A Faca Sutil – Philip Pullman

A Faca Sutil é o segundo volume da trilogia “Fronteiras do universo” escrita por Philip Pullman e publicado no Brasil pela editora Suma de Letras.

SOBRE O LIVRO

Will Parry é um garotinho de apenas doze anos mas que já possui grandes responsabilidades cuidando da casa e de sua mãe. Por ter problemas psiquiátricos, ela cresceu envolta em suas próprias paranoias e aflições, aparentemente vividas apenas por ela.

No entanto, o garoto está prestes a descobrir que alguns dos medos da mãe talvez não sejam tão imaginativos ou infundados, quando alguns homens aparecem em sua casa fazendo perguntas estranhas sobre o desaparecimento de seu pai e sobre as cartas que ele teria deixado para a esposa.

“À luz do poste da rua, ela moveu com cuidado os ponteiros do instrumento e relaxou a mente na forma de uma pergunta. O ponteiro começou a girar em torno do mostrador em uma série de pausas e arranques quase rápidos demais para os olhos.
Ela tinha perguntado: O que ele é, amigo ou inimigo?”

Quando acontecimentos levam a morte de um dos homens em sua casa, Will resolve fugir para a grande cidade de Oxford e é assim que sua aventura começa. Em sua fuga ele encontra uma fenda no espaço, capaz de transportá-lo para outro universo e sem prensar duas vezes acaba atravessando-a e chega até Citàgazze, uma misteriosa cidade habitada somente por crianças onde ele conhecerá Lyra, uma estranha garotinha junto de quem ele viverá uma enorme aventura.  O mundo em que estão é povoado por Espectros capaz de sugar almas, enquanto no céu, ocorre uma grande disputa entre anjos e feiticeiras. Enquanto Will procura pelo pai, e Lyra tenta encontrar a origem do Pó, eles acabam descobrindo um segredo mortal e uma arma cheia de poderes, capaz de decidir o resultado da guerra que se aproxima.

O que eles não imaginam é o quanto seus destinos estão conectados até precisarem se separar.


MINHA OPINIÃO

O universo criado por Pullman é sem dúvida complexo, misturando novos elementos, criando novos formatos e trazendo novos personagens. Com isso o autor acaba por dar ao leitor muitas informações de uma única vez, o que pode parecer confuso inicialmente, mas se conseguirmos encaixar cada pecinha desse enorme quebra cabeça, acabamos por descobrir o quão mágico é tudo isso.

Apesar da ordem, podemos considerar cada um dos volumes uma história “independente”, tendo um protagonista diferente, vivendo em um mundo diferente, e que posteriormente se encontrará com alguns personagens apresentados anteriormente, como é o caso do encontro em Will e Lyra.

Ao mesmo tempo, após ter lido o segundo volume, fiquei com a impressão de que o primeiro foi apenas uma introdução (construída em torno de uma história com suas próprias características), mas ainda assim, uma introdução. Os personagens por sua vez estão cada vez mais cativantes e acredito que a escolha de crianças como protagonistas acabou por dar um toque especial em toda a magia desta história.

“Pelo que somos, espírito. Pelo que fazemos, matéria. Matéria e espírito são uma coisa só.”

É encantador perceber ao longo da leitura como a ingenuidade das crianças é capaz de superar diferenças, crenças e até mesmo sobreviver a dificuldades extremas, principalmente se ela estiver ligada por uma amizade que não se importa com nada do que atormentaria os adultos.

Um ponto que pode ser criticado é a inserção de certa “violência” ou de aspectos que podem ser estranhos para a vida de crianças, apesar de acreditar que a violência que presenciamos diariamente não é em nada comparável a qual presenciamos em histórias de heróis e heroínas, mesmo sendo eles apenas crianças. Mas, ao contrário, acredito que devemos ver como uma evolução não somente dos personagens, mas o fato de o autor ter proposto um crescimento para a história enquanto eles passam a lidar com desafios maiores e também para o próprio leitor, já que o livro é classificado como infantojuvenil. Dois pesos e duas medidas.

Apesar de ter ficado um pouco confusa no início, assim como no primeiro livro, até adentrar definitivamente a narrativa, posso dizer que sigo cada vez mais encantada por esta história. Algo bacana a se observar talvez seja o fato de que uma fantasia que mistura tantos mundos e elementosnão seja o ideal para aqueles que não tenham facilidade com o gênero ou que se incomodem com a forma com que as informações são dispostas, ou seja, prefiram receber cada informação de cada vez. Mas para aqueles que sejam fascinados por mitos, seres mágicos, espectros e universos descabidos, a trilogia é mais do que um prato cheio. Mal posso esperar para descobrir qual será o desfecho dessa jornada.

thumb_livro

45estrelasb

A FACA SUTIL

Autor: Philip Pullman

Editora: Suma de letras

Ano de publicação: 2017

Perdida em um mundo novo, Lyra Belacqua encontra Will Parry — um fugitivo que logo se torna um aliado mais que necessário. Pois este novo mundo é povoado por Espectros sugadores de alma, e no céu as feiticeiras disputam espaço com anjos. Will procura pelo pai, um explorador desaparecido há anos, e Lyra busca a origem do Pó. No entanto, o que os dois encontram é um segredo mortal e uma arma de poder absoluto, capaz de decidir o resultado na guerra que se forma ao redor deles. O que nenhum dos dois suspeita é do quanto suas vidas, seus objetivos e seus destinos estão conectados… até que precisam se separar. A faca sutil é a viciante sequência de A bússola de ouro, um clássico da fantasia considerado pela Entertainment Weekly “o melhor livro de todos os tempos”. A fantástica aventura de Lyra continua, levando o leitor a novos mundos, rumo a uma descoberta devastadora.

É resenhista do Resenhando Sonhos. Estudante de Direito, 20 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.
  • julia campanha

    Estou lendo A Bussola de Ouro e estou amando. Fico feliz em saber que o segundo também é bom, fiquei um pouco triste em saber que vou ter que me despedir desses personagens, apesar de aparecerem um pouco no segundo livro.

  • Daiane Araújo

    Oi, Ana Luiza.

    Acho que o que se destaca nesse livro, é esses dois mundos existentes, esses aspectros sugadores de almas aterrorizantes, mas que só sugam almas de adultos, a busca incessante pelo pai do Will, e é claro, as aventuras vividas por ele e pela Lyra!

  • Júlia Assis

    Oi, Ana! ♥
    Não sabia que os volumes eram independentes, por isso comecei a ler a resenha com um pé atrás. Com essas capas novas eu fico cada vez mais tentada a ler essa trilogia. O fato de os protagonistas serem crianças deve realmente ser encantador, já que elas são ingenuas mesmo :). Talvez eu compre o primeiro volume para dar uma chance para essa série :D

  • Natália Costa

    Oi Ana! Ouvi muitos elogios sobre esta série!
    Não sabia que eram independentes. Só não coloquei ela como meta para 2018 pq tenho outras prioridades, mas quem sabe pro ano que vem?

  • Anelise Besson

    Ana, fiquei encantada com a sua resenha!
    Eu não conhecia o livro, mas achei interessante a premissa. Me parece ser uma aventura bem interessante de acompanhar. Anotei a dica por aqui, espero ler em breve tb. :)

    beijos!

  • rudynalvacorreiasoares

    Luiza!
    Já havia me convecido a ler os livros da trilogia, porém infelizmente não tive oportunidade de lê-los.
    Gosto demais de livros de fantasias bem escritos e que trazem aventura, além das amizades e objetivos a serem alcançados.
    Quero muito poder ler.
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

  • Pamela Liu

    Oi Ana.
    Já vi algumas resenhas positivas sobre a história, mas mesmo assim não tenho interesse em ler os livros.
    Não sabia que os livros eram independentes, com personagens diferentes.
    Que bom que apesar do início confuso foi possível entender e se envolver com a trama. Espero que o último livro seja muito bom.
    Bjs