Arena 13 – Joseph Delaney

Arena 13 é o primeiro livro da nova série de Joseph Delaney, mesmo autor de As Aventuras do Caça-Feitiço. A publicação é lançamento de 2016 da Bertrand Brasil.

20160626_124344

Sobre o Livro

Leif saiu do Sul onde morava e caminhou até a cidade de Gindeen com apenas um sonho: se tornar um vencedor na Arena 13. Depois da morte da mãe e do pai o garoto viu sua vida ser despedaçada aos poucos e encontrou nesse objetivo as forças para seguir em frente. Com um bilhete azul em mãos, o que lhe garante a oportunidade de ser treinado pelos melhores em Gindeen, Leif se dirige a Tyron, aquele que detém o maior renome na área. Ele comanda e treina um poderoso grupo de discípulos, mas não é um homem fácil.

Nesse universo meio distópico meio fantástico existe A Roda, onde ficam as 13 arenas. Cada uma delas representa um nível para os lutadores e a ascensão depende do seu desenvolvimento e, claro, de vencer as batalhas que participam. Aqui, somente os homens podem lutar e o treinamento começa cedo. Dentro da arena, de um lado fica um homem com três autômatos – os lacs – e, do outro um homem e um lac, esses seres mecânicos, feitos também de carne, respondem somente ao seu mestre e são sincronizados com ele para que entendam seus comandos através de batidas no chão, além de palavras magnas. Pode parece que aquele às costas dos três lacs tem sempre a vantagem, porém o uoutro também possui skills bem características e pode sim vencer o duelo.

“Ele está nos vendo direitinho. E é capaz de pensar. Mas são os modelos que realizam o ato de pensar. Os lacs não tem raciocínio próprio como nós temos.”

Conforme os players vão ganhando há ascensão e eles sobem pelas arenas. Nessas batalhas não é a morte o objetivo, e sim a estratégia. Vence a batalha aquele que derramar o primeiro fio de sangue, deixando seu adversário completamente incólume para seguir seu caminho, salvo raras modalidades onde a luta pode ser conduzida aos extremos.

Porém, toda essa região é assombrada por um poderoso ser. Hob aterroriza a todos, com suas criaturas bizarras aparecendo ao anoitecer e, de tempos em tempos, requisitando batalhas até a morte nas arenas. Leif, junto com com o desejo de se tornar um grande lutador da Arena 13, também traz a vontade de derrubar essa criatura voraz. Agora, em meio a todos os desafio do treinamento, o jovem também terá que confrontar o passado e o futuro.

Minha Opinião

Essa é a primeira vez que leio um livro do Joseph Delaney e fiquei bem surpresa com a proposta do livro. Em um universo de arenas, onde jovens lutam atrás de seres feitos de carne e pedaços de máquina, no melhor estilo gladiador e com um mix de distopia e fantasia o autor propõe uma trama ousada. Porém, no fim do dia acabei saindo um pouco decepcionada.

A assinatura sendo da editora Bertrand elevava ainda mais a expectativa de que se tratava de um livro mais adulto, bem como toda a história que se constrói. Entretanto, conforme logo adentramos na narrativa, descobrimos que as posturas mais adolescentes com algumas cenas de birra, mini romances, burradas épicas e rixas juvenis vão estar presentes, quebrando um pouco o ar mais sério que pairava sobre o livro. E pra mim, foi exatamente o desenvolvimento desses núcleos que estragou.

Enquanto começava a descobrir como a lógica do livro funciona, e sim, ela é bem complexa, ficava fascinada pelo mundo e na grandiosidade do qua aquilo poderia vir a ser. Há toda uma explicação sobre como as coisas funcionam nesse universo e sobre a regras das arenas e de cada conflito. Recebemos explicação e acompanhamos também todas as descobertas do protagonista que apenas entende por cima como essas competições funcionam.

“Os monstros sonham sim.”

20160626_124421

Leif num primeiro momento parece um jovem esperto e que sabe o que quer, ele passou por maus bocados para chegar até a cidade com seu ticket azul e tem uma história familiar bem complicada. Ele também quer vingança e isso como fator motivacional é sempre um problema, pois posiciona o personagem a fazer besteiras. Porém, quando ele se encontra na presença da jovem filha do treinador ele fica completamente suscetível, aceitando as ideias e aventuras dela mesmo sabendo que isso poderia prejudicar o seu treinamento e a sua posição.

A garota é super superficial e tem bastante raiva porque não pode lutar por ser uma mulher. Apesar de ela ser esperta e lutar bem, também é bastante inconsequente, e inventa uns conflitos do nada, enfraquecendo a trama mais do que beneficiando. O possível rival de Leif também é fraco, deixando como único alívio o outro garoto com quem ele faz amizade e que parece ser o “mais fraco” entre eles.

Apesar de ter umas reviravoltas, realmente não sei o que esperar do segundo livro, já que terminei esse um pouco desanimada. Apesar da leitura fluída e do universo bacana, parece que algumas coisas abafaram a história principal, tornando algo que poderia ser muito foda em somente “ok”.

20160626_124408

Temos algumas descrições interessantes, mas o livro não é tão forte quanto poderia ser. No lugar da carnificina de uma arena dos formatos antigos, temos uma proposta onde somente uma gota de sangue é suficiente para encerrar um conflito, trazendo um outro tom. Confesso que tive um pouco de dificuldade de visualizar os conflitos acontecendo, bem como toda a dança entre os jovens e seus lacs, mas imagino que esse livro em tela ficaria super interessante. Sou fã de Gladiador, 300 e Spartacus, filmes e séries que trazem esse norte do mundo antigo e sempre fico fascinada.

Enfim, Arena 13 traz uma ótimo mundo de background, mas peca na execução da história, baixando o nível de apreensão ou até violência utilizando o drama adolescente. Pra mim parece que há um pouco de balanço de pesos. Ou os personagens são maduros pra viver nesse mundo ou o mundo não funciona. Para minha primeira experiência digo que achei a escrita bem fluída e me surpreendi em alguns momentos, mas no conjunto geral da obra não foi dessa vez que Joseph Delaney me conquistou.

3estrelas

20160626_122556

Leif tem uma única ambição: tornar-se o melhor lutador da famosa Arena 13. Lá, os espectadores apostam em qual lutador vai derramar sangue primeiro. E, em ajustes de contas, apostam em qual lutador vai morrer. Mas a região é aterrorizada por Hob, um ser maligno que se deleita torturando a população e exibe o seu poder devastador desafiando combatentes da Arena 13 a lutas até a morte quando bem entende. E isso é exatamente o que Leif quer, pois ele conhece bem os crimes de Hob. E, no cerne da sua ambição, arde o desejo de vingança. Leif procura revanche contra o monstro que destruiu a sua família. Mesmo que isso lhe custe a vida.

 

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.
  • Daiele

    Eu vi esse livro na livraria e nem parei para ler sinopse, pois achei que ja era o décimo terceiro livro de uma série, só por causa do título, hahaha
    A sinopse e realmente muito legal, o personagem tem uma historia boa para nos apresentar. E portanto, um bom livro poderia ser escrito. Mas uma coisa que eu odeio em qualquer tipo de leitura, são personagens fracos. A historia pode até ser “ruim” Mas se o personagem for fraco, e nisso eu incluo qualquer tipo de “sentimento” que possa a vir interferir de forma negativa em sua jornada, “burrice”, etc. Ja nao serve para mim, pq eu me irrito muito facil com as atitudes dos personagens. Ainda mais se tratando de uma série não é mesmo?!
    Também nunca li nd do autor, mas nao faço muita questão tbm..

    beijos

  • Naiara Fidelis

    Apesar dos pontos negativos, eu gostei da premissa do livro e me chamou bastante atenção, ainda mais por misturar distopia com fantasia, que são os meus gêneros favoritos.

  • Matheus Nunes

    A sinopse é interessante, mas isso de somente uma gota de sangue acabar o duelo meio que tira a graça das batalhas. O que mais me atraiu no livro foi essa capa linda!

  • Nicolas Braga

    Já ouvi falar da Série As aventuras do Caça-Feitiço, mas essa parece bem mais emocionante!

  • Thaina Nunes da Silva

    Eu ja tinha ouvido falar dessa livro antes , mais não tinha me interessado muito , agora depois de ler seu post , fiquei bem interessada , a historia parece ser boa , apesar de alguns pontos negativos .

  • Mariana Ogawa

    vc respondeu um medo que eu tinha desse livro: como eles iam tratar tanta violência (afinal essa é a proposta de uma arena de luta) se o foco desse livro era o público juvenil. eu imaginei que eles iam dá uma amenizada, por um lado dá para entender, mas por outro é meio frustante…
    pelo menos se eu for ler eu já vou sabendo que nada de pedaço de corpo voando…

  • Fernanda Rodrigues Mendonça

    Eu ainda não li nada do autor, mas creio q seja um bom ator. Eu não acho de todo ruim o personagem agir como um adolescente se ele o é. Quero dizer, me irrita um pouco livros que possuem crianças de 12 anos agindo como adultos, como é tão comum encontrar hoje em dia, entende? E se mesmo assim foi demais a postura infantil do personagem, eu espero que ele trabalhe o amadurecimento do personagem durante a obra. Já vi autores fazendo isso eu eu fiquei bem satisfeita com o resultado.

  • ADRIANA HOLANDA TAVARES

    A capa e o título são maravilhosos mesmo e como uma boa fã de Spartacus a premissa me chamou a atenção. O foda é o interesse romântico que parece forçado, adoro um bom romance, especialmente em aventuras, mas não precisa forçar a barra não :/
    Tô num misto de indiferença e curiosidade, confesso