fbpx

As Mil Partes do Meu Coração – Colleen Hoover

As Mil Parte do Meu Coração é um romance young adult, da autora Colleen Hoover, publicado em 2018 pelo selo Galera, da editora Record.

SOBRE O LIVRO

De todas as família no mundo, a de Merit Voss é mais esquisita. Eles moram em uma antiga igreja, que mesmo sendo ateu, o pai de Merit comprou por ser grande o suficiente e caber a família inteira, composta por Merit e sua irmã gêmea. Seu irmão mais velho, seu pai, sua mãe, seu meio irmão e também sua madrasta. E o que é melhor, ainda tem um porão equipado com cozinha, banheiro e dormitório, uma pequena “casa” para a mãe de Merit, que há anos tem fobia social e não sai de casa. E sua doença só têm enquanto estava em tratamento para o câncer e seu marido à abandonou para ficar com sua enfermeira, que por ironia tem o mesmo nome que ela, Victoria.

Já faz um bom tempo que Merit não se sente amada por sua família. Muitas coisas aconteceram e cada vez mais ela percebe que é deixada de lado, tanto que ela acredita que se por um acaso morresse, ninguém sentiria a sua falta. Pensando assim, ela resolve deixar de ir à escola para ver até quando alguém em sua casa, porque amigos ela não tem, vai perceber sua presença. Mas ela tem certeza que isso não vai acontecer, portando ela sai em busca de um troféu novo, pois é assim que ela se sente um pouco melhor. Comprando um troféu a cada vez em que as coisas não vão bem. E é nesse momento que ela conhece Sagan, o cara que teria lhe dado o melhor momento de sua vida, se não a tivesse confundido com sua irmã Honor.

“Às vezes a curiosidade me consome tanto que quero perguntar a eles a hora exata em que os dois começaram a estragar a vida da minha mãe. Mas isso significaria que íamos discutir abertamente um segredo e, nesta família, não fazemos isso. Enterramos nossos segredos numa sepultura mais funda do que aquela na qual Victoria quer que minha mãe caia.”

Há anos Mer vêm guardando segredos de sua família. É como se eles só a enxergassem para despejar seus problemas, o que está tudo certo já que ela não tem proximidade com ninguém, então não existe risco de alguém ficar sabendo. E quanto mais pressionada ela fica com tantas coisas dentro de si, mais coisas acontecem. E agora se já não bastasse toda a família ridícula que ela tem, por algum motivo Sagan está morando em sua casa e também o irmão de sua madrasta. Mais gente significada mais segredos para guardar. O problema é que Merit está saturada e a ponto de explodir.


MINHA OPINIÃO

Campeã em publicações, Colleen Hoover vem lançado livros a todo momento, e eu como amante do gênero porém com ressalvas à autora sempre fico com um pé atrás quando se trata de ler ou não um livro dela. Isso porque das minhas três experiências passadas eu me desapontei com as histórias que encontrei. A autora tem como hábito romantizar coisas sérias e isso me incomoda um pouco. Porém, quis dar mais uma chance, e mesmo que aqui também tenhamos o “tal” do romance e assunto sério, e desta vez ela soube trabalhar muito bem. Sem precisar ter um final 100% feliz para termos uma boa história.

Depressão é um tema que me chama muito a atenção. Gosto de estar sempre lendo sobre o assunto. Afinal, quando você já passou por isso e conhecia alguém próximo que se foi por conta dessa doença, é impossível não ficar interessado no assunto. E esse é o enredo de As Mil Partes do Meu Coração. Mesmo que a autora não deixasse bem claro que Merit tem essa doença, é evidentemente perceptível, ao longo de tudo o que está acontecendo com ela, que ela precisa de ajuda. Mas, como a grande maioria das pessoas, Merit não pede ajuda. Ela vai se destruindo aos poucos. Começando pelo distanciamento da família, deixando de ir à escola, e não dando importância a absolutamente nada ao seu redor. E mesmo que ela não tenha dito “preciso de ajuda”, esses hábitos são sim um pedido de socorro.

Muitas vezes é difícil entender como a pessoa chega a um caminho sem volta. Mas aqui, a autora nos apresenta a uma protagonista que já está com um bagagem bastante cheia de ressentimento. E vamos vendo essa bagagem encher cada vez mais, até que finalmente ela explode. E aí para Merit a vida já não faz mais sentido e não importa mais a sua existência. E toda essa descrição que a autora faz, de todo o trajeto que uma pessoa depressiva tem, é totalmente assustador e de uma emoção profunda. Como leitora, estava de mãos atadas e impossibilitada de fazer qualquer coisa, quando tudo o que queria era abraçar Merit bem forte. E o fato de a família não enxergar a tragédia que está acontecendo em torno de Mer, só me deixou mais deprimida ainda. A única pessoa que percebe, é um completo estranho, irmão de sua madrasta que acaba de se mudar para a residência dos Voss, um cara esquisito, mas que já passou por isso, portanto, o único que pode dar uma esperança a Merit.

“Estou cansada de dizer coisas que ninguém se importa. Vou parar de falar e, assim quando abrir a boca, minhas palavras terão peso. Agora, parece que sempre que falo, minhas palavras dão a volta e retornam para a minha boca como um bumerangue, e sou obrigada a engolir o que disse.”

Contudo a depressão não é o único tema abordado aqui. Victoria, mãe de Merit tem fobia social. De jeito algum ela sai de casa, criando um lar para si mesma no porão da residência, não saindo nem mesmo para dentro da própria casa. Tudo começou quando estava grávida das gêmeas e ela sofreu um acidente, desde então seu pavor de sair na rua se tornou real, e esse medo fez com que ela perdesse o casamento, seus filhos, sua vida. No entanto, esse tema é um tanto maquiado por conta dos problemas de Merit, e o aprofundamento não acontece, nos deixando com bastante dúvidas sobre o assunto. Assim como os problemas de Sagan. Pois ele não é uma pessoa “normal” e aos poucos vamos entendo porque e o que aconteceu com ele e com sua família. Achei interessante o tema escolhido pela autora para os problemas dele, porém também não foram aprofundados.

Mesmo que o foco do enredo seja em torno da depressão de Merit, é difícil deixar esses dois pontos de lado, e a escolha da autora de aborda-los mas não desenvolvê-los com mais afinco não há como ignorar. E infelizmente foram os pontos negativos que encontrei em As Mil Partes do Meu coração, juntamente com personagens como o pai de Merit e sua madrasta que não possuem características marcantes, sendo impossível classificá-los como bons ou ruins. Por outro lado, a depressão é muito bem desenvolvida, e encontramos até mesmo uma lista de sinais a ficar de olho, como o distanciamento, falta de sono e apetite, dentre outro.

É uma leitura importante, porque não temos aqui apenas mais uma história de amor, mas sim superação, aceitação e desenvolvimento pessoal. É uma leitura indicada não somente para quem sofre da doença, mas principalmente para quem não, para que possa saber enxergar os pedidos de socorro de alguém que pode não ter coragem de gritá-los.

AS MIL PARTES DO MEU CORAÇÃO

Autor: Colleen Hoover

Tradução: Ryta Vinagre

Editora: Record

Ano de publicação: 2018

Autora best-seller do New York Times aborda relacionamentos e transtornos mentais em uma narrativa que discute os limites do que é normal. Para Merit Voss, a cerca branca ao redor da sua casa é a única coisa normal quando o assunto é sua família, peculiar e cheia de segredos. Eles moram em uma antiga igreja, batizada de Dólar Voss. A mãe, curada de um câncer, mora no porão, e o pai e o restante da família, no andar de cima. Isso inclui sua nova esposa, a ex-enfermeira da ex-mulher, o pequeno Moby, fruto desse relacionamento, o irmão mais velho, Utah, e a gêmea idêntica de Merit, Honor. E, como se a casa não tivesse cheia o bastante, ainda chegam o excêntrico Luck e o misterioso Sagan. Mas Merit sente que é o oposto de todos ali. Além de colecionar troféus que não ganhou, Merit também coleciona segredos que sua família insiste em manter. E começa a acreditar que não seria uma grande perda se um dia ela desaparecesse. Mas, antes disso, a garota decide que é hora de revelar todas as verdades e obrigá-los a enfim encarar o que aconteceu. Mas seu plano não sai como o esperado e ela deve decidir se pode dar uma segunda chance não apenas à sua família, mas também a si mesma. As mil partes do meu coração mostra que nunca é tarde para perdoar e que não existe família perfeita, por mais branca que seja a cerca.

Colaboradora do Resenhando Sonhos.

25 anos, Técnica em Química e apaixonada por livros desde que me conheço por gente!