A Faca Sutil – Philip Pullman

A Faca Sutil é o segundo volume da trilogia “Fronteiras do universo” escrita por Philip Pullman e publicado no Brasil pela editora Suma de Letras.

SOBRE O LIVRO

Will Parry é um garotinho de apenas doze anos mas que já possui grandes responsabilidades cuidando da casa e de sua mãe. Por ter problemas psiquiátricos, ela cresceu envolta em suas próprias paranoias e aflições, aparentemente vividas apenas por ela.

No entanto, o garoto está prestes a descobrir que alguns dos medos da mãe talvez não sejam tão imaginativos ou infundados, quando alguns homens aparecem em sua casa fazendo perguntas estranhas sobre o desaparecimento de seu pai e sobre as cartas que ele teria deixado para a esposa.

“À luz do poste da rua, ela moveu com cuidado os ponteiros do instrumento e relaxou a mente na forma de uma pergunta. O ponteiro começou a girar em torno do mostrador em uma série de pausas e arranques quase rápidos demais para os olhos.
Ela tinha perguntado: O que ele é, amigo ou inimigo?”

Quando acontecimentos levam a morte de um dos homens em sua casa, Will resolve fugir para a grande cidade de Oxford e é assim que sua aventura começa. Em sua fuga ele encontra uma fenda no espaço, capaz de transportá-lo para outro universo e sem prensar duas vezes acaba atravessando-a e chega até Citàgazze, uma misteriosa cidade habitada somente por crianças onde ele conhecerá Lyra, uma estranha garotinha junto de quem ele viverá uma enorme aventura.  O mundo em que estão é povoado por Espectros capaz de sugar almas, enquanto no céu, ocorre uma grande disputa entre anjos e feiticeiras. Enquanto Will procura pelo pai, e Lyra tenta encontrar a origem do Pó, eles acabam descobrindo um segredo mortal e uma arma cheia de poderes, capaz de decidir o resultado da guerra que se aproxima.

O que eles não imaginam é o quanto seus destinos estão conectados até precisarem se separar.


MINHA OPINIÃO

O universo criado por Pullman é sem dúvida complexo, misturando novos elementos, criando novos formatos e trazendo novos personagens. Com isso o autor acaba por dar ao leitor muitas informações de uma única vez, o que pode parecer confuso inicialmente, mas se conseguirmos encaixar cada pecinha desse enorme quebra cabeça, acabamos por descobrir o quão mágico é tudo isso.

Apesar da ordem, podemos considerar cada um dos volumes uma história “independente”, tendo um protagonista diferente, vivendo em um mundo diferente, e que posteriormente se encontrará com alguns personagens apresentados anteriormente, como é o caso do encontro em Will e Lyra.

Ao mesmo tempo, após ter lido o segundo volume, fiquei com a impressão de que o primeiro foi apenas uma introdução (construída em torno de uma história com suas próprias características), mas ainda assim, uma introdução. Os personagens por sua vez estão cada vez mais cativantes e acredito que a escolha de crianças como protagonistas acabou por dar um toque especial em toda a magia desta história.

“Pelo que somos, espírito. Pelo que fazemos, matéria. Matéria e espírito são uma coisa só.”

É encantador perceber ao longo da leitura como a ingenuidade das crianças é capaz de superar diferenças, crenças e até mesmo sobreviver a dificuldades extremas, principalmente se ela estiver ligada por uma amizade que não se importa com nada do que atormentaria os adultos.

Um ponto que pode ser criticado é a inserção de certa “violência” ou de aspectos que podem ser estranhos para a vida de crianças, apesar de acreditar que a violência que presenciamos diariamente não é em nada comparável a qual presenciamos em histórias de heróis e heroínas, mesmo sendo eles apenas crianças. Mas, ao contrário, acredito que devemos ver como uma evolução não somente dos personagens, mas o fato de o autor ter proposto um crescimento para a história enquanto eles passam a lidar com desafios maiores e também para o próprio leitor, já que o livro é classificado como infantojuvenil. Dois pesos e duas medidas.

Apesar de ter ficado um pouco confusa no início, assim como no primeiro livro, até adentrar definitivamente a narrativa, posso dizer que sigo cada vez mais encantada por esta história. Algo bacana a se observar talvez seja o fato de que uma fantasia que mistura tantos mundos e elementosnão seja o ideal para aqueles que não tenham facilidade com o gênero ou que se incomodem com a forma com que as informações são dispostas, ou seja, prefiram receber cada informação de cada vez. Mas para aqueles que sejam fascinados por mitos, seres mágicos, espectros e universos descabidos, a trilogia é mais do que um prato cheio. Mal posso esperar para descobrir qual será o desfecho dessa jornada.

thumb_livro

45estrelasb

A FACA SUTIL

Autor: Philip Pullman

Editora: Suma de letras

Ano de publicação: 2017

Perdida em um mundo novo, Lyra Belacqua encontra Will Parry — um fugitivo que logo se torna um aliado mais que necessário. Pois este novo mundo é povoado por Espectros sugadores de alma, e no céu as feiticeiras disputam espaço com anjos. Will procura pelo pai, um explorador desaparecido há anos, e Lyra busca a origem do Pó. No entanto, o que os dois encontram é um segredo mortal e uma arma de poder absoluto, capaz de decidir o resultado na guerra que se forma ao redor deles. O que nenhum dos dois suspeita é do quanto suas vidas, seus objetivos e seus destinos estão conectados… até que precisam se separar. A faca sutil é a viciante sequência de A bússola de ouro, um clássico da fantasia considerado pela Entertainment Weekly “o melhor livro de todos os tempos”. A fantástica aventura de Lyra continua, levando o leitor a novos mundos, rumo a uma descoberta devastadora.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 20 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.