fbpx

Big Rock – Lauren Blakely

Big Rock é o primeiro livro da série Big Rock, da autora Lauren Blakely. O lançamento é de 2017 pela Faro Editorial.

Sobre o Livro

Spencer Holiday é um mulherengo assumido. Não no sentido pejorativo, que significa aquele tipo de cara que usa e joga fora. Não, ele é um mulherengo fofo, sincero e muito esforçado em satisfazer suas companheiras em todos os sentidos. O esforço não é observado somente em sua vida amorosa, Spencer vem de uma família abastada e não se aproveita disso para se transformar em um filhinho da mamãe, pelo contrário. Ele é um empreendedor nato e se orgulha muito de ter um negócio de sucesso ao lado da sua melhor amiga. O que ele não esperava é que precisaria fingir ser um bom rapaz de família, comprometido e querendo subir ao altar o mais rápido possível… Tudo isso para ajudar seu pai a fechar o negócio de sua vida.

Charlotte é a melhor amiga de Spencer. A outra mente brilhante por trás do próspero estabelecimento voltado para entretenimento, mais conhecido como o point para quem adora uma cerveja artesanal, atendimento impecável e preço nem sempre muito justo. Ela é totalmente focada no trabalho e acabou de sair de um relacionamento bem mais ou menos. Quando Spencer se torna o único empecilho para que o pai venda a empresa da família, ele precisa fingir para o comprador super conservador que é um respeitoso cara prestes a casar, e quem melhor para desempenhar este papel do que a mulher que compartilha com ele tantas coisas? Charlotte é engenhosa, confiável e extremamente inteligente. Esse namoro/noivado de mentira pode ser mais uma transação de negócios entre eles, onde todos saem ganhando.

“- Como é que você consegue se meter nessas roubadas?
– Quero acreditar que é por causa da minha inteligência e meu charme, mas neste caso pode ter sido a minha boca grande mesmo.”

Claro que não é bem assim que as coisas acontecem. Principalmente porque Charlotte tem uma risada tão gostosa, e um abraço tão quentinho (e outras partes também) que fica impossível não pensar nela ou querê-la por perto mais do que o apropriado. E Spencer? Ele tem o colo mais acolhedor do mundo e sabe ser aquele tipo de homem que tem a proporção exata entre cavalheirismo e sem-vergonhice; com um cheiro e um gosto tão enlouquecedor que é impossível não o querer por perto mais do que o aconselhável. O que fazer então, quando algo de mentira começa a se tornar a certeza mais verdadeira que eles têm? E que atitude tomar quando tudo o que eles conquistaram até agora ameaça se quebrar em um milhão de pedaços?


Minha Opinião

Nunca tinha lido nada da Lauren Blakely, mas embarquei nessa leitura simplesmente pelo fato da proposta ser de um romance leve, fofo e com uma pitada erótica. É muito comum essa receita dar certo, porém mais comum ainda é a gente encontrar uma história mais do mesmo, com aquele tipo de clichê que nos desperta uma vontade imensa de revirar os olhos e pensar ‘perdi meu tempo’. Este é sem dúvidas um livro clichê, mas não da forma mencionada acima e por vários motivos.

O primeiro deles é o ponto de vista masculino. Não sei explicar exatamente o motivo, mas eu costumo preferir histórias com a perspectiva do cara em livros assim. Não sei se porque eu, enquanto mulher, mais ou menos já sei o que esperar de alguém do mesmo sexo; ou porque desde Cinquenta tons de cinza e o excesso de Deusa Interior, minha paciência diminuiu muito no que diz respeito a tolerância de melindres – o que não acontece em todos os livros deste gênero, mas numa frequência tão alta que me angustia. A segunda razão é o fato de eu ter me apaixonado pela personalidade dos personagens. Os protagonistas são melhores amigos (ufa, não temos insta love!) e sem dúvidas essa relação já preestabelecida é o que permite que a narrativa se torne ainda mais encantadora.

“A notícia boa é que eu só preciso mentir por mais uns poucos dias. A notícia ruim é que Charlotte e eu só teremos mais uns poucos dias de compromisso falso.”

Temos aqui MUITO humor, um nível de nerdice que faz os olhos brilharem, e uma quantidade de fofura pouco encontrada em romances eróticos. A gente já gosta de cara do Spencer, porque ele é aquele tipo de cara com um coração de ouro, a idealização masculina com um toque cafajeste. A Charlotte também ganha nosso apreço porque é empoderada, inteligente e divertida, aquele tipo de mulher que poderia muito bem nos representar, sem aquela ideia inalcançável de perfeição e justamente por isso uma pessoa incrível.

Conforme eles colocam o plano em ação e a história vai se desenrolando, vamos nos apegando também aos personagens secundários (que terão suas próprias histórias nos livros seguintes). Em Big Rock o foco foi direcionado mais evidentemente para Harper, irmã de Spencer, uma mágica que trabalha em festas infantis e que não tem qualquer tipo de filtro; e Nick, melhor amigo do protagonista, um cartunista criador do super herói queridinho das mulheres. Aqui a gente já tem uma prévia do que esperar em Mister O, e de cara se apaixona pela história se nem mesmo conhece-la.

“Alguma coisa está acontecendo. Alguma coisa estranha, completamente desconhecida. Meu coração está falando uma língua que eu não compreendo, enquanto tenta me arrastar para a Charlotte.”

A autora me surpreendeu demais. Criou uma história clichê bem amorzinho e assim reforçou a ideia de que literatura erótica não precisa ter o sexo como foco para prender a atenção do leitor. A Blakely foi além, pegou uma receita conhecida e deu um toque bem assertivo ao deixar tudo muito leve e descontraído, de modo que a sensação que a gente tem é que está diante de uma tela assistindo a uma comédia romântica daquelas que deixa a gente com um sorriso nos lábios do começo ao fim. E quando a narrativa alcança o ápice e a gente chega na parte do grande conflito a ser resolvido, tudo acontece de maneira tão perfeitamente clichê que minha impressão ao ler foi de que não poderia ter sido de outro modo.

A gente pode até saber mais ou menos o começo, meio e fim da história, mas se encanta tanto e se envolve de tal maneira com todos os detalhes mostrados que é impossível desgostar do livro. Na verdade Big Rock promete ser aquela série queridinha, que a gente quer ler ansiosamente e reler depois, só para matar as saudades.

BIG ROCK

Autor: Lauren Blakely

Editora: Faro Editorial

Ano de publicação: 2017

A maioria dos homens não entendem as mulheres e Spencer Holiday sabe disso. E ele também sabe do que as mulheres gostam.
E não pense você que se trata só de mais um playboy conquistador. Tá, ok, ele é um playboy conquistador, mas ele não sacaneia as mulheres, apenas dá aquilo que elas querem, sem mentiras, sem criar falsas expectativas. “A vida é assim, sempre como uma troca, certo?”
Quer dizer, a vida ERA assim.
Agora que seu pai está envolvido na venda multimilionária dos negócios da família, ele tem de mudar. Spencer precisa largar sua vida de playboy e mulherengo e parecer um empresário de sucesso, recatado, de boa família, sem um passado – ou um presente – comprometedor… pelo menos durante esse processo.
Tentando agradar o futuro comprador da rede de joalherias da família, o antiquado sr. Offerman, ele fala demais e acaba se envolvendo numa confusão. E agora a sua sócia terá que fingir ser sua noiva, até que esse contrato seja assinado. O problema é que ele nunca olhou para Charlotte dessa maneira – e talvez por isso eles sejam os melhores amigos e sócios. Nunca tinha olhado… até agora.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.