Batman: Criaturas da Noite – Marie Lu

Batman: Criaturas da Noite é o segundo livro dentro das Lendas da DC, dessa vez escrito pela autora Marie Lu. A publicação é de 2018 pela Arqueiro.

Sobre o Livro

Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e aumentar ainda mais suas responsabilidades como único herdeiro do patrimônio de seus pais. Na noite da festa, chega ao local dirigindo seu novo carro, cheio das melhorias de segurança que vem sendo desenvolvidas pelas indústrias Wayne. Lá, porém, ele encontra um velho amigo que tem um favor a pedir e, mais uma vez, ele percebe o quanto o interesse o cerca.

Ai sair do local um pouco abalado, o garoto se vê em meio a uma perseguição policial e, rapidamente, percebe que os carros da polícia não são páreos para o dos bandidos. Mas, como ele está dirigindo um modelo avançado, pode dar conta do recado. Entretanto, a polícia não aprecia tanto assim o auxílio, e Bruce é condenado a prestar serviços em um local bastante sombrio: o Asilo Arkhan.

“No mundo real não existe isso de trapaça, Bruce. É simplesmente a vida”

Lá, limpando os corredores, uma prisioneira lhe chama a atenção: Madeleine. A jovem garota não está nem um pouco disposta a colaborar com a polícia, e não parece aos olhos de Bruce, assim tão perigosa. Quando ela retorna o interesse e interage com ele a polícia percebe uma oportunidade a ser usada, colocando o jovem Wayne em contato com uma das membros das Criaturas da Noite.


Minha Opinião

Depois de Mulher Maravilha: Sementes da Guerra, confesso que dei uma leve desanimada com essa série. Apesar de ter aproveitado o livro, não achei que a trama de Leigh Bardugo tenha feito jus tanto a personagem quanto a autora. Porém, o Batman é o meu personagem favorito do universo DC e é claro que eu iria dar uma chance para ver o que a Marie Lu iria aprontar. E, felizmente, esse livro me trouxe uma experiência melhor que o primeiro.

Além da narrativa ser bem mais fluída e o livro menor, a história apresentada aqui fica bem distante das últimas memórias que eu tenho o personagem ou da minha era favorita. O meu Batman preferido é o de cavaleiro das trevas, quando ele já está mais velho e luta não só com os bandidos mas com as sombras de sua alma. Quando eu li Mulher Maravilha, fazia bem pouco que tinha saído o filme e muito do livro repete partes do que eu a pouco tinha visto, o que instantaneamente gera comparações.

Aqui, porém, como temos um Batman super jovem, baixei a guarda e resolvi aproveitar a história colocando mais da ingenuidade de um garoto que ainda não se tornou o temível herói e que a única sombra que lhe persegue é a da morte dos pais. O resultado foi poder aproveitar mais a trama, que novamente tem um tom bem adolescente, como já era previsto e que no meio das tramas apresentadas também tem suas pitadas clichês e de romance.

“Em toda história de mistério que ele já lera a polícia sempre ficava um passo atrás do herói.”

A questão é que mesmo sabendo mais ou menos onde tudo aquilo vai dar, ainda é possível imergir bem na história e voar pelas páginas, o que é sempre algo positivo. Também temos os primeiros passos de Bruce em direção ao seu alter ego, suas descobertas ao perceber que é possível sim fazer mais e que a fortuna que o cerca pode lhe proporcionar os meios para realizar feitos além de ser apenas o homem de negócios que se espera dele (ou o garoto inconsequente).

A única coisa que me incomodou um pouco foi o excesso de ingenuidade que por vezes o personagem apresenta. Ela é rico, jovem e bonito. Não é possível que nunca tenha ganhado a atenção de uma garota. Mas é o que parece quando ele está perto de Madeleine, que obviamente também é bem atraente e acaba mexendo com ele mesmo sendo uma criminosa. Em contra partida, gostei de ver que ele tinha amigos de verdade em quem se apoiar, e não apenas aqueles que o cercavam por interesse.

A proposta da história, assim como grande parte do universo Batman é mostrar a parte suja das pessoas e da sociedade, e aqui o foco se mantém. As Criaturas da Noite tem um objetivo e isso vai, de várias formas, se confrontar com o nosso herói, mesmo ele ainda não sendo quem um dia virá a ser.

Como já deu para perceber, essa foi uma experiência muito melhor e agora estou mais empolgada para o próximo livro, que sai ainda esse ano, e vem assinado por ninguém menos do que Sarah J. Maas. Ela dará vida à Mulher Gato, uma personagem que eu acho que é bastante negligenciada dentro do universo, principalmente nas adaptações que foram feitas para cinema.

Então, se você estava em dúvida sobre ler o livro, acho que vale a pena, levando em consideração que é um young adult e que mantém esse tom. Também acho que vale a pena ressaltar que ele é completamente independente de Mulher Maravilha e eles podem ser livros separadamente sem nenhum problema.

BATMAN: CRIATURAS DA NOITE

Autor: Marie Lu

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2018

Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade.
Lá ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência.
Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.