Jogando Xadrez com os Anjos – Fabiane Ribeiro

Jogando Xadrez com os Anjos foi escrito por Fabiane Ribeiro, uma médica veterinária apaixonada pelos animais e pelas palavras, que no ano de 2012 nos presenteou com uma história encantadora pela editora Universo dos Livros.

DSCN6611

SOBRE O LIVRO:

“Jogando xadrez com os anjos é uma história sobre… bem… sobre… sobre tudo o que você já perdeu ou ainda vai encontrar.”

Em meio ao caos em que a Inglaterra foi deixada após a 2ª Grande Guerra vivia uma garotinha chamada Anny, e apesar de ser parte deste cenário, ela nunca teve contato com o mundo além dos muros da grande casa onde vivia com os pais Cindy e Jefferson. Apesar de darem à filha todo o conforto, os pais de Anny passavam a maior parte dos dias viajando e só podiam dar amor e carinho a menina aos sábados. Por que? Anny nunca soube, apenas sabia que era sobre um trabalho, o qual ela era “pequena demais para entender”.

Em um certo sábado Anny ficou o dia todo em sua pequena cadeirinha esperando pelos pais, no entanto, eles pareciam demorar uma eternidade. Quando chegaram, não houve espaço ou tempo para as comemorações, estavam ali apenas para entregar à Anny a notícia que mais entristeceria seu pequeno coração: eles não voltariam no sábado seguinte.

Anny sempre soube que o trabalho dos pais exigia muito tempo deles, mas jamais sonhou com algo tão assustador. Eles viriam vê-la apenas uma vez por ano, quando a neve caísse, e diferente de como havia sido até aquele momento, ela não passaria mais os dias em sua linda casa ou em seu quarto de brinquedos, mas sim, com uma nova família. Apesar da tristeza, Anny prometeu ao pai que seria forte e esperaria por eles com todo o amor que houvesse em seu coração.

“É divertido observar uma criança brincando. As crianças vivem em seu mundinho próprio e o veem como algo sério, dotado de muito sentido. Sorrimos para elas. As crianças conseguem aceitar nossos sorrisos. Se zombamos delas, porém, elas fogem de nós e não hesitam em se esconder. Como adultos, há muito perdemos a chave que abre as portas da beleza desse mundo infantil. Podemos observá-lo à distância, sentir a alegria e a atmosfera de aventura que fluem tão espontaneamente da imaginação da criança, mas não podemos entrar nesse mundo. Nós o perdemos para sempre. Já estivemos nele um dia, mas, ao longo do caminho da vida, perdemos a chave para abrir as portas desse mundo.”

Deixando para trás todos os seus brinquedos e conforto, Anny partiu levando apenas Tiara (seu pequeno bichinho de pelúcia) e o tabuleiro de xadrez de cristal que ganhara do pai. Ao longo de vários anos, foi assim que a pequena Anny viveu, e é claro que não era da forma que ela esperava ou estava acostumada, mas não havia do que reclamar, afinal a vida lhe deu vários amigos novos, cada um com suas peculiaridades e mistérios.

E, acima de tudo, ela tinha o seu próprio reino, para onde era transportada todas as noites quando adormecia, onde tudo era mágico e trazia a paz ao seu coração enquanto sua longa espera pelo dia em que viveria junto dos pais para sempre.

MINHA OPINIÃO:

Tudo se tornou simplesmente maravilhoso ao longo da leitura. A forma como somos levados a enxergar o mundo, e não só ele, mas a vida de cada ser como um todo é emocionante. Apesar de ser muito pequena quando começamos a acompanhar sua história, Anny sempre foi dona de um coração enorme, gentil e incapaz de sentir mágoa de quem quer que fosse, por qualquer motivo.

Apesar de o tempo passar depressa após o primeiro ano da narrativa e da personagem se distanciar cada vez mais de sua infância, em momento algum ela perde o brilho e a inocência em seu modo de ver o mundo e a cada um. Seu amadurecimento, ao contrário, apenas a torna cada vez mais generosa e sensível, algo que para nós e quase impossível. Anny, assim como todo o aspecto em que a narrativa é contada, se tornam uma grande “lição” a todos que estejam abertos a ouvi-la.

“Não há tarefa mais difícil que compreender a nós mesmos.”

18

Talvez uma das lições mais importantes que Anny nos ensina é a esperar das pessoas apenas aquilo que são capazes de nos oferecer, sem julgá-las ou condená-las por isso. Afinal, talvez, seja assim que descobriremos a beleza em cada cantinho delas, mesmo que esta esteja escondida fora da superfície.

Ao não esperar nada da vida ou de qualquer pessoa que fosse, Anny aprendeu uma importante lição, a partir da qual ela foi capaz de superar todas as barreiras que lhe foram impostas e continuar a crescer tão feliz quanto uma criança, ela aprendeu que não devemos tentar controlar o tempo, ou nos anteciparmos diante nossas vidas, afinal:

“A maravilha da vida é que não sabemos o que vai acontecer conosco, tudo pode mudar.”

E foi o que realmente aconteceu.

Tinha uma experiência maravilhosa lendo esse livro e experimente várias emoções. São 400 páginas para se emocionar com a escrita da autora e se encantar com a história e o olhar da pequena Anny sobre as coisas. Recentemente a autora anunciou a continuação, Dançando com as borboletas, e eu não vejo a hora de continuar a ler sobre essa jornada, com uma narrativa sensível e comovente.

JOGANDO XADREZ COM OS ANJOS

Autor: Fabiane Ribeiro

Editora: Universo dos Livros

Ano de publicação: 2012

A Europa encontra-se devastada pelos efeitos da Segunda Guerra Mundial, assim como coração da menina Anny, que é abandonada pelos pais e entregue a uma família que a maltrata diariamente.Tendo que conviver como escrava, passando fome e sem poder sair de sua nova casa, Anny conhece um vizinho misterioso que lhe ensina sobre o mundo lá fora. Em pouco tempo, ele se torna muito mais do que um companheiro para jogar xadrez, transformando-se em um fiel amigo para o seu coração sofrido.Para buscar conforto, todas as noites ela viaja para um mundo de fantasia em que as peças do seu tabuleiro de xadrez ganham vida trazendo conforto, esperança e fé.Mesmo passando por muitas dificuldades, Anny mostrará neste romance delicado, envolvente e emocionante que a felicidade está presente em detalhes tão sutis que só mesmo um anjo seria capaz de revelar.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 20 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.