Cira e o Velho – Walter Tierno

Cira e o Velho é do autor nacional Walter Tierno e foi publicado aqui no Brasil em 2010 pela Giz Editorial.

Sobre o livro

Numa história situada no século XVII, no período escravista e com toques do folclore brasileiro, Walter Tierno vai nos contar a história de Cira, que começa com seu pai Norato e a tia Maria Caninana, irmãos cobra, nascidos da união de uma joboia com uma humana. Caninana, tomada pela maldade, faz um pacto com um ser mágico, o Rei da Mentira, que exige dela que mate seus filhos e os filhos de Norato. Para essa missão ela contrata o Velho, um mercenário que mata por dinheiro.

cira01

O Velho e seus homens estão indo bem com a missão, até que se deparam com Cira e sua mãe, uma poderosa bruxa. Para salvar a filha, ela conjura um feitiço que protege Cira e a prende, exigindo um sacrifício para que ela seja libertada. Porém o Velho acha que completou sua missão e segue em frente, sem saber da ameaça que o ronda, já que quando Cira acordar, sairá em sua procura por vingança.

Vamos conhecer essa história através de alguém que está em busca de informações sobre Cira, pois quando jovem, tirou a figurinha dela enquanto tentava completar um álbum de figurinhas, a partir daí ficou fascinado pela figura da mulher com a caveira no ombro e busca de todas as fontes informações sobre ela.


Capa e diagramação

Eu acho a capa desse livro muito bonita e intrigante. Vi que antes havia outra capa, mas essa e com toda a certeza mais bonita. Além disso, dentro da edição podemos encontrar várias ilustrações dos personagens e de algumas cenas, feitas pelo próprio autor, que também é ilustrador. Isso faz com que tenhamos uma imagem bem definida dos personagens, pois sabemos exatamente como Tierno os imaginou.

DSC03943

DSC03938


Minha Opinião

Eu sempre fui curiosa com esse livro, e não sabia, até começar a ler que ela se misturava com a história do folclore brasileiro ou com o período da escravidão, tendo como maior destaque na narrativa, o Quilombo dos Palmares. Essa surpresa me deixou apreensiva, já que nunca fui muito atraída por essa parte da história.

Porém, com o andamento da leitura, que por vezes pode ser um pouco lenta, fui descobrindo um mundo muito legal, que envolve não só lendas do folclore, mas também elementos fantásticos, como animais reis, capazes de se comunicar.

Com um narrados misterioso, que só tem a identidade revelada no fim do livro e que com toda a certeza é a cereja do bolo, Walter Tierno conseguiu me fazer gostar de uma história improvável, já que em nenhum momento identifiquei a identidade do narrador. As ilustrações me ajudaram a dar cara aos personagens e a imaginar as cenas melhor. Quando não somos familiarizados com o cenário da história, isso é muito importante.

DSC03936

Apesar do folclore ser um elemento muito marcante da nossa cultura, autores que trabalham ele em livros ainda são poucos. Sei de algumas outras obras, mas num momento em que ainda não temos tanto destaque para autores nacionais, os mesmos se utilizarem de elementos que vão ajudar a inserir a cultura brasileira através de suas narrativas, marca mais um ponto positivo tanto pra ele como pra nós, leitores.

Numa história envolvendo mitos, ganância, inveja e vingança temos uma vingadora disfarçada de heroína e ela não vai parar até alcançar seu objetivo. Cira é perigosa, letal e imortal e isso faz com que possa haver muito mais história pela frente com a mesma personagem, se Walter quiser de aventurar novamente nesse mundo.

Dei 4 estrelas, porém esse não é um livro que eu recomendaria pra todo mundo. É preciso gostar primeiramente do background da história, e curtir fantasia e folclore. Como os capítulos são curtos, vale a pena ir com calma e se a leitura não fluir tão bem, não desista, pois é um bom livro e possui apenas 200 páginas.

CIRA E O VELHO

Autor: Walter Tierno

Editora: Giz Editorial

Ano de publicação: 2010

Cobra Norato é um amante da vida. Pelas margens dos rios, espalhou paixões, filhos e filhas. Uma delas é Cira, que nasceu do ventre da bruxa Guaracy. Sua alegria de viver é tão intensa quanto seu ódio pelo homem que a deixou para morrer: o Velho.
Domingos Jorge Velho é um caçador de homens. Ele toma a liberdade dos índios e a entrega aos brancos do além-mar. É um guerreiro, sem oura fé além do ouro e da propriedade. Cira caminha pelo país que surge, que é desbravado e desmatado. Ela persegue o rastro de Domingos. Em Palmares, os inimigos se enfrentarão e, nessa guerra, se descobrirá  quem é o proprietário do novo mundo.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos. Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo. Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.