Corte de Espinhos e Rosas – Sarah J. Maas

Corte de Espinhos e Rosas é o primeiro livro da nova série da autora Sarah J. Maas, publicado em 2015 pela Galera Record. Sarah J. Maas é conhecida por Trono de Vidro, série de seis livros, que tem como protagonista a assassina Celaena Sardothien.

Sobre o livro

No mundo de Prythian o continente foi dividido entre humanos e feéricos. Os primeiros, após perderem a última guerra, ficaram com uma pequena porção de terra e assinaram um tratado, com regras a serem seguidas, e a mais importante delas é jamais cruzar a muralha que separa os dois mundos. Os feéricos, por outro lado, vivem em um amplo território que é dividido em sete cortes: Noturna, Diurna, Crepuscular, Invernal, Estival, Outonal e, a que faz divisa com o território humano, Primaveril.

É no lado humano que vive Feyre, uma jovem de 19 anos que viu a família perder toda a fortuna e no leito de morte da mãe prometeu que cuidaria de todos. Pra isso ela se transformou numa caçadora hábil e é ela quem obtém praticamente todo o alimento da família. O pai, que tem uma perna machucada, não pode trabalhar e as duas irmãs mais velhas não fazem questão de ajudar, somente de reclamar e pedir mais coisas.

É numa dessas caçadas em busca de comida que Feyre acaba se aproximando bastante da muralha e mata um grande lobo que estava se aproximando do animal que ela tinha em mira. Porém, o que Feyre não sabia é que esse lobo era uma feérico transformado, e que há uma cláusula no tratado que diz que ao matar um feérico você deve dar sua vida em retorno ou mudar para o mundo deles. E ela só descobre isso quando alguns dias depois uma enorme criatura bestial arranca a porta de sua casa e cobra a dívida.

“Somos poderosos demais, entediados demais com a mortalidade para sermos reprimidos por qualquer coisa.”

Feyre decide ir com ele e abandona a família para cruzar a muralha e viver na Corte Primaveril. Mas, ao contrário de ser feita escrava como ela imaginava, ela é tratada como uma hóspede pelo Grão Senhor Tamlin e seu braço direito Lucien. Ela começa a descobrir que o mundo dos feéricos está sobre grande ameaça e que isso pode vir a prejudicar os humanos também, levando uma guerra até eles. Com ouvidos atentos e em busca de respostas, Feyre percebe que o mundo em que ela vivia era imensamente mais simples do que o que ela acabou de adentrar.


Minha opinião

Estamos falando de Sarah J. Maas então é claro que a leitura é super fluida e você vai querer devorar o livro em apenas algumas horas, mas quanto a história temos várias diferenças de construção em comparação com a série Trono de Vidro e isso tem seu lado positivo e negativo.

Eu gostei bastante do mundo criado e da mitologia dos feéricos, apesar de ela só se revelar verdadeiramente do meio para o fim do livro, já que no início você não entende muito bem porque levar uma humana para o reino mágico deles seria uma punição pela morte de um feérico, principalmente se ela estava sendo tratada como uma princesa. Mas aqui entra parte das descobertas que fazemos ao longo do livro e do plot twist que também está presente.

“Agradeça por seu coração humano, Feyre. Tenha piedade daqueles que não sentem nada.”

20160221_174007

Minha decepção ficou na construção da personagem feminina e protagonista. Estava tão acostumada com uma Celaena bad ass que achei que a autora fosse manter uma personalidade semelhante em Feyre, porém, não é bem isso que acontece. No começo da história temos um vislumbre de quem ela pode se tornar, uma caçadora, destemida, cumprindo seu dever. Mas é só ela por os pés em casa, em um ambiente onde é imensamente mal tratada pra ver a luz da personagem se apagar, e quando ela é levada para o lado feérico de Prythian isso se mantém, já que por lá ela é a mais fraca das criaturas.

Confesso que isso por si só já foi um tiro pra mim, já que era algo que eu tinha como certo. Outra coisa é a forma como ela toma suas decisões, como a promessa que ela fez a mãe no leito de morte e que faz bem pouco sentido, sendo ela a mais nova das filhas e, como ela menciona várias vezes no livros, uma das que recebia menos afeto e atenção da mãe. Porém, ao ir para o lado feérico, seus problemas todos desaparecem e ela parece perder um pouco do propósito de estar ali, virando apenas uma “mulher enfeite” enquanto os homens fazem a história acontecer.

20160221_174023

Na Corte Primaveril ela vai conviver com Tamlin, o Grão-Senhor e Lucien, seu fiel escudeiro, e a trama do que é importante está sempre ligada a um deles, e ela é transformada em coadjuvante enquanto a narrativa desse lado mais mágico da história se desenvolve. Pra isso é dado a ela o hobby de pintar, que ela executa enquanto está lá, parando a trama em vários momentos para falar sobre isso. E, tendo em vista que o livro teoricamente seria inspirado na Bela e a Fera, não fica muito difícil tentar prever o que pode acontecer em termos de romance.

Entretanto, mesmo com esses problemas, a autora consegue desenvolver uma história que cativa o leitor e faz com que ele fique refém do livro. Os personagens masculinos aqui pareceram muito mais interessantes pra mim, principalmente Rhys que dá as caras mais pro fim do livro e que provavelmente terá papel importante na sequência. Se você já leu Trono de Vidro talvez note algumas semelhanças em função de ambos os livros terem os feéricos como mitologia, mas elas param por ai.

20160221_173920

O fim do livro não faz cliffhanger e é difícil saber o que virá pela frente, mas acredito que o continente de Hybern, o qual tivemos apenas um leve vislumbre em Corte de Espinhos e Rosas vá ser peça importante no que acontecerá. Sobre os rumos de Feyre, gostaria que ela pensasse mais com a cabeça e menos com o coração, pois aposto que suas decisões seriam mais fáceis de engolir e ela seguiria por um caminho melhor. Resta saber o que Sarah J. Maas vai trazer pra gente, depois de todas as transformações que aconteceram no fim do livro, e que com toda certeza influenciarão o que está por vir.

CORTE DE ESPINHOS E ROSAS

Autor: Sarah J. Maas

Editora: Galera Record

Ano de publicação: 2015

Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.
Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la… ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.
  • Oi, Tamirez

    Acho que, apesar das ressalvas, você curtiu a leitura, né? Esse livro entrou na minha lista de leituras assim que a editora divulgou a capa e a sinopse. Não conhecia o livro antes disso.
    Espero poder ler o livro em breve… estou colocando minhas leituras em dia para poder comprar mais livros! Hahaha

    Beijo
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

    • Curti sim Tamires, a escrita da autora é super fluída e impossível não gostar <3
      Beeijo

  • Karla Samira

    Olá, Tamirez!
    Não é o meu tipo de leitura favorito, mas parece bom mesmo para quer curte o gênero! A capa é linda mesmo, pensei em 1000 coisas quando a vi!
    Abraço!
    Karla Samira

    • Ficou bem bonita! Eu até no começo não tinha gostado tanto, mas depois me apeguei a ela <3
      Beeijo

  • Camila Teixeira

    Oi Tami, já estavamos falando sobre esse livro aquele dia né? Então, essas coisas que te incomodaram foram as mesmas que me deixaram chateada. A Feyre não é um “protagonista” com P maiúsculo, ela é uma peça que é articulada pelos personagens masculinos, isso me deixou muito incomodada. Outra coisa que me deixou p* foram aquelas cenas do corpo pintado, argh. Mas entretanto, toda via, esse livro é impossível de largar, a escrita da Sarah J. Maas é muito envolvente, e nos deixa roendo as unhas. Eu gostei muito da vilã, da maneira como ela foi construída para ser má, ela é uma personagem feminina mais forte do que a Feyre, gostei bastante mesmo com todas as maldades. Estou esperando pelo Rhys aparecer mais no proximo livro, por que eu obviamente adoro mocinhos maus. HAHAH

    • Sim Cami, a questão do final do livro coloca ela ainda mais como mulher objeto. Também to ansiosa pra saber o papel do Rhys no próximo livro, porque acho que vou gostar muito dele hahaha

      É realmente uma pena não termos uma personagem tão legal quanto a Celaena. Mas talvez com as mudanças no fim do livro isso possa melhorar para o segundo!

      Beeijo

  • A capa é linda DEMAAAIS. Mas confesso que não é o tipo de leitura que costumo fazer, claro que tem suas exceções. Fiquei curiosa até, sem contar que é UM LIVRO tão lindo, que dá vontade de comprar. Quero ir em uma livraria e ler o início sabe?

    Beijos, Love is Colorful

    • Siiim, a capa ficou muito bonita! A principio eu não tinha gostado, mas depois me apeguei :D

      Beeijo

  • Eu li essa resenha no Benefícios de beber café e fiquei bem dividida. Não é uma história que me atrai muito, mas já sei que a narrativa é tranquila, então seria um livro fácil de ler… Como tenho milhões de outros na TBR acho que deixarei esse de lado um pouco! hahaha

    =*

    Mani Piñeiro

    @Blog_ManiPineiro

    • Tenta ler sim Manu, a história flui super bem e se você não leu nada da autora talvez nem se importe com os porém que levantei. Como eu ja vinha da outra obra, foi impossível não levar em consideração algumas coisas.

      Beeijo

  • Lívia Alli

    nossa, eu já amei a capa, as ilustrações, e claro que a historia com sua resenha, ja fiquei mt curiosa pra ler!

    http://www.tofucolorido.com.br

    http://www.facebook.com/blogtofucolorido

  • Masen’s tale

    O livro parece ser maravilhoso!! Desses que o enredo é muito bem construído.
    Achei amor demais essa capa.
    Beijos
    http://masenstale.blogspot.com.br/

  • Erika

    Você sabe que não sou fã de fantasia, mas essa resenha ms agradou muito! Já estou de olho e acho que vou acabar comprando, me deu muita vontade de ler!!! Ainda mais que vc disse ser inspirado em A Bela e a Fera, me fez ter mais curiosidade ainda!!! Só me desanima um pouco isso de ter continuação e vc fica refém da saga, mas me pareceu muito interessante e eu pretendo comprar! E essa capa é maravilhosa!!!

  • Oi Tami, achei a arte do livro lindíssima! Eu ainda não li nada da autora, não seria um boa começar por este?! Assim não terei que comparar ambas séries. O que tu acha?! Bjs

    Joi

  • Dai Castro

    Achei bem interessante a história, uma pena que o livro demora um pouco a engrenar. Né? Fiquei curiosa para conhecer mais sobre esse mundo feérico, mas acho que essa mudança da personagem (ficando mais apagada) quando passa a viver lá pode incomodar bastante. Adorei a
    arte da capa!

    http://colorindonuvens.com

  • Manuelle Schimainski

    Adoro o trono de vidro! Tipo, é uma das primeiras fantasias que eu me apeguei! Por causa de resenhas estou com medo de pegar esse livro na mão :( mas vamos ver né? Essa capa é tão bonita, quase que já comprei só por causa da capa KkkKk Adorei a resenha! Beijo

  • Caio Ícaro

    Bem bacana quando uma escritora faz uma releitura e ainda assim surpreende os leitores. Isso prova o quanto nenhuma história é desgastada, que tudo depende do talento do(a) autor(a). Mocinhos sarcásticos e viris me ganham para a vida inteira!!!!! Não lembro de ter visto a capa gringa deste livro, mas gostei dessa.

  • suzana cariri

    Oi!
    Desde que li o Trono de Vidro e adorei me propus a ler tudo que a Sarah J. Maas lançar e esse é um livro que está na minha lista de leitura gostei muito da historia e desse mundo que ela cria e realmente não gostei da família da Feyre e fiquei curioso sobre esse mais !!

  • Fernanda Rodrigues Mendonça

    Eu tava vendo esse livro por aí e nem tinha ido ler a sinopse…Nem tinha me tocado que era da mesma autora que o Trono de Vidro hahahaha

    Essa autora é sensacional, e acredito que o livro siga a qualidade, ainda mais depois de ler sua resenha. Gosto de livros com esses ‘plot twist’ e etc, mas essa coisa de mocinha fraca me desanima um pouco de ler, sinceramente (acho que é por isso que eu gosto muito da Celaena e da personagem da Licia Troisi de O Mundo Emerso, que eu esqueci o nome >_>). Acho que eu vou esperar as resenhas dos proximos livros da série pra ver se a personagem amadurece e fica forte….Como eu espero sinceramente que aconteça hahahah

  • Vitor Dilly

    Olá Tamirez. Realmente uma bela resenha, parabéns! Não conhecia esse título, apenas o que o precedeu, do Trono de Vidro, da mesmíssima autora. Tenho ouvido falar muito bem deste último…E agora deste! Grato por apresentá-lo. Toda nova série de fantasia é bem vinda, seja espinhosa ou rosácea – ou ambas!!! :P

  • Giovanna Jocronis

    Acho muito bonita a capa, mas a premissa da série não me chama tanto a atenção. tenho bastante curiosidade em ler algo da autora, mas acho que vou começar por Trono de Vidro.

  • A capa desse livro é perfeita e chama muito minha atenção. Além disso, como uma releitura do meu conto de fadas preferido ele já ganhou muitos pontos comigo. Já ouvi comentários maravilhosos sobre a autora, e amo a forma como ela constrói suas personagens femininas. Com certeza uma leitura que pretendo fazer.

  • Pingback: Leituras de Fevereiro | 2016 - Resenhando Sonhos()

  • Oii, Tamirez!
    Tudo bem?

    Terei de discordar em alguns pontos que você colocou em sua resenha. Mas concordo totalmente sobre esse ser um livro do qual o leitor não conseguirá desgrudar! (Fora essa capa, né? Olha essa capa!)

    Vamos às discordâncias: Feyra é tão forte quando Celaena. O fato dela ter feito a promessa a mãe (quando ela estava em seu leito de morte) mostra que ela tem compaixão e ama sua família. Só porque ela toma decisões com o coração, não quer dizer que ela não seja forte. Celaena foi treinada para pensar e agir de determinada maneira pela Guila, principalmente por Arobynn. Feyra vivia com sua família e viu a responsabilidade da sobrevivência de todos jogada sobre seus jovens e despreparados ombros.

    Acredito que sua sensação de ‘personagens coadjuvante’ vem por conta dos muitos mistérios que cercam a Corte Primaveril. Tamlin e Lucian são os únicos que sabem o que a ‘praga’ realmente quer dizer e nós, leitores, assim como Feyra só podemos imaginar sobre o que se trata. Acredito que no segundo volume, essa sensação não mais existirá.

    Quanto a semelhanças entre feéricos de ACOTAR e de TOG, a própria Sarah disse que seria possível abrir um portal com as marcas de Wyrd entre as duas séries, então acredito que isso explique como as duas se parecem.

    Espero que você possa gostar mais da Feyra em ACOMAF o/
    Beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/