Dez Mil Céus Sobre Você – Claudia Gray

Dez Mil Céus Sobre Você é o segundo livro da trilogia Firebird, da autora Claudia Gray. Foi publicado em 2016 pela Harper Collins.

02_firebird

*Esta resenha contém spoiler do livro anterior.

SOBRE O LIVRO

Após descobrir que Paul Markov era inocente e que o tempo todo o responsável pelos problemas era Conley, Meg terá mais um desafio para vencer. Após o espião dimensional sair do corpo de Theo, ele começou a ficar muito mal de saúde devido aos efeitos nocivos da droga Furtanoite. Se um antídoto não for encontrado logo, morrerá em pouco tempo. Meg não sabe o que fazer, mas Paul sabe. Para Paul, a única forma de salvar Theo é de alguma forma invadir a Tríade e roubar de Conley a cura para a droga.

Sem contar para ninguém, Paul faz um salto e algo estranho acontece. Meg desconfia que ele tenha partido e, destinada a não perder o amor de sua vida pela segunda vez, ela vai atrás dele, porém, quem encontra no destino não é quem gostaria que fosse.

“Soltei a mão de Paul e fui até a porta de correr, mas meu pai saiu na frente. Ele abriu a porta e soltou um palavrão enquanto corria para fora. Saí atrás dele e parei, horrorizada. Theo estava caído no chão.”

Conley estava esperando por ela, para fazer uma troca de serviços. Meg tenta recusar, mas ao descobrir que a alma de Paul foi fragmentada em vários pedaços (cada um perdido em uma dimensão), ela não encontra saída. Agora, Meg terá um grande dilema a resolver: se uma versão de Paul morrer, o fragmento de sua alma também se perderá. Logo, não somente o amor de sua vida morrerá como também a cura de seu amigo nunca será dada.

Destinada a enfrentar os problemas e salvar os dois, Meg começa a fazer os seus saltos dimensionais, indo parar em lugares perigosos e hostís, como uma São Francisco dividida pela guerra ou uma Nova York controlada pelo crime organizado. Mas o interesse de Conley pelo sucesso dela esconde outro segredo. A Tríade acredita que se ela conseguir salvar todos os fragmentos de Paul, então conseguirá por em prática um plano sombrio e perturbador, que há muito tempo vem sendo planejado. Se o plano funcionar, a Tríade ganha o prêmio. Mas se não funcionar, não só a dimensão da Meg poderá desaparecer, mas também todo o multiverso poderá ser destruído em questão de segundos.


MINHA OPINIÃO

Meu sentimento após terminar esse segundo volume foi de pura euforia. Não digo isso como bajulação do livro, mas sim por que a trama construída e o final me surpreenderam de jeito. Aquela ‘profecia’ que sempre o segundo livro de uma série é ruim não ocorre com Claudia Gray. Ela sabe fisgar a atenção do leitor em cada final de capítulo de uma forma que você só vai querer largar o livro após concluir a leitura. Antes de mais nada, já deixo explícito que poderão conter spoiler em relação ao primeiro livro, então, se você ainda não leu Mil Pedaços de Você, faça-o primeiro. Caso contrário, corra os riscos por contra própria.

Dez mil céus sobre você já começa com uma cena tensa entre os personagens Marguerite – Meg – e o vilão, Conley, da Tríade, a empresa de tecnologia e pesquisas que financiava o projeto Firebird. Ambos foram parar em uma dimensão onde a energia elétrica não existe e tudo ainda é muito comandado pela Igreja. O motivo de ela estar ali se trata de uma barganha. Se ela trabalhar para a Tríade, não só conseguirá salvar os fragmentos do namorado como também garantirá a cura para Theo. É uma escolha difícil, mas a resposta é apenas uma. E quando a resposta é determinada pelo coração, o inimigo tem todo o controle da situação. E Meg tem consciência disso.

“Theo abre um sorriso, como se tudo estivesse bem, mas sabemos que na verdade nada está bem. Ele está fazendo isso para ajudar Paul, e sinto uma onda de ternura inesperada em relação a ele.”

03_firebird

A partir deste ponto a trama vai seguir as decisões, dúvidas e lembranças de Meg, e o que essa nova jornada lhe revelará sobre a Tríade e por qual motivo ela é importante para eles. A personagem vai evoluindo com o passar da história, e aqui encontramos uma Meg mais concentrada e perspicaz, que age mais pela razão, e menos pela emoção. Se no livro anterior ela parecia muito mimada e despreparada, aqui por outro lado vemos que a personagem pondera mais as suas escolhas. Inclusive reconhece que algumas de suas decisões anteriores afetaram não somente a sua vida, mas a vida das suas versões nas outras dimensões onde passou.

Ao mesmo tempo, vemos o personagem de Conley ser bem mais explorado do que no livro anterior. Aqui temos um vilão audacioso, ambicioso e convencido, corrompido pela ganancia e pelo poder, que procura por seu plano sombrio em ação. Cada uma de suas ações são bem calculadas, e mesmo que parecem impulsivas, já foram antecipadamente previstas.

“No meu peito, o peso do Firebird lembra que já tenho as informações que vim buscar. Quero aprender mais sobre este universo e sobre o que os fundadores da Tríade pretendem fazer. Pelo menos uma vez, eu gostaria que nossa dimensão não ficasse no escuro.”

Um recurso interessante utilizado pela autora nos dois livros são os flashback, lembranças de momentos que agregam uma informação ou um detalhe que muda todas as respostas que buscamos. Constantemente, a personagem recupera fragmentos de sua memória para dar sentido ao que está vivendo ou para controlar suas emoções e pensar com clareza. Mas, ao mesmo tempo que esse recurso se mostrou interessante, achei que ele teve um uso demasiado neste segundo livro. Há lembranças da personagem que remetem ao romance com Paul, coisas que não acrescentam para a história.

Mas fora esse pequeno detalhe, a história envolve o leitor grande parte do tempo. Do começo ao fim a onda de conspiração paira pelo ar e cada segredo que Meg vai descobrindo sobre a Tríade causa reações do tipo “caramba!” Quando chega ao final, há uma revelação surpreendente que deixa qualquer um de queijo caído. Jamais poderia imaginar que as ações de Meg rumariam para aquele caminho. Fiquei tão surpreso com a conclusão que desejei que o terceiro livro já estivesse sido lançado.

“Justo agora que achei que estivesse segura em casa, o mundo vira de cabeça para baixo de novo.”

04_firebird

Um detalhe importante a dizer: se havia alguma ponta solta do primeiro livro, Claudia Gray conseguiu atá-las de forma sábia nessa continuação. Não somente a história é completa e fluida, como também vai mudando de tom a cada página lida, e terminamos com uma trama intensa, digna de um filme. Além disso, a autora faz uma grande transição de gênero entre os dois livros, o que achei espetacular. Só para ilustrar o que quero dizer, no primeiro livro o lado romântico estava muito presente, mas neste, o drama da personagem diante das escolhas difíceis que deve tomar, e o suspense gerado quando fica cara a cara com os seus inimigos são predominantes.

Claudia Gray mais uma vez conseguiu me surpreender com uma história bem desenvolvida, empolgante e recheada de intrigas e conspirações. E o melhor, com um sentimento de profundo carinho pela autora. Com isso, posso garantir que Dez Mil Céus sobre Você entrega o que promete: uma narrativa divertida, complexa e envolvente do começo ao fim, e que vai deixar você doido para descobrir qual é o plano perverso da Tríade!

DEZ MIL CÉUS SOBRE VOCÊ

Autor: Claudia Gray

Editora: Agir Now (HarperCollins Brasil)

Ano de publicação: 2016

MARGUERITE CAINE fez o impossível, viajando por dimensões alternativas com o Firebird — uma invenção brilhante criada por seus pais, seu namorado, Paul, e o amigo da família, Theo. Mas ela também chamou a atenção de inimigos poderosos, dispostos a seqüestrar, chantagear e até matar para usar os poderes do Firebird para propósitos escusos.
Quando a alma de Paul é dividida em quatro fragmentos — que se encontram presos dentro de Pauls em outras dimensões —, Marguerite fará qualquer coisa e irá a qualquer lugar para salvá-lo. Mas o preço de seu retorno em segurança é alto. Se ela não sabotar os próprios pais em múltiplos universos, Paul vai continuar perdido para sempre.
Mas Marguerite acredita que é possível salvar seu amor sem sacrificar a família, e para isso pede a ajuda do brilhante Theo. Os dois criam um plano para recuperar Paul e o Firebird, mas para que ele dê certo eles precisarão superar um concorrente genial e vão colocar em risco não só sua vida mas também a de todas as versões de si mesmos em várias dimensões.
Desta vez a missão leva os dois aos universos mais perigosos até então: uma São Francisco dividida pela guerra, o submundo do crime de Nova York e uma Paris iluminada onde a outra Marguerite esconde um segredo chocante. Cada salto deixa Marguerite mais perto de salvar Paul — mas sua jornada revela verdades sombrias que fazem com que duvide da única constante que encontrou em todos os mundos: o amor que sentem um pelo outro.

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.