Brigada dos Amaldiçoados – Albert Vaz & Vanessa Godoy

Escola de Magia: Brigada dos Amaldiçoados é o primeiro livro de uma série escrita a quatro mãos por Albert Vaz e Vanessa Godoy. É um lançamento de 2018 pela Universo da Literatura.

SOBRE O LIVRO

Em Campos do Jordão (SP), a Escola de Magia e Bruxaria ensina milhares de alunos a controlar e usar a magia para o bem. Prestes a ingressar no seu primeiro ano na EMB, Hector Saião já sabe o que quer ser quando se formar: um Prior, bruxos especializado em lutar contra bruxos das trevas. Mas muita de suas convicções serão alteradas após ingressar na escola. Logo que entra, ele se apaixona por Alma Damas, uma jovem misteriosa e ambiciosa e fiel seguidora de Petrus Romanov, outro jovem bruxo ainda mais ambicioso que ela. Em pouco tempos, os três se unem e se tornam muito respeitado entre os membros da Casa das Cobras.

“O medo é a única arma que o mundo tem para nos deter; sem isso ele estaria de portas abertas para as mudanças.”

Enquanto o amor entre Hector e Alma floresce, Petrus vai juntando cada vez mais seguidores e começa a disseminar o seu ávido plano: o de libertar o mundo bruxo do anonimato e subjugar todos os não-mágicos que ficarem no seu caminho. Hector não é favorável à ideia, mas ir contra Petrus é o mesmo que se tornar seu inimigo e perder sua paixão, Alma. Assim, a contra gosto o jovem bruxo se alia aos outros dois.

Porém, durante os anos em que vão desenvolvendo o plano e encontrando pistas de uma misteriosa profecia, Hector será confrontado com a perda, com a raiva e com a desilusão, bem como terá de fazer escolhas que mudarão para sempre sua vida. Conforme o garoto deixa a inocência para trás, um terrível mal se aproxima da Escola e em pouco tempo nem mesmo eles saberão lidar mais com as consequência de seus atos.


MINHA OPINIÃO

Qualquer leitor conhece – ou ao menos já ouviu falar – da saga bruxa mais popular dos últimos anos. Apesar de ter acabado em 2007 nos livros, e em 2011 no cinema, a magia trazida por Harry Potter continua a inspirar fãs mundo à fora. Como prova disso, em 2015, em Campos do Jordão, interior de São Paulo, foi inaugurada a Escola de Magia Brasileira (EMB), uma instituição real e que ensina “magia de verdade” para os alunos, fãs e curiosos.

Por ser toda inspirada em H.P., na EMB há quatro Casas, Floresta Proibida, seres místicos, aulas de poções, jogo de quadribol, etc. Ainda que não possa fazer referência direta aos personagens e nomenclaturas (devido à direitos autorais), não é difícil imaginar que deve ser uma aventura e tanto passar alguns dias imerso nesse mundo fantástico.

E com base nisso que os idealizadores da EMB, Albert Vaz e Vanessa Godoy resolveram dar vida à escola em uma história própria e recheada de enigmas. Brigada dos Amaldiçoados narra a trajetória de um aluno bruxo que passará por grandes provações, revelações do passado e dilemas morais, bem como fazer escolhas entre o bem e o mal. Diferente de Harry Potter, onde o personagem descobre não ser um trouxa depois de um tempo, nessa trama acompanhamos um menino bruxo de sangue puro desde a sua infância.

“Quando descobrirem sobre nós, a primeira coisa que farão será nos caçar. Eles não ficarão em casa, tremendo de medo de nós; eles pegarão tochas novamente e tentarão nos queimar em uma fogueira.”

Hector teve uma infância conturbada com seus pais, sendo que muitas vezes a família era acusada de magia das trevas, desgraça e outras coisas ruins. Por conta disso, Hector passou a morar com os avós bruxos, onde conseguiu ter um pouco de paz. Porém, quando entra na escola, muitas coisas acontecem à sua volta e isso acaba por perturbá-lo. Quando pensava em fazer algo bom, uma desgraça acontecia. Não demora muito para ele perder a fé na bondade e se voltar para o lado nebuloso e perigoso das magias proibidas.

Ao mesmo tempo temos Alma Damas. Essa jovem bruxa é misteriosa e um tanto quanto rabugenta de início, mas sua admiração por Romanov e paixão por Hector tornam ela mais agradável de conviver. Por ser uma legítima Serpente, ela sempre ambiciona estar à frente dos demais, no topo se possível. Fará qualquer coisa para ser notada e respeitada, e isso será um fator decisivo para se aliar com Petrus.

Já Petrus é um personagem bem estranho. Filho de russos e um tanto quanto arrogante, ele se mostra um grande calculista e oportunista. Sempre há boas frases na ponta da língua para convencer seus amigos a fazerem o que quer. Está sempre com um olhar de superioridade e possui extrema confiança em si mesmo. Para Petrus, não há nada no mundo bruxo mais importante que seu plano, e fará qualquer coisa para torna-lo realidade, independente das consequências.

“A Federação tem medo de ensinar aos alunos certas coisas e perder o controle. No fim das contas, é sobre isso que se trata: controle.”

A trama demora um pouco pra engrenar, mas quando começa a tomar forma, aí as páginas fluem melhor. O começo do livro nos introduz no mundo bruxo brasileiro e nos apresenta cada personagem, a escola, e mistérios que virão na sequência. Porém, a trama sai bastante dos eixos e ao chegar ao final do livro fica aquele ar de “mas o que foi que eu li afinal de contas?”.

Isso acontece porque a linha lógica se perde durante as suas páginas. Por exemplo, há uns dois ou três Deus Ex-Machina, ou seja, quando um personagem ou situação aparece e se resolve do nada, de modo súbito. Não há uma prévia introdução de que aquilo poderia acontecer, ou mesmo de que aqueles personagens em questão existam. Simplesmente eles “caem de paraquedas” no meio da trama quando é oportuno. Além disso, há pouca caracterização do mundo bruxo e de sua funcionalidade. Não dá pra sentir a magia desse universo (sem trocadilho).

Outro ponto também é que há muitas reviravoltas na trama, que no fim das contas acaba se tornando até previsível. Quando algo tá com um suspense grande de mais, já dava pra antecipar que ia acontecer algo diferente e pum!, uma reviravolta acontece. Pra mim, esse tipo de coisa só é bem vindo se de maneira lógica, não apenas para quebrar a linha narrativa e iniciar outra ponta. Sem falar que há umas coisas muito absurdas, como por exemplo, uma personagem em questão estar grávida há quase nove meses e ninguém ter percebido (em nenhum momento a personagem deu a entender que usou magia para esconder), ou mesmo um aluno novato ter mais conhecimento e poder do que um bruxo de longa data e altamente treinado.

“Não se culpe pelos problemas do mundo, Hector. Você não pode salvar o mundo todo sem morrer no final.”

O personagem Hector me incomodou bastante. Ele tem uma personalidade questionável e muito fácil de manipular. Se Alma falasse pra ele “vá e faz”, ele ia e fazia. Se Petrus falasse “durma”, ele dormia. Algumas poucas vezes ele contestava as decisões impostas pelos demais. Pode ser que a inspiração de Hector tenha partido de Harry Potter, que também era meio tonto em algumas vezes. Mas a questão é que Hector em alguns momentos é tão imaturo que força a barra. Há uma cena em particular (seria spoiler se eu falasse) e que colabora para ele se aliar a Petrus que eu achei extremamente absurda. Sério, não deu pra crer que ele decide fazer o que faz.

É uma pena pois a ideia passada pelo livro era muito interessante mesmo, mas os personagens acabam por atolar a trama em pequenos clichês e ideias sem lógica, me deixando desapontado. Outra questão, também, é que a inspiração em Harry Potter é tanta que acaba por tornar a história da EMB uma sombra de sua fonte. Algumas coisas pareceram “sugadas”, como corredores que mudam de lado (lembra das escadas?), a floresta proibida (!!!), casas com as mesmas cores.. e por aí vai. Acredito que mesmo quando há inspiração em algo, é possível ser autêntico e criar novas ideias, não apenas adaptá-las.

A boa notícia é que esse é o primeiro livro de uma provável série, então haverá tempo para os autores melhorarem as narrativas, os personagens e a construção do mundo mágico. Sinto que ainda dá pra fazer alguns ajustes e tornar a experiência mágica da trama mais envolvente. Até porque, da forma como este primeiro livro foi encerrado, acredito que o segundo será ainda mais obscuro. Assim, fico na esperança que a próxima edição consiga ser de fato uma tão fantástica e cativante quanto este pareceria que ia ser.

BRIGADA DOS AMALDIÇOADOS: ESCOLA DE MAGIA

Autor: Albert Vaz & Vanessa Godoy

Editora: Universo da Literatura

Ano de publicação: 2018

Da mesma criadora da Escola de Magia e Bruxaria do Brasil, chega às livrarias o primeiro livro ambientado neste universo mágico. Hector é um garoto normal, veio de uma família de bruxos tradicionais e tudo que ele mais quer é entrar na Escola de Magia e Bruxaria do Brasil. Apesar de tudo que passou com seus pais, agora ele é feliz com seus avós, que o fazem acreditar no melhor lado dos bruxos. Porém, sua entrada para a EMB pode colocar em xeque todas as suas convicções sobre o que é ser vilão.

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.