Casada até Quarta – Catherine Bybee

Casada até Quarta é o primeiro livro da série Noivas da Semana da autora Catherine Bybee, publicado no Brasil pela Verus.

Sobre o Livro

Blake Harrison é um bom partido. Lindo, rico e solteiro, costuma manter casos rápidos com belas mulheres, mas não pode recorrer a nenhuma delas quando descobre a necessidade de se casar. Urgentemente. Acreditando que este casamento precisa acontecer como se fosse um acordo de negócios, Blake recorre aos serviços de uma agência de casamentos que promete encontrar rapidamente a noiva adequada para resolver questões assim.

Samantha Elliot mantém a Alliance a ferro e fogo, e não escolhe candidatas à esposas que não sejam realmente as mais adequadas. Quando vê no milionário Blake a possibilidade de alavancar os lucros da agência, ela faz o seu melhor para selecionar as mulheres que mais parecem combinar com o perfil do empresário. Acontece que após conhecer Samantha – com seu jeito direto e assertivo e sua voz marcante e sensual – ele percebe que ela pode ser exatamente aquilo que ele busca, então faz a proposta irrecusável de tornar-se  seu marido temporário em troca de um título, alguns milhões e outros benefícios.

“Talvez ele a houvesse escolhido porque, com ela, seria fácil manter distância na cama. Isso fazia todo sentido. Talvez ele tivesse visto as fotos das mulheres que ela escolhera e as achara perfeitamente ‘comíveis’.”

Ao assinar um contrato se comprometendo em ser uma esposa de mentirinha, jamais passou pela cabeça de Samantha que a necessidade de beijar Blake para manter as aparências fosse, com o passar do tempo, se transformando numa necessidade quase vital. Não ajuda a manter o desinteresse o fato dele ser muito charmoso, inteligente e com um senso de humor incrível. Não dá outra, Samanta se apaixona; o problema é que esse sentimento não sabe que a relação tem um tempo predeterminado, e a sensação é que os dias estão passando rápido demais.


Minha Opinião

Cada livro da série Noivas da Semana conta a história de um casal diferente, e neste primeiro volume conhecemos Samantha e Blake. Ela é a criadora da agência Alliance, uma empresa que atua como mediadora entre homens e mulheres que desejam iniciar um relacionamento fictício e temporário, por qualquer que seja o motivo. Ela conhece bem os desejos e costumes de quem faz parte da alta sociedade, então busca manter uma ‘cartela’ de possibilidades que se encaixem perfeitamente nos pré-requisitos do cliente.

Blake é um milionário que acredita ter encontrado na agência de casamentos a resposta para seu grande problema: ele precisa de uma esposa urgente, mas sem a necessidade de qualquer tipo de relacionamento real, também não quer correr o risco de ter que abrir mão de suas amantes ou da vida desimpedida que leva.  Afinal, essa esposa permanecerá ali por  pouco tempo, então não precisa ser de verdade. Certo?

Samantha não tinha pretensão de se envolver com ninguém no momento, pois suas obrigações familiares e com o trabalho a consumiam demais. Acontece que tornar-se a esposa de Blake deixaria esse acordo mais rentável e mais seguro, afinal, ela melhor do que ninguém sabia tudo o que precisava ser feito para honrar seu compromisso. Ela entendia o que estava em jogo ali, então tira de letra fingir que é a esposa apaixonada de um inglês rico e influente, desfilar de mãos dadas com eles nos EUA ou na Inglaterra ou participar de eventos formais, tudo isso seria muito  fácil, até porque facilitaria bastante o fato dele ser inteligente e divertido e deles se darem tão bem. E tudo acontece conforme o combinado até que o casal precisa mostrar aos outros, de maneira convincente, que estão juntos de verdade. Como fazer isso? Morando junto, compartilhando a cama, demonstrando afeto publicamente, fazendo de verdade tudo aquilo que um casal normal faria, inclusive entre quatro paredes. Ora, porque não aproveitar todos os benefícios de se estar casado?

“Anos de contos de fadas da Disney eram difíceis de combater e, combinados com a beleza de Harrison, as mulheres teriam que ser cegas para não querer mais dele do que seu dinheiro ou seu título.”

O que eles não esperavam é que um relacionamento de mentira pudesse ser capaz de despertar tantos sentimentos reais, então conforme a narrativa avança o leitor acompanha um casal que vai aos poucos se apaixonando,  ao mesmo tempo em que tentam negar a importância do que sentem um pelo outro. De maneira engraçada, irônica e fofa acompanhamos um romance contemporâneo com toques de romance de época, capaz de deixar os apaixonados por histórias água com açúcar muito satisfeitos; a narrativa em terceira pessoa permite um distanciamento que se assemelha àqueles que experimentamos ao ler contos de fadas, que nos mantém longe o bastante para não sermos inteiramente influenciados pela opinião dos personagens, mas perto o suficiente para que o envolvimento e a paixão pelo que é mostrado surjam de maneira gradativa e certeira.

Eu gostei bastante do livro, mas confesso que o comecei sem ter lido a sinopse, coisa que costumo fazer com muita frequência. Então quando no início supus o direcionamento que a história tomaria senti certa estranheza, porque para mim a sensação era de as mulheres estavam sendo apresentadas como se fossem meros objetos presentes ali para atender às necessidades do macho alfa. Felizmente essa ideia foi se mostrando equivocada, pois não existia um machismo escancarado ali. Conforme eu avançava na leitura fui percebendo que o livro na verdade trazia para o leitor uma história bem clichê, mas do tipo bom; daqueles que a gente lê em pouco tempo e termina com uma sensação de quero mais.

“- Pronta para casar? Ela virou a mão para cima e entrelaçou seus dedos nos dele. – Que seja. Eu não tinha nada melhor planejado para hoje.”

Casada até quarta é o tipo de história que a gente consegue prever o que vai acontecer, mas que não perde sua graça e encanto por isso, pelo contrário. Em vários momentos me peguei esperando por determinada situação e aceitando com alegria quando elas aconteciam, porque era como ‘tinha que ser’ de qualquer maneira. Então se o desejo é ler algo que seja rápido, fofo e sem grandes dramas, mas que ainda assim apresente personagens que são bem construídos, capazes de cativar quem lê e divertir em igual medida, este livro é uma ótima opção.

CASADA ATÉ QUARTA

Autor: Catherine Bybee

Editora: Verus

Ano de publicação: 2017

O contrato de casamento deles previa tudo.. menos se apaixonar.
Blake Harrison: rico, nobre, charmoso… e precisando de uma esposa até quarta-feira. Para isso, Blake recorre a Sam Elliot, que não é o homem de negócios que ele esperava. Em vez disso, ele encontra Samantha Elliot, linda e exuberante, com a voz mais sexy que ele já ouviu.
Samantha Elliot: dona da agência de casamentos Alliance, ela não está no menu de pretendentes… até Blake lhe oferecer milhões de dólares por um contrato de um ano. Não há nada de indecente na proposta dele, e além disso o dinheiro vai ser muito útil para quitar as contas médicas da família dela. Samantha só precisa disfarçar a atração que sente por seu novo marido e evitar a todo custo a cama dele.
Mas os beijos ardentes de Blake e seu charme inegável se provam muito difíceis de resistir. Era um contrato de casamento que previa tudo… menos se apaixonar. Agora só resta a Samantha proteger seu coração até que o contrato chegue ao fim.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.
  • Camila Rezende

    Olá Krisna,
    Já li sobre esse série e fiquei curiosa para ler por causas dos comentários positivos.
    Depois de ler a sua resenha gostei de saber que a estória seja clichê pq as vezes eu gosto de saber como o livro irá terminar.
    A série toda já entrou pra minha lista.

  • Samanta Samy

    Olha, não sou muito fã de romances. Estou tentando m e aventurar mais no ramo, mas esse realmente não despertou meu interesse.
    Talvez por vim com uma história que não é inovadora.
    O cara rico, aquele romance premeditado…

  • Thais M. Costa

    Gosto de romances , mas nao sou leitora assídua. Tenho muita vontade de ler essa serie de noivas da semana . Ja ouvi boas coisas a respeito.

  • Natália Costa

    Pensei em comprar estes livros, ma estou com muita coisa para ler e preferi deixar para outro momento.
    Parecem legais, mas não o suficiente para me fazer comprar sem necessidade!

  • Franciele Débora

    Olá, adoro livros clichês e sempre estou lendo. Essa historia me parece ser tão fofa que me deu vontade de ler agorinha mesmo. E adoro série que cada história conta a vida de um casal diferente. Vou pesquisar mais afundo sobre essa série e já adicionei na minha lista.
    Obrigada pela dica e por essa resenha maravilhosa.
    Beijos.

    • Manu Cardoso

      Também adoro séries que cada livro é um casal diferente! =)

  • Manu Cardoso

    Adoro um romance clichê! Principalmente se não tiver muito mimimi!
    Vivo procurando esses livros que são curtinhos e fluem facilmente, pois nem sempre posso dedicar muitas horas a leitura.
    Ainda não comecei essa série, mas com certeza vou querer experimentar! =) Difícil vai ser não cair na tentação de ler todos em sequência!
    Beijos!

  • Naiara Fidelis

    Este gênero não me atrai muito, a história não me chamou a atenção e não costumo ler livros de romances.
    Porém, confesso que acho a capa desta série lindas.

  • Nathi

    Achei a premissa da história muito engraçada e um tanto quanto diferente. No entanto, não é mais minha vibe esse tipo de história, mas parece ser um bom livro pra quem gosta do gênero.

  • Karina Rocha

    Me veio um filme de comédia romântica na cabeça ao ler a resenha desse livro, parece ser bacaninha de se ler!!

  • Thaynara Ribeiro

    Como assim vc lê o livro sem ver a sinopse primeiro? kkk sou curiosa demais e tipo, leio a sinopse várias e várias vezes antes de decidir se leio ou não o livro rsrs Estou começando a curtir muito romance de epoca então amei a resenha

  • Kristine Albuquerque

    Aquele clichê que a gente ama revisitar, porque sim. rs
    A história me remeteu ao casal de Procura-se um Marido e Mentira Perfeita, da Carina Rissi, quase como que um spin-off. Mas a narrativa em terceira pessoa traz um diferencial que chama a atenção. Ótima dica :)