Filha das Trevas – Kelly Keaton

Filha das Trevas é o primeiro livro da série Deuses & Monstros da autora Kelly Keaton. A publicação é de 2016 da Galera Record.

20161016_194404

Sobre o Livro

Ari Selkirk tem 17 anos e está em busca de respostas sobre sua família. Ela foi adotada por um casal depois que sua mãe cometeu suicídio, e cresceu com a necessidade de encontrar respostas. Ela tem cabelos prateados esquisitos, que a destacam e por vezes parecem ter até vontade própria, além de olhos azul-esverdeados. Mas, na configuração do mundo atual, isso não é a coisa mais estranha.

“O que você vai fazer, Ari? Fugir? Vai fazer de conta que é uma garota normal e que não consegue lidar com esquisitices desse tipo? Ou vai ficar e aguentar o tranco e descobrir o que você é de verdade?”

Depois de um furacão que traumatizou a todos e mudou a forma de como as coisas funcionam, Nova Orleans foi isolada e murada. Adquirida por uma junção das maiores e mais importantes famílias do local, Nova 2 foi separada e, segundo muitos dizem, se tornou um lar para os mais diversos tipos de pessoas e seres.

Em sua busca por pistas, Ari será levada a Nova 2 por uma aliada e apresentada a realidade da cidade. Ela possui treinamento em luta e com armas devido ao trabalho dos pais e portanto acha que conseguiria se defender. Porém, ela vai encontrar dentro dos muros dessa cidade bem mais segredos do que os que estava procurando e, a verdade sobre quem ou o que ela é.


Minha Opinião

Resolvi pegar esse livro em função da capa e do nome serem muito parecidos com a Trilogia Feita de Fumaça e Osso, que é uma história que eu adoro. E, sim, há algumas semelhanças, mas as histórias se distanciam bastante depois de uma olhada inicial sobre a trama apresentada.

A primeira coisa que preciso ressaltar é que esse é um livro juvenil com dramas juvenis. Apesar da protagonista ter 17 anos, e ser relativamente adulta, a forma como a história é contada é bem voltada a um público mais novo que gosta de encontrar romance e dramas adolescentes. Em contra ponto, ela tem uma liberdade de dar inveja concebida por seus pais adotivos. Além de eles lhe terem ensinado a lutar e a atirar, permitem que ela saia em uma jornada desacompanhada na busca de pistas sobre sua família e, toda vez que falam com ela, dão força pra ela seguir em frente.

Não sei se é porque o mundo logo a frente e depois da catástrofe está assim tão diferente ou se é aquele velho problema dos livros com adolescentes onde eles tem sempre os pais mais liberais, despreocupados e relapsos do universo, pois desaparecem por dias, ninguém chama a polícia e está tudo bem sair no meio da noite pra combater alguma força oculta ou salvar um amigo de virar vampiro.

“A prova estava bem na minha mão. As palavras da carta da minha mãe, por mais maluco que isso pudesse parecer, haviam sido certeiras.”

20161016_194445

A certeza que temos é que Ari é especial de alguma forma e, ao conhecer que há pessoas “diferentes” dentro dos muros de Nova 2, não é difícil prever que ela deve ter algum tipo de ligação com tudo isso. Mas, essas revelações não vem sem peso e acho que ai foi o único ponto que fez com que eu me agarrasse um pouco mais a história.

Há seres que são nossos velhos conhecidos, como os vampiros, mas também há coisas diferentes. Parece que com a catástrofe algo despertou nas pessoas e algumas peculiaridades foram trazidas à tona, além de alguns humanos que apenas abraçaram a estranheza que tinham já em si e resolveram viver isso de forma mais plena.

A história vai ser uma mistureba de seres, poderes e habilidades. De simples lendas urbanas à seres mitológicos, tudo combinado em um só universo. As vezes funciona e as vezes não. Gostei de conhecer a história de Ari, mas acho que a atenção dada na relação de amizade e romance dela com os demais desvia o foco da trama central, irritando leitores que assim como eu não curtem o mimimi do amor instantâneo e adolescente tomando o espaço da história.

Ari é corajosa, mas também insegura e birrenta. Sebastian é o típico garoto bonitão, de boa descendência, com segredos e que vai proteger a garota indefesa. Portanto no foco dos personagens principais não temos nenhuma novidade. Quem chama mais a atenção por serem interessantes são os outros jovens e crianças que moram junto com Crank, garota que leva Ari até Nova 2 e também amiga de Sebastian.

Ao fim do livro a protagonista toma uma postura diferente e faz um bom cliffhanger para uma continuação. Se eu tivesse que apostar, diria que o próximo livro talvez seja mais sombrio e também mais maduro, mas ainda não tenho certeza se quero seguir acompanhando essa trama. O mix de coisas é interessante, a revelação é diferente, parece haver uma complexidade na forma como tudo funciona em Nova 2, mas nem sempre os elementos “sobrenaturais e místicos” parecem casar bem entre si, especialmente quando deixam tanto espaço para coisas menores ganharem destaque.

thumb_livro

4estrelasb

FILHA DAS TREVAS

Autor: Kelly Keaton

Editora: Galera Record

Ano de publicação: 2016

Ari se sente perdida e solitária. Com olhos azul-esverdeados e cabelos prateados esquisitos, que não podem ser modificados nem destruídos, sempre chamou a atenção por onde passava. Depois de crescer em casas adotivas, tudo o que quer é descobrir de onde veio e quem ela é. Em sua busca por respostas, encontra uma mensagem escrita pela mãe morta há muito tempo: fuja. A garota percebe que precisa voltar para o local de seu nascimento, Nova 2 — a cidade luxuosa, que foi inteiramente remodelada —, em Nova Orleans. Lá, ela é aparentemente normal. Mas cada criatura que encontra, por mais mortal ou horrível que seja, sente medo dela. Ari não vai parar até desvendar os mistérios de sua existência. No entanto, algumas verdades são terríveis e assustadoras demais para serem reveladas.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.