fbpx

Heroínas – Laura Conrado, Pam Gonçalves & Ray Tavares

Heroínas é um livro de contos nacional, das autoras Laura Conrado, Pam Gonçalves & Ray Tavares, publicado em 2018 pela editora Galera.

SOBRE O LIVRO

Baseado em Os Três Mosqueteiros, Rei Arthur e Robin Hood, Heroínas nos conta uma versão atual dessas histórias, substituindo nossos tão conhecidos heróis por mulheres. Em Uma por todas e todas por uma, de Laura Conrado, conhecemos Daniela. Uma jovem no último ano do ensino médio que tem como espelho de carreira, sua mãe, uma veterinária de muito prestígio. Daniela cresceu rodeada de bichos e por amor à eles, sonha em trabalhar como voluntária na ONG das Mosqueteiras. Porém, após ser destratada na portaria, sem ao menos ter a chance de fazer uma entrevista, ela acaba presenciando uma cena de maus tratos a um cachorro. Por ironia do destino, Agnes é voluntária na ONG das Mosqueteiras, e Daniela que viu seu sonho ruir, pode ter a chance agora de realizá-lo. No entanto, as coisas na ONG não vão muito bem, e Dani tem agora junto com suas amigas a função de tentar recuperar a ONG e não deixar um trabalho tão lindo, morrer.

“- Se tem uma coisa que a convivência com vocês me ensinou, é isso: ser amiga de uma mulher é apoiar em todas as situações, não só quando é fácil ou quando convém – disse Poli. – É romper com o mito de competição feminina, é acabar com as inseguranças e com os estereótipos… Eu aprendi a escutar e a valorizar a fala da outra, ainda que, às vezes, seja uma fala diferente da minha; a voz de toda mulher deve ser respeitada. Sororidade é isso né? É a gente se reconhecer uma na outra.”

Formando da Távola Redonda, de Pam Gonçalves, nos apresenta Marina. Ela namora a 2 anos o Guilherme, que vive pressionando-a para ter relações, mas ela não se sente preparada e vai enrolando enquanto dá. Marina é também uma ótima aluna e popular em sua escola. Por conta disso, a única que pode salvar a formatura do terceiro ano. Só tem um problema, todo o dinheiro que a escola tinha para o evento foi roubado faltando apenas 2 meses para a festa. Marina aceita o desafio e junto com outras meninas dos outros anos, farão de tudo para arrecadar dinheiro e fazer acontecer um dos momentos mais importantes de suas vidas.

No conto Robin, a proscrita, de Ray Tavares, nossa protagonista vive no bairro mais perigoso da sua cidade e faz um ano que ela faz justiça pelo seu povo após ver sua mãe morrer por falta de dinheiro e ajuda do pastor de sua igreja. Como ótima hacker que é, Roberta Horácio desvia dinheiro da conta de políticos corruptos para comunidade. Mas, não é só justiça que ela busca. Robin quer vingança. Por culpa do Pastor Felizzi, de sua igreja,um homem que rouba dinheiro do povo e que conseguiu ser muito rico por sua desonestidade e corrupção, ela ficou órfã. Mesmo apaixonada pelo filho de Felizzi, Robin fará de tudo para vingar a sua família e toda a sua comunidade.


MINHA OPINIÃO

Ultimamente eu tenho lido bastante livros de contos, algo que eu não costumava fazer porque sempre parecia faltar alguma coisa. Mas, tenho gostado bastante da experiência e a vontade de ler mais livros assim só aumenta, principalmente quando você lê algo que deu tão certo como Heroínas. Transformar alguns dos heróis mais famosos de nossas conhecidas histórias em mulheres, nos dias atuais, foi incrível. Até mesmo porque, diariamente nós mulheres somos heroínas de nós mesmas na luta pela igualdade de direitos.

Os contos são de uma escrita fluída e quando se percebe o momento em que eles têm relação com os heróis, se tornam bastante divertidos de acompanhar. Por mais que tenham escritoras diferentes, todos eles têm em comum uma mulher, ou várias, que salvam uma ONG, uma formatura ou a nossa população. Muita determinação, protagonistas fortes e uma pitada de romance.

“As pessoas sempre vão falar alguma coisa. É você que decide como vai ouvir.”

É complicado escolher um favorito. Pois Laura Conrado traz um assunto que eu apoio muito que é ONG’s para animais de rua. Pam Gonçalves, além de trazer mais uma história aqui em SC, também mostra uma personagem extremamente forte, que sabe dar a volta por cima. E não tem o que comentar sobre o conto de Ray Tavares, onde é possível tirar dos corruptos e devolver ao povo, algo de que o Brasil mais precisa, e que a gente mais quer que aconteça, não é mesmo?

Heroínas vai falar sobre mulheres não sendo o sexo frágil, mas acima de tudo, vai falar sobre sororidade. Algo que eu infelizmente não tenho visto muito nas histórias que leio. Foi com certeza, o ponto forte do livro. Em todos os contos, é possível perceber a união das mulheres, sendo elas já amigas ou acabando de se conhecer.

Se você gosta de histórias com personagens femininas fortes, e que tenham muitas amizades também de mulheres, não pode deixar de ler estes contos tão incríveis.

HEROÍNAS

Autor: Laura Conrado, Pam Gonçalves, Ray Tavares

Editora: Galera

Ano de publicação: 2018

Três escritoras brasileiras — Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares — reinventam clássicos para inspirar cada vez mais heroínas. Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem. Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura. Laura Conrado imaginou as Três mosqueteiras como veterinárias de uma ONG, que de repente contam com a ajuda de uma estudante que não hesita em levantar seu escudo para defender os animais. A Távola Redonda de Pam Gonçalves é liderada por Marina, que diante do sumiço do dinheiro que os alunos de sua escola pública arrecadaram para a formatura, desembainha a espada e reúne um grupo de meninas para garantirem a festa que planejaram. E Roberta é a Robin Hood de Ray Tavares. Indignada com a situação da comunidade em que vive, a garota usa sua habilidade como hacker para corrigir algumas injustiças. Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente.

Colaboradora do Resenhando Sonhos.

25 anos, Técnica em Química e apaixonada por livros desde que me conheço por gente!