Baladas Proibidas – Gabriel Godoy & Bolívar Torres

Baladas Proibidas é um relato de Gabriel Godoy organizado por Bolívar Torres e lançado pela Record em 2017.

Sobre o livro

Gabriel Godoy era um jovem comum de uma cidade do interior. Com poucos recursos e sem muita visão de um futuro ele não queria permanecer naquela cidade. Com uma população pequena e poucas formas de ganhar dinheiro ele resolve ganhar o mundo e sai para a cidade de São Paulo com apenas 200 reais na carteira e muitas esperanças de “ser alguém na vida”. Em 2007 ele toma a decisão que irá mudar a sua vida.

É na praia de Maresias que Gabriel consegue um emprego e também conhece Lucca, que é quem o apresenta ao mundo das drogas. Seu amigo vende ecstasy e rapidamente Gabriel se vê envolvido nesse mundo de festas e luxúria onde drogas e bebidas correm liberadas. Um mundo de glamour, ostentação e possibilidades. Ele passa a vender na primeira festa que vai e fica encantando com o dinheiro fácil que consegue.

“Como um comprimido de ecstasy comprado na noite, o relato memorialístico nunca é 100% puro. Mas pode nos levar a experiências intensas e inexploradas.”

Ele passa a ser conhecido e em pouco tempo consegue adquirir o seu papel de destaque junto aos grandes vendedores e traficantes. Com um grande tino para os negócios e uma mente aguçada, Gabriel vira um dos maiores vendedores de ecstasy. Nesse caminho ele conhecerá muitas pessoas que serão suas aliadas ou inimigas, dentre elas Mel que mexerá com ele e será importante durante todo o seu percurso. Dentre seu trajeto descobriremos o lado mais sujo das autoridades, o quanto a alta sociedade está envolvida nesse meio e no quanto o dinheiro fácil e o perigo caminham lado a lado.


Minha opinião

Surreal é a palavra que define esse livro. Esqueça quase tudo que você já ouviu sobre drogas e o tráfico. O livro dividido em duas partes começa contando a história de um jovem que saiu de uma pequena cidade e conquistou o mundo do tráfico ganhando muito dinheiro em pouco tempo e termina com o desmantelamento dessa vida fácil. Por se tratar de uma história real tudo parece muito mais chocante. No conforto das nossas casas e do nosso mundinho pacato nem imaginamos que paralelo a isso existe um universo tão diferente com regras completamente distorcidas e onde quem manda são as drogas.

Encontramos durante a leitura diversos dilemas e conflitos e uma visão completamente diferente do mundo. Um jovem que não tinha nada conquista o mundo vendendo “momentos de felicidade” para outras pessoas. O tráfico e a venda de drogas sob outra perspectiva. Além de nos mostrar o quanto as drogas circulam livremente dentro dos presídios e que é só “molhar a mão” das pessoas certas para tirar proveito de cada situação. A realidade nua e crua é jogada na nossa cara a cada virada de página.

“Só que eu me perguntava: o que é ser alguém na vida? Um cara com um diploma do segundo grau batendo ponto no melhor mercado da cidade ou como gerente em algum restaurante fino?  […] Eu tinha ambição, sonhava em seguir meu próprio caminho.”

A construção de um jovem ambicioso do interior até virar o rei do ecstasy é cheia de perigos e viradas de jogo. Ele próprio começa relatando a sua história, de maneira direta e sem rodeios, com gírias e uma linguagem coloquial. Passamos a entender seus sonhos e medos. O que o moveu a agir dessa forma. Os conflitos internos que ele enfrentou e o quanto foi fácil essa adaptação, pelo menos para ele.

Observamos que além da sorte, Gabriel também era muito bom para os negócios, tinha um espírito empreendedor e vendia muito bem. Ele ficou tentado com a sensação de ganhar uma nova vida, ser importante, ser alguém. Ele se reinventava a cada nova oportunidade que surgia. Todas as possibilidades que foram negadas na sua cidade natal, mostraram-se muito maiores no mundo das drogas sintéticas. Ele muda seu visual e estilo de vida. Se infiltra facilmente no mundo da alta sociedade, pois possui grande facilidade de adaptação.

“A ficha finalmente caiu. Perto daqueles bandidos, ele não era ninguém. Apenas um garoto ingênuo e deslumbrado, vindo do interior. Vendia a droga do amor, um psicotrópico que só interessava a playboys e patricinhas. Passa os últimos meses se divertindo com jovens abastados, aproveitando a vida em festas e camarotes, e agora iria conviver com criminosos experientes, uma facção perigosa, temida no país inteiro. Tempos hostis se anunciavam, ele teria que se adaptar.”

Em muitos momentos fiquei chocada com o que lia. É meio estarrecedor saber que tudo isso acontece ao nosso redor e nem imaginamos. Um mundo diferente do convencional onde a droga é a lei. Durante a narrativa vemos Gabriel em diversas encruzilhadas onde pode deixar essa vida fora dos padrões para voltar a ter uma vida normal. Nunca sabemos qual será o seu próximo passo. Simplesmente não sabemos o que esperar sobre a sua história que se torna cada vez mais complexa. A adrenalina passa a ser o seu principal motivador.

Em mundo de reputação e aparências, Gabriel se envolve com outros tipos de drogas e com policiais corruptos que passam a ser grandes aliados. Compreendemos como o ecstasy chega no Brasil e o forte esquema de corrupção que existe por trás disso. Compreendemos como as diferentes tribos funcionam dentro de uma rave e como ele consegue circular por todas elas. Desde os playboys até os das antigas. O final me pegou de surpresa, pois não esperava esse desfecho. Essa história é um relato sobre a sua ascensão até à sua queda.

thumb_livro

4estrelasB

BALADAS PROIBIDAS

Autor: Gabriel Godoy e Bolívar Torres

Editora: Record

Ano de publicação: 2017

Baladas proibidas conta a história real de um jovem do interior de São Paulo que descobriu o universo das raves e das drogas sintéticas, virou traficante e se tornou o Rei do Ecstasy. Em uma vida que desafia a passagem do tempo, dia e noite deixam de ser referências, o prazer parece não conhecer limites e tudo é muito rápido, alucinante e superlativo – drogas, álcool, festas, sexo, carrões e iates em meio a mortes, prisões e extorsões. Neste livro, o comércio de substâncias proibidas não é aquele que interrompe a tiros a paz ilusória de nossas cidades ou que nos choca, à distância, pelos jornais e pela TV. Gabriel Godoy, o protagonista que relata sua história ao jornalista e escritor Bolívar Torres, poderia ser nosso filho, ou um primo ou sobrinho nosso, morador do subúrbio ou do interior.

É colaboradora do Resenhando Sonhos.
Natural de São Sepé, atualmente morando em Santa Maria.
Formada em Gestão da TI pela URCAMP e cursando Produção Editorial na UFSM.
Apaixonada por livros, Johnny Cash e cachorros.