobre a atuação deles e isso meio que desmorona o meu elogio inicial à trama. Mas acho que a aparição de personagens mais adultos vá ajudar a resolver isso.

Algo que achei legal em relação a isso, para balancear, é que comecei a me perguntar como um grupo de adolescentes poderia ser mais bem sucedido e nunca pego, do que uma organização armada que foi capaz de invadir um país. Conforme a pergunta crescia dentro de mim, o livro veio e me apresentou uma premissa em resposta: os invasores não achavam que estavam lidando com adolescentes e sim que havia mais por trás deles. Os jovens são vistos como peões e não como os perpetuadores, o que dá a eles um aval de não serem tão levados a sério. Não resolve a situação, mas pelo menos posiciona o autor como sabendo da discrepância do que está apresentando.

“Será que a vida nunca vai ser fácil de novo?”

A personagem que mais me deu nos nervos aqui foi Ellie. Desde o segundo livro, quando a relação dela com o Lee se consolidou, houve uma decaída no rendimento da personagem. Agora, repetindo o que já havia acontecido no 2º livro, ela passou a implicar com o ato de matar e, quando o Lee é forçado a tal, sua cabeça começa a divagar sobre o quando ela sente repulsa por ele, desconstruindo a relação dos dois e também parte da personagem pra mim. Principalmente pois algo acontece com ela no último terço do livro que deveria voltar nesse assunto pra uma reflexão e nada é mencionado sobre.

Homer assume o papel de líder junto com Ellie e por isso, Lee fica mais de lado nesse terceiro livro. Acho que foi bom, pois devido aos conflitos citados a cima provavelmente isso atrasaria a história com diálogos ruins e debates sem pé nem cabeça sobre ele se defender quando necessário. Parece que a personagem não entende que eles estão em guerra e que, entre perder alguém que você ama, às vezes é necessário matar. Além de que, Lee não deve fazer isso de forma leviana, e o peso que ele carrega não precisa do acúmulo do julgamento de Ellie. Os outros personagens passam mais como secundários e tem bem pouca voz na trama.

A narrativa do autor segue super fluída e todos os livros da série amanhã, até o momento, são muito rápidos de serem lidos. Também há detalhes nas páginas que inicial cada capítulo, além das capas já bem características.

No Terceiro Dia, a Geada veio pra esclarecer algumas dúvidas, posicionar algumas peças e preparar o tabuleiro para uma mudança de cenário. Como o que acontece no fim do livro há um novo gás para a trama, proporcionando ao leitor que já vinha ficando acostumado com o ritmo uma expectativa mais com relação a continuação Escuridão, Seja Minha Amiga.

AMANHA #3: NO TERCEIRO DIA, A GEADA

Autor: John Marsden

Editora: Fundamento

Ano de publicação: 2011

Mesmo sendo um pequeno grupo de adolescentes sozinhos e despreparados, Ellie e seus amigos continuam a resistir à perseguição cruel que tomou conta do país deles. Ao escolher um alvo tão grandioso quanto difícil de ser atingido, esses heróis modernos têm um desafio superarriscado que pode mudar o curso da guerra. E torná-los inimigos número 1 dos invasores.

Uma história de muito suspense, ação e explosões, em que, a qualquer momento, tudo pode mudar.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.

  • Eu não conhecia essa série,eu realmente me interessei,mas eu parece que em algum momento o livro perde um pouco a linha do chão e da uma voada,como no momento em que os adolescentes não são pegos pelos invasores,mas como o autor da justificativa acredito que isso não gerara tanto problema,então vou procurar ler ele.

  • Bruna Prata

    Toda vez que leio uma resenha dos livros dessa série, me sinto instigada a realizar a leitura, mesmo estando muito bem informada. Estou na torcida para que as continuações superem qualquer expectativas.

  • Marta Izabel

    Oi, Tamirez!!
    Gostei muito da resenha e mesmo com tantos pontos negativos fiquei muito interessada nos livros. Bom espero ter oportunidade de ler em breve os livros.
    Bjoss

  • rudynalvacorreiasoares

    Tamirez!
    Não li os outros livros, mas vou assistir assim mesmo,
    porque minha memória anda bem ruim e certeza que quando tiver
    oportunidade de ler, já nem me lembrarei mais os detalhes.
    Livro de transição é mai tranquilo e não tem tanta ação como os outros.
    Ter coisas destoantes é crítico, né?
    Fato é que espero que continue a ler os próximos para sabermos o que vai acontecer.
    cheirinhos
    Rudy

  • Nathallia dos santos

    Oi Tamirez, sempre tive curiosidade para ler essa série, já vi outras resenhas, mas nunca concretizei a leitura. Apesar de ter adorado sua resenha, e outras, acabo nunca comprando o livro. Mas talvez agora consiga, pois fiquei curiosa para ler essa série. Obrigada pela indicação.

  • suzana cariri

    Oi!
    Parece que nesse livro temos uma queda de rendimento comparado aos outros livros da serie, gostei muito das resenhas dos outros livros, mas esse já não me agradou muito, acho que a historia perdeu uma logica e coerência, deixando tudo meio surreal, o que para mim atrapalha a historia, mas gostei da dica e quero ver se futuramente não inicio essa serie !!

  • Gislaine Lopes

    Oi Tamirez,
    Algumas coisas tem me chamado atenção nessa série, como por exemplo a ambientação, pois não me lembro de ter lido livros com este tipo de trama ainda mais protagonizado por jovens. Ellie me parece ser uma protagonista forte e imagino que ela tenha que ser para se manter firme e liderar os outros jovens, ainda mais sendo mulher. Mas fiquei um pouco receosa com suas atitudes neste volume. Eu, realmente, espero que a trama melhore e que o final dessa série supere as expectativas!!