fbpx

Arquivo X: A verdade está lá fora – Jonathan Maberry

Arquivo X: A verdade está lá fora é um livro de contos baseados na série Arquivo X, organizada por Jonathan Maberry e publicado aqui no Brasil em 2016 pela editora Ornitorrinco.

arquivox_4

SOBRE O LIVRO

Idealizado por diversos escritores, mediante autorização do criador da série Chris Carter, Jonathan Maberry reuniu histórias inéditas do universo da série para matar a saudade de todos os fãs de Arquivo X. São histórias únicas e independentes que trazem à ativa os personagens Fox Mulder e Dana Scully, desvendando mistérios, casos policiais e até mesmo em eventos que desafiam a lógica.

Cada conto é ambientando em uma época diferente, sendo que alguns se passam no período em que a série ainda estava na TV (entre 1993 e 2002), e outros que se passam após o término, como é o caso do conto Devíamos ouvir um pouco de Shostakovich, que acontece em abril deste ano.

“As luzes do céu visitaram nossos avós muito antes de os homens brancos chegarem a nossas terras. As Pessoas de Luz deram ao meu avô conhecimento de um grande poder”.

Os contos apresentam variados enredos. Há alguns em que a trama pende mais para a investigação policial, envolvendo bem o suspense e ação presente por todo o seriado. Há outros que lidam com elementos sobrenaturais ou fantasiosos, como fadas e deuses mitológicos. E também, como não poderia faltar, há algumas histórias de viagens no tempo, pesquisas espaciais e, principalmente, conspiração alienígena e avistamento de ovnis.

Além de histórias inéditas, o livro apresenta uma introdução escrita por Dean Haglund, que na série fez o personagem Langly, um dos amigos de Mulder e integrante do grupo Pistoleiros Solitários. Nesta introdução, Dean conta como foi a sua experiência de vida com o seriado e como sua carreira mudou radicalmente por influência da série. Ainda, o ator destaca a beleza e mistério que envolve a narrativa de Arquivo X, e porque, ainda hoje, se destaca com uma das produções televisivas mais memoráveis da história.


MINHA OPINIÃO

Falar sobre Arquivo X para mim é algo que envolve muita emoção. Eu sempre ouvia muitas pessoas falando sobre a série, mas nunca tinha assistido. Até 2014, quando decidi ver. Mal sabia eu que ali nasceria uma relação de muito amor. Uma das primeiras coisas que me atraiu para o seriado foi o fato de abordar os temas de vida inteligente fora da Terra e conspiração alienígena. Sempre fui apaixonado pelo assunto ‘ET’, então foi atração imediata. Na sequência, a série trata de investigações policiais e suspense, outros dois temas que eu gosto muito.

Sendo assim, quando “descobri” esse livro, não pensei duas vezes: eu queria lê-lo. Foi o primeiro livro de contos em toda a minha vida e posso dizer que foi uma experiência muito legal. Não só pelo fato de apresentar histórias diferentes, mas porque a ordem em que eu lia não interferia nos outros contos. Logo, busquei ler primeiramente os contos mais relacionados à alienígenas e viagens espaciais.

“Quer saber o que acontece a seguir? Quer saber o que o Homem do Cigarro está planejando? Quer saber a verdade sobre o governo e os alienígenas? Eu vi o futuro, mais isso vai custar caro”.

arquivox_2

Caso alguém não recorde, ou não conheça a série, farei um breve resumo. A história é sobre dois agentes especiais do FBI, Fox Mulder e Dana Scully, que trabalham em uma subdivisão de investigação denominada Arquivos X. Essa subdivisão é especializada em reabrir e investigar casos que foram considerados sem explicação pelo FBI. Porém, o setor é visto como piada por todos, e muitos consideram Fox como louco. Para tentar desacreditar o seu trabalho, Dana Scully foi recrutada para fazer uma avaliação científica de cada passo dado por Mulder, já que ela era cética em relação à ovnis, eventos paranormais, mutações, etc. Entretanto, após vários anos de trabalho nos Arquivos X, Dana presenciou muitos eventos sem explicação, e grande parte do seu ceticismo é substituído pela dúvida; pela incerteza de que tudo tem uma explicação. Os Arquivos X mudaram a sua percepção sobre o que sabia do mundo.

Um detalhe muito bem preservado pelos contos foi a personalidade dos personagens durante a cronologia das histórias. Nas tramas que são ambientados entre 1993 e 1997, vemos um Fox Mulder que beira a paranoia, enquanto temos uma Dana bastante cética e que o tempo todo busca dar uma explicação plausível para o que presencia. Quando não conseguia encontrar uma explicação, se sentia impotente, da mesma forma como acontecia no seriado da TV. Às vezes, simplesmente parava de tentar encontrar uma explicação, já que a falta de respostas a perturbava.

Já nos contos que se passam posterior a essas datas, ou seja, nos contos que seguem os personagens pelos anos de 1999, 2005 até próximo a 2011 vemos o oposto de suas personalidades. Após uma longa jornada de busca pela verdade sem sucesso (ou quase sem sucesso), Mulder se torna descrente de suas antigas convicções, desmotivado em alguns casos  e até mesmo cético diante de alguns fatos. Já Dana, agora se mostra mais flexível, propensa a acreditar no que antes ela julgava ser loucura. De fato, esse equilíbrio entre os dois personagens sempre foi, ao meu ver, um dos pontos mais altos da série.

“É por isso que eu queria falar com o agente Mulder. Eu sabia que ele era o único que acreditaria em mim.”

O livro é bem dosado em seus temas. Há os contos mais voltados para o suspense, como o ‘Chamado após a morte‘ e ‘Quando as vacas voltam para casa‘. Outros, como ‘Unidade de Tempo‘, além de explorarem o lado sci-fi da série, também induzem o leitor a debater sobre dilemas morais e éticos. Neste conto em especial, um homem que alega ter vindo do futuro pretende destruir os projetos da construção da máquina do tempo, já que segundo ele, isso trouxe mais desgraça ao mundo do que benefícios. Nesse ponto Mulder reflete sobre as ações gananciosas e doentias do ser humano em sua constante busca pelo poder.

Também não posso deixar de mencionar alguns contos que são cômicos na medida certa. O conto ‘Piloto‘ trata da vida dos personagens Mulder e Scully que descobrem, de forma indireta, que em um universo paralelo, suas vidas compõem um seriado de TV chamado ‘Arquivo X’. É engraçado porque no começo os protagonistas pensam se tratar de uma brincadeira de seus colegas do FBI, até que Mulder começa a questionar a veracidade disso, e ainda indaga se, de fato, em um outro mundo, nossas vida não sejam apenas roteiros e que nossas ações, por mais conscientes que sejam, já não tenham sido planejadas.

De todos os contos, o que eu mais gostei pela forma como foi construído é o Rosetta. Esse conto se baseia no caso real do envio da sonda Rosetta, que tinha como missão estudar um cometa que estava passando próximo à órbita de Júpiter. Porém, algo deu errado na missão, a sonda ficou inoperante por 31 meses e, depois que voltou a funcionar, a missão foi encerrada de modo brusco, e a sonda acabou sendo destruída. A explicação real dada é que a sonda pousou em uma região que não era iluminada pelo Sol e por isso, a sonda ficou sem energia. Já o conto explorou outra possível explicação, claro, aos olhos de Fox Mulder. Na história, tanto a escolha do nome Rosetta (em homenagem à Pedra de Roseta, que continha uma das formas mais antigas da escrita egípcia) quanto a forma prematura como a missão foi encerada teria relação com um contato com uma forma de vida inteligente.

“Se realmente encontraram alguma coisa lá em cima, na fronteira do sistema solar, por que esconder o que poderia ser a mais importante e estimulante descoberta da história, algo que poderia poderia justificar seus orçamentos, que faria deles o foco da atenção do mundo?”

No conto, Mulder e Dana recebem informações de um informante secreto de dentro da ESA (Agência Espacial Europeia) que alegava ter provas do contato com a outra forma de vida. Simultaneamente, Mulder acaba presenciando um eventos sobrenatural, onde uma entidade ou ser obscuro faz uma espécie de contato com ele. Ele não se recorda de como ou quando o contato aconteceu, pois aparentemente entrou em transe, conforme contou Dana depois, mas ele concluiu que não era coincidência o contato e a falha da sonda. Para Mulder, havia uma explicação bem visível: todos esses eventos eram sinais de que haviam de fato entrado em contato com uma forma de vida inteligente no espaço. Porém, essa forma de vida não queria que o ser humano fosse além de sua capacidade mental de compreender as coisas. Ainda que Dana acredite que tenha sido só uma peculiaridade da missão, Mulder questiona se realmente encontrarmos vida em outro planeta ou lugar do espaço, vamos estar preparados para aceitá-la ou compreendê-la? Nossa busca incansável seria desespero ou sede de conhecimento?

arquivox_5

O trabalho feito pela editora neste livro está espetacular.  As folhas são levemente amareladas e a tipografia está bem apresentada. A diagramação também é um ponto muito positivo do livro e a leitura flui de forma tranquila e suave. Dá para ler um conto por dia, ou o livro todo em um dia só, se assim for o desejo. No meu caso, li durante um mês, lendo um conto ou dois por dia. O visual de cada início de capítulo também está muito legal, com o cabeçalho da página tendo o nome da história bem destacado, nome do autor, além do detalhe transversal dos rostos dos personagens. No final do livro, após os contos, há uma seção que conta um pouco sobre o autor de cada conto, sua experiência com a série e contatos. É uma edição bem caprichada e bonita.

Arquivo X é uma série que ainda tem muito a nos contar e fiquei muito feliz em ver que, mesmo após 14 anos, a essência da série – que foi sensação nos anos 90 e que até hoje é amada por milhares de fãs – se manteve intacta, apenas se atualizando com os acontecimentos atuais. Sem dúvida é um grande presente para todos os fãs da série, e acredito que também será para quem não a conhece, mas que gosta de suspense e de conspirações governamentais. Porque acreditem, enquanto Fox Mulder e Dana Scully existirem, seja na TV, em livros ou em nossas memórias, vamos continuar buscando a verdade, pois ela continua lá fora. E um dia, encontraremos.

ARQUIVO X: A VERDADE ESTÁ LÁ FORA

Autor: Jonathan Maberry

Editora: Ornitorrinco

Ano de publicação: 2016

Como os grandes clássicos que nunca morrem, Fox Mulder e Dana Scully estão de volta em uma inédita e eletrizante coletânea de contos repletos de mistérios, segredos obscuros, visitas alienígenas e psicopatas assassinos. Selecionadas pelo premiado editora Jonathan Maberry, da lista do jornal The New York Times, e autorizadas por Chris Carter, o criador da série X-Files, este livro traz histórias de alguns dos melhores escritores e roteiristas de suspense da atualidade, reavivando a inesquecível e hipnotizante atmosfera do seriado cult que conquistou centenas de milhares de fãs ao redor do mundo nos anos 1990. Esta edição traz uma introdução escrita pelo ator Dean Haglund, o personagem Langly do seriado.

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.