#EspecialLovecraft – Nas Montanhas da Loucura

Nas Montanhas da Loucura é um conto de 1936 escrito por H. P. Lovecraft, e que serviu de inspiração para diversas outras obras, inclusive cinematográficas. Isso foi o que me motivou a iniciar a leitura desta história, meu primeiro contato com a escrita do autor.

Quem narra a história é Willian Dayer, um professor universitário e geólogo que inicia este conto como se escrevesse uma carta contando uma experiência bizarra que teve durante uma expedição à Antártida. A intensão era explorar o solo do local, utilizando as ferramentas mais modernas da época, mas o que o grupo de exploradores encontrou foi algo aterrorizante. Portanto, com a pretensão de impedir que algo semelhante se repita, ele narra ao leitor – de maneira bastante descritiva – o que aconteceu antes, durante e depois dessa jornada que mudou a vida de todos que fizeram parte da equipe.

Conforme a história avança e as descobertas vão sendo relevadas, o leitor entra em contato com um mistério que mescla ciência, biologia, civilizações ancestrais e seres jamais vistos por aqui. A ideia de terror está presente na narrativa desde a descrição dos problemas técnicos enfrentados até o momento em que narrador amarra as pontas soltas e informa o que aconteceu, deixando lacunas para que o leitor preencha com todas as possibilidades capazes de lhe causar arrepios.

Infelizmente, para mim, o terror não passou de apenas uma ideia. Achei forçada a tentativa de impor medo utilizando superlativos em excesso na narrativa, o fato das frases que abordavam os acontecimentos serem compostas sempre por ‘aterrorizante’, ‘medonho’, ‘indescritível’ e tantas outras palavras nesse sentido deixaram a sensação de que o autor queria chocar e causar um temor maior do que o necessário. Maior do que a própria história em si era capaz de proporcionar.

De qualquer maneira, o é fato que este conto é muito significativo. Não só nas obras do autor, mas principalmente porque abriu portas para que outras histórias semelhantes surgissem. Algumas delas – no meu ponto de vista –  mais aterrorizantes e impressionantes do que esta. Sabem aqueles filmes sobre aliens cheio de um terror cósmico que nos faz querer fechar os olhos e correr de medo? Então, é disso que estou falando. E foi disso que senti falta nessa narrativa.

Vocês já leram? O que acharam? Caso alguém tenha alguma sugestão de outros contos do autor que possam me ajudar a dar uma segunda chance às suas obras, por favor, deixe aí nos comentários ;)

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.