As Histórias de Liane Moriarty

Liane Moriarty é um dos grandes nomes do suspense de drama do momento e aposta da editora Intrínseca no Brasil. Desde o lançamento de Pequenas Grandes Mentiras e o estouro da autora, três novas publicações chegaram aos leitores brasileiros e são elas que eu vou listar abaixo, caso você ainda não as conheça.

Eu fiquei super empolgada para conferir outros títulos da Moriarty depois da leitura do último lançamento dela que é O Que Alice Esqueceu, que já saiu resenha por aqui. E, depois de ter ouvido muitas maravilhas sobre a série de TV da HBO, minhas expectativas apenas aumentaram.

Então, caso o nome de Liane seja uma novidade pra você, seguem abaixo os títulos da autora publicados até o momento:

Um assassinato, um trágico acidente ou apenas adultos se comportando como crianças? O fato é que alguém morreu.

Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentiras, acompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular. Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de como isso afetará a vida de todos. Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro.


Imagine que seu marido tenha lhe escrito uma carta que deve ser aberta apenas quando ele morrer. Imagine também que essa carta revela seu pior e mais profundo segredo — algo com o potencial de destruir não apenas a vida que vocês construíram juntos, mas também a de outras pessoas. Imagine, então, que você encontra essa carta enquanto seu marido ainda está bem vivo… Cecilia Fitzpatrick tem tudo. É bem-sucedida no trabalho, um pilar da pequena comunidade em que vive, uma esposa e mãe dedicada. Sua vida é tão organizada e imaculada quanto sua casa. Mas uma carta vai mudar tudo, e não apenas para ela: Rachel e Tess mal conhecem Cecilia — ou uma à outra —, mas também estão prestes a sentir as repercussões do segredo do marido dela. Um romance emocionante, O segredo do meu marido é um livro que nos convida a refletir até onde conhecemos nossos companheiros — e, em última instância, a nós mesmos.


Amigas de infância, Erika e Clementine não poderiam ser mais diferentes. Erika é obsessivo-compulsiva. Ela e o marido são contadores e não têm filhos. Já a completamente desorganizada Clementine é violoncelista, casada e mãe de duas adoráveis meninas. Certo dia, as duas famílias são inesperadamente convidadas para um churrasco de domingo na casa dos vizinhos de Erika, que são ricos e extravagantes. Durante o que deveria ser uma tarde comum, com bebidas, comidas e uma animada conversa, um acontecimento assustador vai afetar profundamente a vida de todos, forçando-os a examinar de perto suas escolhas — não daquele dia, mas da vida inteira. Em Até que a culpa nos separe, Liane Moriarty mostra como a culpa é capaz de expor as fragilidades que existem mesmo nos relacionamentos estáveis, como as palavras podem ser mais poderosas que as ações e como dificilmente percebemos, antes que seja tarde demais, que nossa vida comum era, na realidade, extraordinária.


Alice tinha certeza de que era feliz: aos 29 anos, casada com Nick, um marido lindo e amoroso, aguardando o nascimento do primeiro filho rodeada pela linda família formada por sua irmã, a mãe atenciosa e a avó. Mas tudo parece IR por água abaixo quando ela acorda no chão da academia. Dez anos depois. Enquanto tenta descobrir o que aconteceu nesse período, Alice percebe que se tornou alguém muito diferente: uma pessoa que não tem quase nada em comum com quem ela era na juventude e, pior, de quem ela não gosta nem um pouco. Ao retratar a vida doméstica moderna provocando no leitor muitas risadas e surpresas, Liane Moriarty constrói uma narrativa ao mesmo tempo ágil e leve sobre recomeços, o que queremos lembrar e o que nos esforçamos para esquecer.


Pelo que pude notar da autora, sua forma de escrita nos conduz por uma narrativa que esconde sim algum mistério, mas há tão mais acontecendo nas entrelinhas da vida daqueles que estão presentes na história, que isso acaba ficando em segundo plano e nem sendo a coisa mais importante do título. Isso é super interessante porque faz com que o leitor reflita além da problemática central da história.

Com personagens marcantes e muito humanos, seja pelo lado positivo ou negativo, mas em sua essência pessoas que tem muitas facetas e camadas, a autora nos apresenta histórias muito próximas da realidade, por mais que nunca tenhamos passado pela situação em si. Há um pouco de cada um de nós nos detalhes das personagens apresentadas, e essa identificação acaba gerando um novo olhar sobre as situações apresentadas e, consequentemente, uma nova sensação com relação à história.

E vocês, já leram algum livro da autora? Qual é o seu preferido?

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.