Caçadora de Tempestades – Jennifer Bosworth

Caçadora de Tempestades é o primeiro livro da escritora e roteirista Jennifer Bosworth e foi lançado aqui no Brasil pela editora Agir Now em 2015.

 SOBRE O LIVRO

Mia Price é uma jovem de 17 anos com um estranho vício, raios. Desde muito cedo ela recebia descargas elétricas, mas quanto mais isso acontecia, mais ela começava a gostar. Até que esse desejo começou a colocar sua família e amigos em risco. Com isso, Mia, seu irmão Parker e sua mãe Sarah se mudaram para Los Angeles, onde raramente aconteciam tempestades e portanto, a garota estaria mais segura. Porém um grande terremoto acontece na cidade devido a uma falha geológica de Puentes Hills e, praticamente toda a cidade fica destruída. Na área central apenas um enorme edifício permaneceu intacto: a Torre.

A mãe de Mia foi uma das vítimas do terremoto e, depois de ser encontrada soterrada sob os escombros, aparentemente fica com problemas mentais. Mia então tem a difícil tarefa de cuidar de sua mãe e de seu irmão. Neste cenário apocalíptico, um líder religioso que se intitula de “Profeta” começa a pregar a palavra de Deus para seus seguidores, anunciando que o terremoto foi só o início de algo maior, o princípio do apocalipse, e que quando o deus da tempestade chegar, não sobrará ninguém vivo, a não ser que se convertam ao seu Deus.

“Eu olhei depois de aberto o sexto selo, e houve um grande tremor de terra; então o sol se tornou negro como se coberto por silício, e a lua tornou-se sangrenta. A hora está chegando. O fim está chegando.”

Mia e Parker voltam para a escola e acaba conhecendo Katrina, uma moça estranha e misteriosa que afirma que ela tem a centelha. Sem saber o que isso quer dizer, ela é recrutada para integrar os Caçadores do Círculo, uma milenar seita mística que acredita que as pessoas que tem a centelha possuem grandes poderes, e que segundo Katrina, ela pode ser a mais poderosa de todas.

Mia busca não pensar nisso e acaba conhecendo um garoto misterioso chamado Jeremy, que diz a ela para ficar longe dos Caçadores e longe do “Profeta”. Agora Mia não sabe em quem acreditar e precisa tomar difíceis decisões para continuar a sobreviver em meio ao caos. Será Mia quem vai salvar o mundo ou será a responsável por destruí-lo de vez?

MINHA OPINIÃO

Eu fiquei muito ansioso para ler este livro quando o vi pela primeira vez circulando pela rede. Mas o que me atraiu mesmo foi o seu booktrailer, recheado de suspense e ação. Com a premissa interessante dos raios e uma Los Angeles pós-apocalíptica, o interesse só cresceu.

A narrativa do livro é dividida em 4 partes: três delas correspondem aos três dias antes da tempestade, e a quarta parte, à tempestade. Com 288 páginas, acompanhamos a narrativa sob a visão da protagonista Mia. Ela busca se libertar dos segredos do seu passado e também tenta salvar a sua mãe, que foi vítima de um terremoto que praticamente destruiu Los Angeles e, com isso, ficou em um estado de transe ou pensamento vago. Mia também tem uma relação um pouco conturbada com seu irmão, Parker, que ao longo do enredo vai se firmando aos poucos.

A protagonista é uma adolescente com muitos dilemas, receio em aceitar o próprio corpo, medo do que guarda dentro dela, entre outras tantas coisas que rondam a mente de uma garota nessa idade. Porém, ao longo da história, ela mostra uma relutância em decidir entre a emoção e a razão. Então, é bem comum em alguns momentos ela fazer as escolhas erradas e depois se arrepender. Mia é a chave da trama, e, mesmo sabendo que dentro dela há uma força perigosa, ela ainda não faz ideia da dimensão desse poder.

“O problema dos raios é que nunca se sabe o que podem fazer. Podem transformar a pessoa em algum tipo de bateria humana bizarra, armazenando energia, ou podem deixar a sensação constante de que a qualquer dia ela vai entrar em combustão espontânea. Como se uma bomba detonasse dentro do corpo e fizesse, bem… o que as bombas fazem de melhor. Ou talvez isso só aconteça comigo.”

Por se passar sob a visão de Mia, ao meu ver, a narrativa acaba por se tornar um pouco monótona, faltando mais ação que prenda a leitura. Além disso, a protagonista se mostra inconstante, em alguns pontos sendo muito ingênua e até chata, mas em outros se mostrando muito esperta em fazer as escolhas que precisa. Talvez se a história tivesse mais de um ponto de vista e pudéssemos vê-la por ângulos diferentes, ficaria mais dinâmica e interessante.

Uma coisa que me incomodou um pouco foi a superficialidade com que os personagens foram apresentados. Logo no começo da história conhecemos o miliciano Brent, que na verdade só apareceu duas vezes e nada mais. Temos também a presença de Jeremy, um garoto misterioso que aparece e some constantemente, mas as explicações para ele aparecem somente perto do final. Há também a Katrina, que é uma Caçadora do Círculo, grupo “religioso” que procura por pessoas que possuem a Centelha (a presença de energia deixada por um raio). Ainda, há o Profeta, que é visto como vilão, mas mesmo quando há cenas em que ele está envolvido 100%, é pouco desenvolvido, não dando a crer que era um personagem tão perigoso como deveria ser. Outra coisa é a “necessidade” de colocar um romance, mesmo que forçado. Além de pouco ajudar na história, em nenhum momento o leitor, ao meu ver, torce para a Mia ficar com o Jeremy.

“Tinha verificado a previsão do tempo naquela manhã, como sempre, e nada mudara. Todos os sites do tempo previam sol e mais sol.
Mas minha pele dizia que a tempestade estava mais perto do que nunca.”

A capa do livro é muito bonita e a mistura de cores gera um suspense, que é o esperado pelo enredo. Minha única ressalva é na cor vermelha do título, que as vezes força um pouco a visão. Também vale ressaltar que a capa original do livro também é bonita e tem até mais conexão com a história que a capa brasileira, então não havia tanto motivo para haver uma troca. Já a diagramação me incomodou um pouco, pois o tamanho da fonte é pequeno. Além disso, acredito que o cabeçalho dos capítulos merecia um capricho, sem dizer que nesse livro seria interessante cada capítulo ter um título de identificação.

A ação vem no final, com o desfecho da história. Porém eu esperava mais, algo que fosse realmente forte o bastante para justificar a história toda, que  acabou tendo um desfecho morno. Em resumo, a história é boa, tem uma premissa interessante, mas faltou mais reviravoltas, prender o leitor do começo ao fim (na contracapa há uma parte onde Ranson Riggs – de O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares – afirma que o livro é eletrizante do começo ao fim. Na minha opinião, não foi tudo isso).

Se você gosta de uma leitura mais leve e que vai dando explicações aos poucos, com uma pegada mística e/ou sobrenatural, Caçadora de Tempestades sem dúvida irá conquistá-lo. Mas, se você prefere uma leitura mais carregada, com mais detalhes, ainda assim vale a pena dar uma chance para este livro pelas lições que ele tenta nos passar , como por exemplo, não confiar em alguém sem antes conhecer quem de fato ele é.

CAÇADORA DE TEMPESTADES

Autor: Jennifer Bosworth

Editora: Agir Now (Harper Collins)

Ano de publicação: 2015

Mia Price é viciada em raios. Já sobreviveu a inúmeros choques, mas seu desejo de receber a energia liberada durante tempestades coloca em risco sua vida e a de todos ao seu redor. Los Angeles, onde raramente há tempestades, é um dos poucos lugares em que Mia se sente segura. Mas quando um terremoto destrói a cidade, seu porto-seguro é transformado em um campo minado de caos e perigos. Neste cenário aterrador, dois grupos antagônicos se formam, e ambos vêem Mia como a chave para as profecias de uma tempestade ainda maior que está por vir. Mia quer confiar no enigmático Jeremy, que prometeu protegê-la, mas teme que ele não seja quem diz ser. No fim, o poder e a paixão que os aproximou pode ser o que vai colocar tudo a perder. Agora Mia precisa aprender a utilizar seus poderes, ou então pode acabar perdendo tudo o que ama.

É colaborador do Resenhando Sonhos. Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.
  • Naiara Fidelis

    Que pena que você não gostou tanto, pra mim o enredo parece ser incrível e fiquei muito curiosa para ler e tirar minhas próprias conclusões.

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Naiara :D
      Pois é, eu gostei muito da premissa, mas a narrativa não me convenceu dessa vez :/
      Quando ler, me conta o que achou, combinado?
      ;)

  • Matheus Nunes

    A sinopse é bem interessante e original, nunca tinha ouvido falar de um livro com algo parecido. O que me deixa desaminado com o livro é o romance, nāo entendo o motivo de todo livro adolescente ter a necessidade de um romance para motivar os personagens, isso vem me deixando enjoado de livros adolescentes.

    • Reinaldo José Nunes

      Olá Matheus a sinopse é muito interessante, mas a autora não trabalha bem o enredo, e de fato, o foco no romance acabou atrapalhando boa parte da história. Mas parece ser a moda agora; quase todos os livros YA tem um casal ou um triângulo amoroso :p

  • ADRIANA HOLANDA TAVARES

    Esse livro é novidade para mim, nunca ouvi falar e está sendo uma surpresa boa conhecer aqui no blog, apesar de que ele é do ano passado.
    Eu gosto de história apocalíptica e esse tem personagens diferentes, como a protagonista que recebe varias descargas de raios e nao morre…fiquei bem curiosa com tudo e me pareceu mesmo uma hisotria bem elaborada. Mas como você bem falou os personagens são superficiais, isso me deixou com aquele : ahhhhhhhhhhhhhhhh
    Não gostei da capa.

    • Reinaldo José Nunes

      “não gostei da capa” hahahahaa
      Pois é Adriana, eu até gostei da capa, mas a original tinha mais a ver com o livro.
      Talvez sua experiência possa ser melhor que a minha. O que eu não gostei nos personagens é que eles são colocados na história, mas tem poucos detalhes: como o personagem é, como agem, passado deles, etc. Gosto de livros com mais detalhes para compreender o que motiva o personagem a fazer algo dentro da história *-*

  • Daiele

    Esses dias passou uma reportagem na TV sobre caçadores de tempestades, pq isso existe mesmo, é realmente uma profissão e eu fiquei intrigada em saber disso, e mais ainda quando soube que o trabalho deles como “caçadores de tempestade” é bem diferente do que o nome nos diz. Então fiquei com isso na cabeça e ao ler a resenha não consegui entender direito o que a Mia é, ou melhor, ou que ela realmente faz sendo caçadora de tempestade…
    Esse livro tbm me lembra um outro com o nome de “caçadores de tempestades” quase o mesmo, haha.
    E tbm, mais uma vez eu percebo pela resenha, uma protagonista chata e cheia dos seus mimimis. Pelo que entendi das coisas que ela vai enfrentar, apenas em cuidar da mãe e do irmão, ela deveria ser uma protagonista forte, e não ficar se preocupando com os problemas da adolescência. Mas em fim, acho que essa historia não é para mim…

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Daiele tudo bem?
      Também encontrei esse outro livro chamado Caçadores de Tempestades. O nome original deste livro aqui é “Strucks”, algo como Golpeadora (que ao meu ver também não dá muito sentido haha).
      No livro a Mia é uma viciada em raios e ela é vista como a chave de uma profecia, sendo a mulher que traria a nova tempestade, que destruiria (ou não) o mundo.
      Mas é bem o que você falou, a história fica perdida, e se prende muito aos “mimimi” e no romance :/ Uma pena ;)

      • Daiele

        é uma pena mesmo. Tão decepcionante quando um autor tem tudo para uma boa historia e ai se prende no romance….
        Mas fazer o que, uma leitura é sempre válida, boa ou não, haha

        • Reinaldo José Nunes

          hehehe

  • Thaina Nunes da Silva

    Eu ja tinha ouvido falar desse livro antes , mais os comentarios negativos sobre ele sempre me deixaram um pouco desanimada para ler ele , a sinopse bem interessante e parece um tipo de historia que gosto de ler , vou dar uma chance a ele mesmo diante de comentarios não muito animadores . Eu gostei da capa achei ela interessante

    • Reinaldo José Nunes

      Olá Thaina, como vai?
      Que bom que você dará uma chance ao livro mesmo tendo visto resenhas não tão positivas hehe. Como eu citei, vale a pena ler pois a ideia do livro é bem bacana, e pode ser que você tenha uma experiência melhor do que foi a minha (sou bem chatinho com livros que introduzem romance desnecessário hahah)
      Quando ler, me conte se gostou :D

  • Nicolas Braga

    Quando vi esse livro na Americanas não gostei, mas agora com sua renha a história pareceu mais legal. É um livro que quero ler, mas não é prioridade!

  • Fernanda Rodrigues Mendonça

    Tá, minha primeira pergunta é: se eles estão numa cidade destruída, como diabos e pq diabos eles vão pra escola???? Enfim, não é um livro que eu tenha nos desejados e sabendo que é mais um q não aprofunda e não apresenta bem os personagens, além de ser monotono, faz com que eu tenha aproximadamente 0 vontade de ler

    • Reinaldo José Nunes

      Então Fernanda, é uma boa pergunta hahaha
      A cidade sofreu um terremoto e grande parte dela foi destruída, mas outra parte mais afastada ainda manteve estruturas em pé, tipo a escola, então mesmo com a situação, a vida deve continuar, e a escola também.. Então acho que é isso a razão deles terem aula hahaga

  • Mariana Ogawa

    mas um e o mundo acabou e vamos acompanhar uma heroina que pode mudar tudo?
    sério?
    para quê vc faz um personagem q só vai aparecer duas ou três vezes, ele morre pelo menos?
    enfim… qd vc disse que o livro fica meio parado eu fiquei naquela err. não (sabe aquele livro se um dia eu não tiver nada melhor eu leio?)
    então adorei a resenha, mas deixar passar o livro

    • Reinaldo José Nunes

      Olá Mariana, se ele morre ou não é uma grande incógnita, ele aparece uma ou duas vezes e depois simplesmente sumiu. Fora outras coisas que né.. melhor deixar quieto hahhaha