Bem atrás de você – Lisa Gardner

Bem atrás de você é um livro da autora Lisa Gardner, sua publicação é de 2018 pela Gutenberg.

Sobre o Livro

Álcool, drogas, violência física, verbal e psicológica fazem parte do cotidiano da família de Telly.  Aos nove anos tudo o que ele quer fazer é cuidar da sua irmãzinha Sharlah, de cinco anos, alimentá-la e contar histórias com finais felizes na segurança da biblioteca… Porque ficar em casa deve ser sempre a última opção e ele sabe disso. O ambiente abusivo fica cada vez pior quando os pais estão fora de si, o que vem se repetindo com cada vez mais frequência, até que algo  terrível acontece e Terry, uma criança, se vê na posição de tomar uma decisão que não cabe a um garotinho. Que não deveria ser opção para ninguém.

“Os progenitores apareciam cada vez menos para cozinhar, limpar, trabalhar. Cada vez mais para brigar, gritar, berrar. Mamãe arremessando pratos de plástico pela cozinha. Papai socando a parede barata de placa de reboco. Então ambos enchiam a cara de mais vodca barata e começava tudo de novo.”

Afastado da irmã por oito anos, Telly agora se encontra em uma situação ainda pior. Acusado de cometer uma série de assassinatos o jovem passa a ser perseguido pela polícia, que o considera um assassino impulsivo, ou seja, uma espécie de bomba relógio pronta para explodir a qualquer momento. Sua motivação não é clara e seu passado complicado deixa as autoridades envolvidas esperando pelo pior. É por isso que Pierce Quincy, um ex- agente do FBI e especialista em trabalhos desse tipo,  é convidado para traçar o perfil psicológico e ajudar a polícia a deter o criminoso. O que deveria ser apenas mais um trabalho acaba se tornando uma caçada pessoal, pois Telly é irmão de sua filha adotiva… Que agora tem um alvo desenhado no meio das costas.

Trabalhando junto com as autoridades, Quincy e sua esposa Rainie entram em uma corrida contra o tempo afim de  impedir que novos crimes sejam cometidos pelo jovem, mas acima de tudo, manter Sharlah em segurança. O que eles não esperam é que a menina, que também guarda segredos do passado, acredita que é a única pessoa capaz de parar o irmão.


Minha Opinião

Sem fôlego, foi assim que me senti durante praticamente toda a leitura deste livro. Confesso que comecei sem grandes expectativas, principalmente depois de descobrir que este é o sétimo livro dá série! Como assim começar pelo sétimo? Foi o que aconteceu, principalmente porque embora a autora tenha outros livros publicados por aqui, Bem atrás de você é o único que aborda as aventuras de Quincy e Rainie e o primeiro que vem pela editora Gutenberg. Então iniciei com o pé meio atrás, acreditando que o fato de ser jogada no meio de uma história me impediria de entender todo o contexto e por conta disso poderia não conhecer realmente os personagens. Ah, eu estava enganada. E como foi bacana perceber isso.

A história começa de maneira totalmente impactante, e já no primeiro capítulo temos uma noção do que nos aguarda. É forte, é cruel, é tensa e isso só fez minha atenção ficar totalmente focada em todas as possibilidades que surgiriam a partir dali. Uma família completamente desajustada (e muito real) nos é apresentada. Um crime aconteceu, uma criança foi moralmente julgada e a sentença foi carregar, para o que parecia ser o resto da vida, um estereótipo de garoto problema. Violento.  Incapaz de sentir emoções e, por consequente, com grandes possibilidades de tornar-se um sociopata. O que achei curioso foi que, embora a imagem de Telly fosse pintada exatamente desta forma, lá no fundo, um pontinha de dúvida foi plantada na minha cabeça. Eu me perguntava, será? Será que viver em um lar completamente disfuncional é o suficiente para transformar de maneira tão incorrigível a vida de alguém?

“O garoto vai reaparecer. Ou porque precisa de suprimentos, ou em busca de vingança, ou atrás seja lá do que for, não faço ideia. Mas de um jeito ou de outro, veremos Telly Ray Nasdh novamente. A única pergunta é, o que isso vai nos custar?”

Para praticamente todos os personagens a resposta para essa questão seria sim. Principalmente depois de quatro assassinatos cruéis; ainda mais quando o garoto se deixou ser filmado na cena do crime e olhou diretamente para a câmera, completamente sem emoção; atitude que só corrobora com a imagem que se tem dele. Até que Quincy e Rainie começam a esmiuçar passado, presente e provável futuro do jovem procurado. Transtornos de personalidade e de comportamento se mostram presentes. A imprevisibilidade de alguém que não tem nada a perder dá o tom da narrativa, que segue de maneira frenética do início ao fim. A gente se sente no meio da caçada, ora presa, ora predador. Isso porque a narrativa mostra ao leitor diversas perspectivas e em tempos distintos.

Em primeira pessoa acompanhamos o olhar de Sharlah, sentimos sua insegurança ser transformada na convicção de que ela precisa parar o irmão. Acompanhada de seu cão de guarda, vemos a jovem olhar para o presente e nos mostrar que, embora tenha tão pouca idade, é surpreendentemente inteligente. Brilhante até. O medo não é capaz de pará-la e acaba se tornando um excelente motivador. Ainda em primeira pessoa, temos vislumbres do passado de Telly, através das lembranças que o jovem compartilha conosco.

A dor, o remorso, a dificuldade de seguir em frente carregando o peso das escolhas que fez e a necessidade de provar que, de fato estão todos certos a respeito dele… Ou não. Para confundir ainda mais a nossa cabeça e nos deixar com a pressão alta, a autora ainda coloca diversas partes da história narradas em terceira pessoa, mostrando o ponto de vista de vários personagens secundários que inacreditavelmente conseguem ser tão complexos quanto os protagonistas.

Aqui os papeis de mocinho e bandido são reavaliados a todo instante. Nada é o que parece e todas as nossas teorias caem por terra quando chega o final. A tensão não passa em momento algum, e eu me vi tão envolvida com a narrativa que senti vontade de ler tudo o que Lisa Gardner já escreveu, só para saber se essa mulher é tão talentosa como me pareceu. Ela foi capaz de criar uma narrativa que é ao mesmo tempo cruel e humana, irônica, mordaz e divertida. Ela construiu personagens tão cheios de bagagem que não ter lido os livros anteriores para acompanhar seu desenvolvimento acabou deixando um gostinho amargo, ao mesmo tempo em que foi assertiva o bastante para permitir o mínimo de contextualização, de modo que começar a leitura por esse livro não seja um problema.

Achei incrível o cuidado que ela teve ao retratar diversas questões psicológicas, suas particularidades e como repercutem na vida de alguém. Achei fantástico como no meio de tanta dor, luta e teorias, ela ainda foi capaz de colocar dois personagens caninos com poderes de acalentar nossos corações.

Então, se  o que você busca é uma narrativa complexa, com personagens muito bem estruturados, com uma história totalmente crível e que avança num ritmo que não nos permite muito descanso, a recomendação deste livro é feita sem sombra de dúvidas. Virei fã dessa mulher e não vejo a hora de conhecer mais do seu trabalho.

BEM ATRÁS DE VOCÊ

Autor: Lisa Gardner

Editora: Gutenberg

Ano de publicação: 2018

Após uma tragédia que o separou por oito anos de sua irmã mais nova, Sharlah, o jovem Telly ressurge como o principal suspeito de uma onda de assassinatos.
Só uma pessoa é capaz de desenhar o perfil do criminoso: o hábil ex-agente do FBI Pierce Quincy, que é convocado para colaborar no caso. Mas seu envolvimento como pai adotivo de Sharlah pode obscurecer sua linha de raciocínio ou levá-lo para um emaranhado de pistas desconexas, mostrando que o caso pode ir muito além do que parece ser.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.