#EspecialPoe – Silêncio

Silêncio foi publicado originalmente como Siope – Uma Fábula, em 1838. Temos aqui, em poucas palavras, uma conversa diferente e carregada de elementos intrigantes.

“Escuta – disse o demônio, pousando a mão sobre a minha cabeça.” Assim começa o conto que narra o encontro de um homem com o próprio diabo. O ser começa a contar uma fábula para o homem, que se passa em um lugar distante às margens do rio Zaire, na Líbia. Ele faz uma descrição minuciosa do local. Um lugar estranho, com uma terrível floresta e flores venenosas. É lá que vive o silêncio.

Em um rochedo existe uma palavra escrita. E acima desse rochedo o diabo avista a figura de um homem. “Tinha a fronte alta e pensativa, os olhos profundos e melancólicos.” É então, que o diabo passa a usar de todos os seus artifícios para atormentá-lo, até levar esse homem a verdadeira loucura. Mas como ele fará isso? O homem será capaz de aguentar suas investidas?

Ao começar esse conto eu já sabia que adoraria. Poe está entre os meus escritores preferidos. Ele prende nossa atenção desde o início ao introduzir, logo no início da história, ele: o próprio diabo. Após isso ficamos atentos, absorvendo cada detalhe dessa história. Tentamos entender o motivo que levou o diabo a atormentar esse homem. Qual será o seu próximo passo para driblar a resistência dele? Por que ele está fazendo isso? Apenas pelo desejo de ver o pobre homem no seu limite?

Apesar de ser um conto curto, o autor conseguiu passar tudo que era importante. Ele nos faz ter várias sensações. Ao lermos, parece que sentimos com esse homem tudo o que ele está sentido, que passamos pelas mesmas provações que ele. O clima de mistério, misturado com um leve toque de terror psicológico, nos faz adentrar em uma história angustiante. Esse não é um conto fácil de entender, suas interpretações podem ser muitas. Creio que o demônio estava fazendo um teste com o pobre homem, que só sucumbiu no final. Quando é testado ao extremo e passa a não suportar a última palavra que é escrita na rocha.

É colaboradora do Resenhando Sonhos.
Natural de São Sepé, atualmente morando em Santa Maria.
Formada em Gestão da TI pela URCAMP e cursando Produção Editorial na UFSM.
Apaixonada por livros, Johnny Cash e cachorros.

  • Nathi

    Poe é maravilhoso, sombrio e perturbador na medida certa! Sempre fico muito envolvida pelos seus contos, sejam eles curtos ou longos. Ainda não li esse, mas com certeza entrou pra minha lista de futuras leituras.

    • Geórgea Teixeira Morais

      Olá, Nathi! Concordo com tudo que você falou sobre ele. Poe é o cara!

  • Camila Rezende

    Olá Geórgia,
    Depois de ler a sua opinião sobre esse conto e ter citado que ele é curto, acabei indo ler e gostei.
    Mesmo sendo curto gostei da descrição que o autor fez com o lugar em que se passa a estória.
    Fiquei curiosa para conhecer mais obras desse autor.

    • Geórgea Teixeira Morais

      Oi, Camila. Fico feliz em saber que você gostou, espero que você acaba lendo mais coisas dele! :)

  • Thais M. Costa

    Ola. Bom, nao sou de ler contos, mas muitos aqui tem me chamado a atencao e essw foi um deles, ainda mais por ser curtinho.

    • Geórgea Teixeira Morais

      Oi, Thais! Que bom =) Espero que você acabe lendo mais alguns!

  • Karina Rocha

    O conto deve ver muito envolvente, gostei da introdução dele, falando do diabo logo de cara. To muito curiosa para ler!!

    • Geórgea Teixeira Morais

      Oi, Karina! Esse conto é ótimo mesmo! ;)

  • Thaynara Ribeiro

    Ler que o encontro é sobre um homem e o diabo já me intrigou completamente. Curti a resenha e acho que vou começar a ler Poe por esse conto

    • Geórgea Teixeira Morais

      Olá, Thaynara! Fico feliz em saber que você gostou =)

  • Kristine Albuquerque

    Só pela premissa do encontro entre um homem e o diabo já me interessei. Ótima resenha :)

    • Geórgea Teixeira Morais

      Oi, Kristine. Obrigada, que bom que você gostou! :)

  • Gabriela Souza

    Oi! Achei a proposta do conto meio perturbadora. Ver o próprio diabo atormentando alguém a ponto de levar a pessoa a loucura é sombrio demais até para mim hahah Vou deixar esse passar. Beijos