Jogos Macabros – R. L. Stine

Jogos Macabros é do autor R. L. Stine e é lançamento de 2016 da Globo Alt. Esse é a história de número 52 de uma série que ja havia sido finalizada há 20 anos atrás, chamada a Rua do Medo, onde histórias individuais de terror se passam em um mesmo local. Stine também é o autor de Goosebumps.

Sobre o Livro

Rachel Martin mora em Shadyside e se tem algo que ela sabe que essa cidade teme é a família Fear. Ela cresceu ouvindo as lendas e mitos que cercavam essa rica e antiga família que sempre viveu na cidade, sobre ritos de bruxaria, fantasmas e invocações. Porém sempre teve tudo como uma lenda urbana, até porque Brendan Fear estuda na mesma escola que ela e, apesar de se excêntrico, parece um jovem normal.

Brendan é tido como um gênio que está sempre envolvido na criação de jogos para computador. Ele tem um círculo fechado de amigos e, por causa do histórico da sua família, sabe porque as pessoas não se aproximam muito dele. É numa noite normal, quando Rachel está na lancheria em que trabalha que Fear acaba por a convidar de forma bem inesperada para sua festa de aniversário.

Porém, se tratado dessa família, é óbvio que não seria algo casual. A festa vai ocorrer em uma mansão isolada na Ilha do Medo, com apenas alguns poucos e seletos convidados. Saindo de uma relacionamento conturbado e por causa de sua queda por Brendan, Rachel topa comparecer, apesar de todos os avisos que recebe.

“Sem explicação, soube que todas as árvores estavam vivas. Estavam vivas me observando. Era algum tipo de armadilha. Eu sabia que jamais escaparia.”

20160814_175516

Mas, é somente quando eles realmente chegam nessa ilha e adentram a casa que as perspectivas começam a mudar, revelando que essa festa pode ser muito mais assustadora do que parecia no princípio e que há pessoas e forças ocultas influenciando os acontecimentos. É ai que Rachel começa a se perguntar: será que as lendas eram reais? será que a família Fear é realmente assombrada? Ou será que ela se meteu no meio de um perigoso jogo?


Minha Opinião

Eu não conhecia o autor e nem tinha conhecimento de sua série prévia, portanto já aviso que não é necessário ler nenhum livro anterior. A história é completamente independente e completa por si só. R. L. Stine tem uma escrita muito fluída que faz as páginas voarem e instigam o leitor a seguir em frente com as páginas até alcançar o livro.

Mas, se tratando de um livro com personagens adolescentes e com suspense/terror é óbvio que vamos ter aqui alguns típicos clichês e elementos que estamos acostumados nesse tipo de história. Sabe aqueles filmes de terror de jovens se metendo em uma casa sinistra e coisas estranhas acontecendo? Então, é nessa vibe. Porém, de forma alguma é um livro ruim ou dispensável.

“Alguém está querendo jogar, pensei. Jogos Macabros.”

20160814_175534

A forma como o autor escreve ajuda muito a criar o suspense do livro, pois enquanto temos uma personagem cética o cenário começa a dar sinais de que há algo a mais acontecendo e aos poucos vemos Rachel mudar também seus pontos de vista e a temer o Brandon e as lendas que cercam essa família.

Ele é um garoto frio e estranho, que parece bem calculista, mas é difícil identificar se ele é assim por maldade ou se realmente é uma característica que ele adquiriu devido a tudo que ele ouviu sobre as lendas da família. Já Rachel parece muito corajosa num primeiro momento e eu gostei bastante dela. Porém, quando o bicho realmente pega e a coisa fica tensa, ela vira a típica garota sem noção que sai correndo sozinha no escuro quando há alguém (ou alguma coisa) querendo assassinar todo mundo.

“Tentei calcular a resposta para uma pergunta que eu não conseguia afastar: ele é um tipo e gênio criativo ou um maluco perigoso?”

Por causa dessas coisas mais bobas acabei não conseguindo levar o livro tão a sério, apesar de ter dado boas risadas com os personagens e ter ficado tensa em alguns momentos também. E, aqui temos o personagem mais chato que eu já encontrei em um livro. Eric é um amigo de Fear e é o típico cara sem noção que fica sendo inconveniente e soltando piadinha pra todas as garotas e tirando sarro de todo mundo.  Ele é disparado, sem dúvida nenhuma, um dos personagens mais irritantes que já tive o desprazer de cruzar na literatura. Por outro lado ele também serve como o alívio cômico do livro e ajuda a dar ainda mais o tom de “filme pipoca” para o livro.

De modo geral é um livro de puro entretenimento que vai agradar o público mais jovem e que gosta de uma história mais simples, sem deixar de ter um tom mais engraçado também pra descontrair da tensão que se constrói.

Outra coisa interessante é que ele não entra no debate sobre o que é real e o que é sobrenatural, deixando que o leitor venha a tomar suas próprias conclusões e formular suas teorias sobre o que pode ou não estar acontecendo. Então, em praticamente nenhum momento temos a certeza plena de com o que estamos lidando.

Há vários twistes na história e isso ajuda a manter o ritmo já fluido da escrita do autor e faz com que a experiência do livro seja sim positiva apesar de todos o pontos levantados. Acho que pra quem aprecia uma história mais tradicional, vai encontrá-la aqui escrita para o píblico young adult, colocando Jogos Macabros como uma opção para quem quer ler uma história mais tensa, dúbia, mas com um alívio cômico pra descontrair.

35estrelasb

JOGOS MACABROS

Autor: R. L. Stine

Editora: Globo Alt

Ano de publicação: 2016

Todos na região conhecem a excêntrica e rica família Fear, e sabem também do passado terrível que os assombra. Apesar desses histórico nada promissor, Brendan Fear parece ser um garoto diferente de sua família. Gentil e simpático, o jovem vive rodeado de colegas e chama a atenção de Rachel Martin, uma garota simples, colega de classe dele.

Quando o aniversário de Brendan está prestes a chegar, ele começa a planejar uma comemoração um tanto diferente na isolada ilha do Medo, onde existe um casarão de veraneio pertencente à família Fear. Rachel é uma das convidadas para passar o final de semana no local sombrio e, contrariando os avisos dos amigos, decide ir. No caminho, coisas estranhas já começam a acontecer e, ao chegarem à mansão, Brendan dá as coordenadas para o início de um jogo que se revelará o mais mortal de todos.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.