Dias de Despedida – Jeff Zentner

Dias de Despedida é um livro do autor americano Jeff Zentner, lançado aqui no Brasil em 2017 pela editora Seguinte.

SOBRE O LIVRO

Uma das piores coisas do mundo é estar no enterro de uma pessoa que você ama. Esse sentimento de dor assume o coração do protagonista Carver, pois ele acaba de enterrar três amigos.

A Trupe do Molho era formada por Carver, Blake, Mars e Eli. Adolescentes com sonhos de ir pra faculdade, namorar, conhecer o mundo e de sempre continuarem sendo amigos. Até que um dia o destino traçou algo cruel em seus caminhos. Blake, Mars e Eli estavam indo buscar Carver, que já estava impaciente com a espera e enviou uma mensagem de texto “Cadê vocês? Me respondam!”. Ele não imaginara que aquilo seria a última coisa que Mars leria e tentaria responder, mesmo estando dirigindo, causando assim um acidente de carro.

“Engraçado como as pessoas passam por esse mundo deixando pedacinhos de sua história para que as pessoas que conhecem carregarem”

Um sentimento horrível de culpa permanece em Carver. E se ele não tivesse mandado aquela mensagem? Mars não iria pegar o celular e tentar responder e então bater o carro contra um caminhão. Mas ele não podia adivinhar que aquilo iria acontecer. Infelizmente, não é o que todos pensam. Os parentes de Mars e Eli o culpam pelo ocorrido e desejam que ele responda judicialmente pelo crime de homicídio criminalmente negligente.

Carver agora não terá que enfrentar apenas a justiça, mas também os olhares dos alunos da Academia de Artes de Nashville, onde está no último ano. Mas com ajuda de pessoas que também estão passando por essa fase de luto, ele espera conseguir se recuperar de seus traumas, pra então voltar a viver em paz.


MINHA OPINIÃO

Esse livro já me conquistou por sua sinopse. Eu gosto bastante de ler livros que tratam sobre a morte. Geralmente, lemos sobre casais que são separados pelo destino, onde um acaba morrendo, mas dessa vez é diferente, um grupo de melhores amigos que se separam por causa de algo fatal, onde um deles fica com um fardo a ser carregado.

Carver é um personagem muito forte, e foi fácil gostar dele logo no começo do livro. Na verdade, fiquei  com muito dó pelo ocorrido. Acho muito difícil uma pessoa que passa por essa situação não se sentir culpada, por mais que haja apoio emocional. Mas, no caso dele, tudo piora quando ele vai no enterro de seus amigos e vê seus familiares o fuzilarem com os olhos, com a sugestão de que era pra ELE estar morto no lugar de seus entes queridos. O garoto então começa a sofrer constantes ataques de pânico, e sua irmã o obriga a procurar um terapeuta.

Outros personagens secundários são essenciais para que esse livro seja tão especial. Começando pela a avó de Blake, a Vovó Bestsy. Ela é uma personagem bastante justa que acaba se conectando à Carver, não o vendo como um assassino, mas também como uma vítima de toda essa tragédia. Ela tem a ideia de ambos terem um “Dia de Despedida” onde possam compartilhar juntos lembranças de seu neto, coisas felizes, e isso acaba sendo bom não só pra a família de Blake, mas também para Carver.

“Não entendo por que não estou chorando. Vai ver é como quando às vezes fica tão frio que nem nevar neva.”

Após enfrentar intensos ataques da irmã gêmea de Eli, Carver se vê sem amigos no colégio que sempre amou tanto estar. Ela o culpa pela morte do irmão e nada tira isso da cabeça dessa jovem. Eis que uma amizade improvável surje, e Jesmyn aparece como uma grande amiga na vida do protagonista. Ela era namorada de Eli, e está enfrentando toda dor assim como os outros personagens da história, mas ao contrário deles, tenta ser gentil com Carver.

Além de superar o luto, o autor trata de assuntos importantes nessa história, como preconceito, racismo e homofobia. Ele nos faz cair em uma tristeza profunda mostrando o sofrimento do personagem, mas em outra hora nos fazendo rir, quando Carver lembrava das aventuras da Trupe do Molho. Os flashbacks do grupo nos faz sentir sobre a partida aqueles jovens que sonhavam em ser artistas. Você acaba se apegando a personagens que não estão mais presentes na história, e o luto se torna um pouco seu também.

Foi tão bom começar 2018 com uma leitura tão excelente como essa. Um livro que mescla dor e superação, e ao mesmo tempo mostra como as pessoas lidam com o luto, cada um do seu jeito. Fica difícil julgar alguém nessa história, pois cada um trata a dor de uma maneira.

DIA DE DESPEDIDAS

Autor: Jeff Zentner

Editora: Seguinte

Ano de publicação: 2017

Cadê vocês? Me respondam.
Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele.
Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto.
Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Nascida no interior Paulista, futura cientista da computação, se apaixonou por literatura quando conheceu o bruxo Harry Potter e o vampiro Edward Cullen. Adora ir no cinema e assistir séries em dias chuvosos.

  • Natália Costa

    Adorei saber um pouco mais sobre este livro e ver que ele é bom. Recebi ele numa caixa de assinatura mensal em novembro e não conhecia nada sobre a história. Obrigada pela ótima resenha! ^^

  • Daiane Araújo

    Oi, Erika.

    Acho que além do Carver de estar se sentindo culpado, a acusação judicial, só aumenta o sentimento de culpa… Foi uma fatalidade, ele não teria como adivinhar que iria acontecer esse horrível acidente que resultou em três mortes… E de seus amigos! Mas, ao mesmo tempo, é triste de imaginar os sonhos perdidos drasticamente daqueles jovens…

    Afinal, há como evitar o inevitável?

    Em um momento como esse, é preciso receber todo o apoio e ajuda que necessita. E um momento como esse não ter sido fácil para o Carver, enfrentar todo o julgamento.

    Com certeza um livro que aborda o luto, é muito triste.

  • Anelise Besson

    Olá Erika,

    Parabéns pela resenha. Eu amo livros que abordam sobre a morte também e o que me chamou a atenção foi em relação ao grupo de amigos. Já li uma vez algo parecido, mas nada tão aprofundado. Acredito que será uma leitura muito agradável. Anotei a dica =)

    beijos!

  • julia campanha

    Gostei pelo fato de ser um young adult focado em amizade e não romance. Também gosto de livros que abordam a morte e o luto. Já está na minha meta de 2018.
    Obrigada pela dica!

  • Júlia Assis

    Oi Erika! Vi a capa desse livro e não dei nada para ela, mas por essa sinopse e pela resenha fiquei com bastante vontade de conferir essa história. Não consigo nem me imaginar no lugar do Carver, perder todos os amigos e ainda ser acusado juridicamente, deve ser realmente muito triste. E também gostei muito de ser um young adult sem tanto foque no romance :D

  • rudynalvacorreiasoares

    Erika!
    Importante ver assuntos como luto, preconceito e homofobia serem tratados em um livro. São sentimentos que devem ser discutidos de forma mais aberta mesmo.
    Confesso que fiquei com um tantinho de pena do Carver que além de estar só na jornada de superação, se vê angustiado.
    Deve ser uma ótima leitura.
    Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

  • Rozelaine Silveira

    Este livro está na minha wishlist…

  • Pamela Liu

    Oi Erika.
    Esse livro parece incrível. Deve ser muito difícil lidar com o sentimento de culpa, ainda mais quando outros a atribuem a você.
    estou muito curiosa para saber como Carver vai lidar com isso e sobre como será os dias de despedida dos amigos.
    bjs

  • Carolina Santos

    Acho bem interessante a história da culpa que as pessoas se sentem nesses momentos eu só fiquei um pouco confusa com essa capa acho que deve ter algum significado no andamento do livro porque eu achei ela bem feinha mas vamos ver o que a história nos reserva