fbpx

Evangelho de Sangue – Clive Barker

Evangelho de Sangue é do autor Clive Barker, onde ele torna a explorar o mundo dos Cenobitas de Hellraiser. Ele foi lançado em 2016 pela DarkSide Books.

Sobre o livro

O detetive Harry D’Amour é um dos poucos que conhecem a verdade sombria de Nova York. Há muitos anos ele lida com demônios, fantasmas e as magias mais ocultas. Com a ajuda de sua amiga Norma Paine, uma senhora cega, mas que enxerga os mortos muito bem, ele adentrará em uma nova missão. Recentemente, o fantasma de um homem chamado Carston Goode procurou-os pedindo ajuda. Ele precisa que o detetive vá até uma casa que ele usava enquanto vivo e que sua esposa não pode descobrir.

“Harry estivera na companhia de fantasmas com frequência suficiente para saber quais pequenos sinais deveria buscar: certa estranheza na forma com que as sombras se moviam, às vezes, um zumbido grave, noutras, o reles silêncio dos animais nas redondezas.”

Paralelo a esses acontecimentos, os magos mais poderosos do Círculo Supremo, estão sendo assassinados de maneira brutal. Agora restam apenas cinco desses magos e esse número parece estar prestes a diminuir mais uma vez. De maneira brutal, o Sacerdote do Inferno, também conhecido como Pinhead é o último cenobita vivo e aparece mais uma vez para causar terror nos que sobreviveram.

Após o detetive chegar na misteriosa casa os mundos dele e do cenobita se cruzarão. Descobriremos juntamente com ele quais os planos desse demônio e o que ele tem guardado para D’Amour. Conheceremos de perto o próprio inferno e as criaturas que nele habitam. Passando por cenários desolados e sem esperança veremos dois opostos se encontraram para um acerto de contas final.


Minha opinião

Rituais macabros, magias, brutalidade, orgias, demônios e mortes marcam essa trama diabólica e sobrenatural. É impossível não nos perguntarmos o que habita a mente do autor. De onde ele tira tantas atrocidades e aflição? Vale ressaltar, que aqui temos o encontro de dois personagens famosos de Clive Barker, de um lado Harry D’Amour o detetive particular e paranormal que apareceu pela primeira vez  no conto “A Última Ilusão” que faz parte do “Livros de Sangue” como sétimo volume da série. E de Pinhead, o líder dos cenobitas que conhecemos em Hellraiser – Renascido do Inferno.

Um personagem tão icônico quanto Pinhead não poderia ser deixado de lado por tanto tempo, de tempos em tempos ele precisa retornar. Por onde esse demônio passa ele espalha o caos, a morte e o terror. Sua frieza e métodos nada convencionais para infligir dor, nos deixam sempre com o estômago embrulhado, além de sermos sempre surpreendidos, pois cada vez ele inova mais em suas torturas. Além disso, seu visual também é marcante e o que mais se destaca nele são os diversos pregos enfiados na sua cabeça. Tudo isso cria uma figura enigmática e que você não gostaria de encontrar em uma rua escura à noite. (ou talvez em nenhum momento da vida!).

“Sua carne era virtualmente branca, a cabeça careca tinha sido ritualisticamente marcada com sulcos profundos que corriam tanto horizontal quanto verticalmente, sendo que em cada interseção um prego fora martelado através da carne sem sangue até o osso.”

Ainda não havia feito contato com o detetive Harry D’Amour. O pouco que sei sobre ele, pesquisei após começar a ler esse livro. No entanto, desde que fui apresentada ao personagem fiquei extremamente curiosa para ler as outras obras em que ele está inserido. Ele é muito cativante, ácido e justo. Amei suas sacadas originais e humor negro que descontraia essa narrativa tão tensa e cheia de seres sobrenaturais e cruéis. Ele possui todo um background que merece ser conhecido. Seu passado é cheio de acontecimentos que ajudaram a moldar a pessoa que ele é hoje. Tudo o que ele passou, e que era relembrado aqui, serviu para me deixar ainda mais curiosa e apiedada dele. A força que ele possui agora e os conhecimentos adquiridos durante os anos, serão essenciais para o desenrolar dessa trama. O personagem me lembrou muito Constantine vivido por Keanu Reeves no filme de mesmo nome que estreou em 2005.

E o que falar das torturas, órgãos expostos e membros arrancados? Neste livro o autor foi ainda mais criativo nas formas de fazer um ser humano sentir dor. Suas ideias são das mais doentias e sangrentas, cada vez que Pinhead aparece já nos preparamos para um banho de sangue. Quando conhecemos o Inferno, pela visão do nosso protagonista, temos uma nova torrente de informações e seres grotescos caminhando por essa terra desolada. É incrível o quanto o Barker consegue ir longe na hora de imaginar e apresentar cada detalhe que ajuda a construir o cenário presente a cada virada de página. Uma jornada pelo inferno muito mais tenebrosa e detalhada do que a feita por Dante em a Divina Comédia.

“A cabeça fora cerrada através do osso, do topo do crânio à base do pescoço, cortando ao meio o nariz, a boca e o queixo, deixando apenas sua língua inteira, que descansava à esquerda da boca. Para impedir que ossos e músculos voltassem à posição natural, um grosso bastão de ferro, talvez com doze centímetros de comprimento, tinha sido enfiado dentro do vão da cabeça dividida.”

O que está oculto por aí e nem imaginamos? Por trás de uma imagem comum pode estar escondido algo cruel e inimaginável. A Nova York que nos é apresentada, mostra o que de mais sujo e podre que se esconde por suas vielas escuras, onde cada virada de esquina pode trazer um novo monstro – muitas vezes o próprio ser humano. Com uma narrativa confusa no começo, vemos o desenrolar de uma batalha que está prometida há muitos anos quando o autor realiza o encontro de seus personagens mais populares. No meio de tantas informações, ficamos meio perdidos e nem tudo é explicado, mesmo assim é possível pegar o teor da mensagem que é transmitida.

Este livro é imprescindível para todos os fãs do autor, além disso, essa edição está de encher os olhos. A capa, o miolo, cada detalhe que foi pensado fez a diferença para nos transportar para esse mundo cheio dos seres mais temíveis e terríveis que você nunca imaginou. Se você é fã do autor e desse universo tão incrível e peculiar, não deixe de adentrar nessa narrativa. Você não irá se arrepender!

EVANGELHO DE SANGUE

Autor: Clive Barker

Tradução: Alexandre Callari

Editora: DarkSide Books

Ano de publicação: 2016

Clive Barker retorna à sua poderosa voz narrativa em grande estilo. Evangelho de Sangue é o sombrio, sangrento e brutal épico do terror, narrado pelo mestre inquestionável do gênero, e ansiosamente aguardado pelos fãs. Evangelho de Sangue oferece uma junção clara dentro do universo de Barker. Os leitores mais atentos já perceberam que as histórias dele se passam em um mesmo universo, mas, agora, o mundo de Hellraiser é explicitamente unido ao do detetive Harry D’Amour – que aparece em outras histórias do autor, como o conto “The Last Illusion”, presente no sexto volume dos Livros de Sangue, e no romance Everville. D’Amour, que se dedica a investigar casos sobrenaturais, mágicos e malignos, vem encarando seus demônios pessoais há anos. Quando ele se depara com uma Caixa das Lamentações, seus demônios internos são substituídos por demônios de verdade, conforme ele se vê enredado em um terrível jogo de gato e rato, absolutamente complexo, sangrento e perturbador. Evangelho de Sangue reconduz os leitores ao tempo marcado por dois de seus mais icônicos personagens, que conduzem a história em uma batalha entre o bem e o mal tão antiga quanto o tempo, onde o autor conecta a mitologia de Hellraiser ao Inferno bíblico.

 

 

É colaboradora do Resenhando Sonhos.
Natural de São Sepé, atualmente morando em Santa Maria.
Formada em Gestão da TI pela URCAMP e cursando Produção Editorial na UFSM.
Apaixonada por livros, Johnny Cash e cachorros.