Histórias Assustadoras para Contar no Escuro – Alvin Schwartz

História Assustadoras para Contar no Escuro é um livro contendo histórias do folclore americano e lendas urbanas reescritas por Alvin Schwartz e foi lançado pela editora José Olympio em 2016.

f1

Sobre o livro

De uma maneira completamente inovadora Schwartz nos ensina a como contar uma boa história aterrorizante. Da maneira como devemos falar baixo para prender a atenção do ouvinte até o momento exato de gritar ou fazer algum movimento que assuste um pobre desavisado. Nesse primeiro capítulo temos curtas histórias que lembram aquelas que sempre foram contadas quando éramos mais novos, quando as luzes já estavam apagadas e que povoavam a imaginação de crianças e jovens. Temos histórias de um menino que acha um dedão gigante e acaba tendo que acertar contas por isso, até uma cabeça ensanguentada rolando pela chaminé e finalizando com poeminhas de dar calafrios.

Em um segundo momento as histórias passam a ser mais maduras e amedrontadoras, e passam algum ensinamento ou deixam alguma lacuna no ar para que o leitor preencha. No texto “A coisa” vemos dois amigos avistando um ser estranho que sai do meio de uma plantação e vai até eles provocando medo e um terrível desfecho, em “A casa mal-assombrada” um padre tenta exorcizar um fantasma que habita uma casa e lá descobre que a história da assombração é muito mais complexa do que ele imagina, pois um assassinato foi cometido e guarda diversos segredos e, no texto “Os convidados” conhecemos a história de um casal que está viajando e decide passar a noite na estrada para seguir viagem no outro dia, nesse lugar isolado eles encontram uma casa com dois agradáveis e receptivos velhinhos.

“Ele se aproximou da coisa e examinou seu rosto. Os olhos da criatura eram fundos na cavidade ocular, embora vivos e penetrantes. Parecia um esqueleto.”

No próximo capítulo as histórias seguem mais voltadas para lendas urbanas que em algum momento já ouvimos ou vimos em filmes. “A garota que ficou de pé sobre uma sepultura” foca na assombrosa mania que jovens tem de não acreditar e de desafiar o sobrenatural, “A wendigo” traz uma criatura do folclore americano, que é conhecida por ser um espírito feminino que personifica o terrível frio das florestas do norte e amedronta quem decide passar por elas, além de “O gancho”, conhecida lenda urbana de um fugitivo de uma prisão que possui um gancho no lugar da mão e está a solta por aí, até completar com o incrível texto “Faróis altos”, a história de uma jovem que está voltando para casa sozinha e passa a ser perseguida por uma camionete que deixa os faróis altos em determinados momentos e faz com que ela entre em uma jornada alucinante para salvar a sua vida.

“Nunca fique de pé sobre uma sepultura depois que escurecer – preveniu um dos garotos. – O cadáver vai agarrar sua perna e te puxar para dentro da cova.”

Para terminar temos um capítulo recheado de histórias engraçadas e que ajudam o leitor a deixar um pouco da tensão e dar boas gargalhadas. Com um velho homem que sai para caminhar e no meio de uma tempestade acaba se abrigando em uma velha casa onde ao acordar depara-se com gatos assumindo tamanhos descomunais em “Vamos esperar até Martin chegar” e o divertido “O fantasma com dedos ensaguentados”, uma entidade que apavora o quarto de um hotel e que acaba vendo seu reinado chegando ao fim. Todas as histórias possuem a sua própria identidade e fazem com que o leitor chegue ao final do livro sem nem perceber.


Minha opinião

O livro reúne uma coletânea de história do folclore americano, assim como lendas urbanas recontadas por Alvin Schwartz e ilustradas por Brett Helquist. As histórias estão divididas em capítulos e cada uma delas está reunida conforme as suas peculiaridades. O livro possui um total de 29 histórias. Em um primeiro momento temos uma espécie de guia para contar histórias de terror e acredito que elas são mais leves, me lembraram muito as histórias que eu gostava de compartilhar com amigos e primos quando jovem e que nos faziam dormir com as luzes acesas e com aquele medinho do que poderíamos encontram no escuro ou debaixo da cama. A maioria dos contos não possuem muitos detalhes, são como se o próprio Alvin estivesse em uma conversa informal conosco, ávidos leitores.

No capítulo voltado para as narrativas mais maduras e que seguem uma linha de lendas urbanas, percebemos o amadurecimento sobre a temática que está sendo tratada e observamos um lado sombrio sendo tomado. Parece que o livro vai crescendo como uma pessoa. Começando pela infância com histórias mais leves e que levam a gritos e brincadeiras, chegando a adolescência com algo mais sombrio e que deixa um clima de tensão no ar, passando pela fase adulta com lendas urbanas bem mais sérias e marcadas de referências atuais e finalizando na velhice com histórias leves e engraçadas para mostrar ao leitor que devemos tirar algo cômico de tudo isso. Todas as tramas são muito bem contadas e dão os detalhes necessários para que formemos no nosso imaginário todas essas criaturas horrendas e cenários devastadores que fazem parte do livro.

“O fantasma atravessou a saleta, foi em direção ao padre e pegou o seu casaco. Era uma jovem mulher, com cerca de 20 anos. Sues cabelos estavam emaranhados e a carne despencava de seu rosto, de modo que ele podia ver os ossos e alguns de seus dentes. Ela não tinha globos oculares, mas uma espécie de luz azul fraca emanava da cavidade de seus olhos. Em seu rosto não havia nariz.”

f2

Na entrada de cada capítulo temos um resumo feito pelo autor sobre o que encontraremos nele. Assim como, uma ilustração que remete ao que será tratado no texto em questão, elas são muito bem feitas e dão um toque sombrio ao livro. As histórias são de uma maneira geral bem curtas e de no máximo duas ou três páginas e isso serve para a fluidez da leitura, e como guia para quem gosta de pregar peças nos menos avisados. Mas apenas em um primeiro momento temos essas dicas de sustos, depois as histórias amadurecem e chegam mais próximas de dar verdadeiros calafrios.

Gostei muito da organização do livro, da forma como foram distribuídos esses textos, de como seus capítulos foram colocados e a maneira com que o leitor passa de algo mais leve, para algo mais adulto e termina novamente com algo engraçado para acalmar os nervos. Apesar de meio infantil no começo é um bom livro e acredito que agradará o público em geral. Até aqueles que tem certo medo do terror. Com esse livro voltamos no tempo e passamos a temer monstros como se ainda fôssemos crianças. Recomendo ele para quem gosta conhecer boas histórias e posteriormente recontá-las para outras pessoas aplicando os truques ensinados por Alvin.

thumb_livro

3estrelasB

HISTÓRIAS ASSUSTADORAS PARA CONTAR NO ESCURO

Autor: Alvin Schwartz

Editora: José Olympio

Ano de publicação: 2016

Uma seleção imperdível de contos de terror, histórias de vinganças cruéis e relatos sobrenaturais, recontados por Alvin Schwartz. Alvin Schwartz escolheu as histórias do folclore americano e as lendas urbanas mais inquietantes e que fazem todo mundo tremer de medo há muito tempo. Isso porque essa tradição de contar histórias de terror começou há milhares de anos, com grupos se divertindo e se reunindo em volta de fogueiras para ver quem assustava mais. E é claro que um pouco de escuridão e muito silêncio fazem toda a diferença na hora de contar. Neste livro, você vai aprender como deixar todo mundo horrorizado e imaginando as criaturas mais estranhas e arrepiantes. Um livro perfeito para ser lido no escuro!

 

É colaboradora do Resenhando Sonhos.
Natural de São Sepé, atualmente morando em Santa Maria.
Formada em Gestão da TI pela URCAMP e cursando Produção Editorial na UFSM.
Apaixonada por livros, Johnny Cash e cachorros.

  • rudynalvacorreiasoares

    Geórgea!
    Bem interessante mesmo a forma como o livro foi elaborado e ainda ensina o leitor como contar histórias.
    Lendas urbanas são mitos e gosto de conhecê-las.
    E se tem até uma parte cômica e que nos faz dar algumas risadas, mostra que o livro nem é tão pesado quanto o título tenta passar.
    “Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    • Geórgea Teixeira Morais

      Olá, Rudy! É verdade! O livro é muito interessante nesse ponto. =) Beijo!

  • Daiele

    Oi Geórgia.
    Gostei desse titulo, dessa capa e da forma como vc disse que vemos o livro crescer como uma pessoa, achei bem interessante, afinal, é isso que se resume um om livro nao é?!
    Eu vi muito filmes passando na minha cabeça enquanto lia a sinopse e agora nao sei se esses contos foram baseados nos filmes ou se os filmes foram baseados em lendas americanas, intrigante nao?! hahaha
    Ao ler como o autor ensina a contar historias assustadoras, lembrei perfeitamente da minha infancia quando costumava contar historias assim e era muito divertido.

    beijos

    • Geórgea Teixeira Morais

      É verdade, Daiele! Também lembrei muito da minha, pois sempre amei histórias de terror! A minha maior diversão quando criança era compartilhar com os primos e amigos essas histórias apavorantes! =)

  • Lili Aragão

    Oi Géorgea, cada vez que leio uma resenha desse livro bate uma nostalgia e percebo que quase todo mundo já contou histórias de terror com primos e amigos na infância, ai já viu, termino de ler a resenha com aquele sorriso besta das lembranças daquela época. O livro parece ótimo e olha que fiquei mais velha e muito mais medrosa (ando fugindo de histórias de terror rsr), e mesmo assim fiquei interessada nele :)

    • Geórgea Teixeira Morais

      Oi, Lili! Mas são história bem mais leves que você vai adorar ler <3 Pode confiar! Hehehe Beijos

  • Lendas urbanas são muito maravilhosas pelo conteúdo folclorico que se arrasta com o tempo.
    Adorei a ideia do livro e já joguei ele na minha lista do skoob!
    Ah sim, parabéns pela crítica Geórgia!!!
    Sorteio Coleção percy Jackson e os Olimpianos | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

    • Geórgea Teixeira Morais

      Muito obrigada, Bela! Fico feliz em saber que você gostou! Beijinhos

  • Pamela Liu

    Oi Geórgea.
    Eu morro de medo de livros e filmes de terror. Portanto, eu não leria esse livro.
    Mas é bom saber que é um bom livro. Com contos mais leves, graduando para algo mais forte.
    Achei as ilustrações bem bonitas e assustadoras rs

    • Geórgea Teixeira Morais

      Olá, Pamela! Mesmo as histórias evoluindo conforme a narrativa avança, elas não ficam com aquele terror forte de apavorar até o mais corajoso. Acho que esse livro você encararia de boa! Beijo!

  • Marta Izabel

    Oi, Geórgea!!
    Que livro mais interessante!! Gosto de ler histórias sobre lendas urbanas. Achei bem legal o livro reunir histórias do folclore americano e lendas urbanas. Sem dúvida é uma excelente indicação de leitura!!
    Beijoss

    • Geórgea Teixeira Morais

      Que bom que você gosto, Marta! É um livro muito interessante, sim. Acho que você ia gostar. Beijo

  • Anne

    Nunca tinha ouvido falar desse livro nem da editora. Que legal!
    Achei a capa bem leve, o que poderia passar pra mim um ar de contos bem leves. Apesar de eu não gostar de livros de contos, eu sempre dou uma chance a eles. Eu prefiro lê-los devagar, sabe. Não ler tudo de uma vez porque fica chato, na minha opnição.
    Achei maraaaa as ilustrações que vem dentro. Muito carinho com a diagramação. *-*

    • Geórgea Teixeira Morais

      Também achei quando peguei ele, Anne! Eu sou diferente, preciso terminar tudo no mesmo dia. Hahaha!

  • Gabriela Souza

    Oi Geórgea! Eu amo livros de terror, e achei interessante um livro sobre folclore americano. Já li muitas e muitas resenhas negativas sobre ele, mas quero muito ler para tirar minhas próprias conclusões! Beijos

    • Geórgea Teixeira Morais

      Olá, Gabriela! É que acredito que as pessoas esperam algo cheio de sangue e terror, mas esse livro não foi feito pra isso. Ele tem uma proposta diferente e procura agradar todos os públicos. Espero que você acabe lendo ele um dia! Beijão

  • Bruna Prata

    Não conhecia esse livro, o achei super interessante!
    Desde criança que gosto de lendas urbanas, é algo sobrenatural que as pessoas acreditam, e sempre procurei explicações para essas coisas que não podem ser “comprovadas”. Já assistir várias séries que retratam ou falam superficialmente das lendas/folclore americano, mas nunca li nada, e como é um livro de contos (não tenho lá das melhores experiências) provavelmente não iria ler de vez.

    • Geórgea Teixeira Morais

      Oi, Bruna! Também adoro esse tema. Ainda prefiro os mais fortes e com cenas mais impactantes, mas esse livro também tem o seu lado bom. Beijo!

  • Thaynara Ribeiro

    Terror não é muito meu gênero favorito mas adoro lendas e saber mais sobre outras culturas então já queria logo d cara. Curti a resenha e gostei bastante das fotografias do livro. A primeira parte ensinando a assustar deve ser bem divertida de ler

    • Geórgea Teixeira Morais

      Obrigada, Thaynara! Que bom que você gostou! =) beijão!