fbpx

Literalmente – Lucy Keating

Literalmente é um livro da autora Lucy Keating. A publicação é de 2018 pela editora Globo Alt.

Sobre o Livro

Annabelle é uma adolescente metódica, extremamente bem organizada, que gosta de se programar para fazer tudo na vida. Usuária excessiva de post its e aluna exemplar, é aquele tipo de jovem que planeja com antecedência e realiza tudo aquilo que quer, do seu jeito, que tende a ser sempre o melhor possível.

Seu calcanhar de Aquiles é a aula de escrita criativa. Seus textos são técnicos demais, com emoção de menos e ela precisa encontrar maneiras de superar as dificuldades que está encontrando ali. A presença da autora Lucy Keating na cidade, palestrando sobre escrita para a turma de Annabelle, pode ser de extrema ajuda e sem dúvidas a solução para seus problemas.

“Minha vida está repleta de TKS porque minha vida não me pertence. Minha vida pertence a Lucy Keating.”

Seria, se esta autora não estivesse escrevendo um livro sobre uma adolescente que vê sua vida perfeita virar de pernas para o ar, exatamente como a de Annabelle. Após a autora confirmar que está escrevendo justamente sobre a vida de Anna, e quando os acontecimentos da ficção ficam próximos demais do que a realidade apresenta, a jovem decide que está na hora dela mesma ser a autora da sua própria história.


Minha Opinião

Literalmente é meu primeiro contato com a escrita da Lucy Keating, e resolvi lê-lo porque achei a premissa bastante interessante. Uma autora que escreve um livro sobre ela mesma dentro de um livro, escrevendo um livro sobre uma adolescente que está tanto no livro quanto ali ao redor? Me parecia confuso e divertido em igual medida, e por isso resolvi arriscar. No início da narrativa somos apresentados a Annabelle e toda sua personalidade virginiana: ela é tão metódica e tão organizada que traços de TOC foram identificados ali. É interessante perceber essa rigidez da protagonista, para seguir um roteiro na vida, porque é a partir da ruptura desse roteiro perfeito que a história começa a ficar interessante.

Se em um momento ela tinha os próximos meses agendados no calendário com todos os afazeres separados por cor, no próximo instante ela se depara com notícias que prometem transformar de maneira definitiva sua vida. Nesse momento a gente sente uma certa agonia por ela, pelo fato dela estar perdendo o controle, e se compadece de modo que quando ela passa a se comportar de maneira infantil e irritadiça a gente não liga muito, não acha que interfere na história. Conforme a autora vai se inserindo na trama – já que aqui a própria Lucy Keating aparece como ela mesma – a imagem que a gente tinha formado da Anna vai se transformando.

“Minha vida está repleta de TKS porque minha vida não me pertence. Minha vida pertence a Lucy Keating.”

Isso porque, ao perceber que ao ter um livro sobre sua vida sendo escrito, sua própria vida vai seguindo aquele roteiro, ela dá uma leve surtada. E vê-la tentando recuperar as rédeas dessa existência ao mesmo tempo em que descobre maneiras de seguir em frente com a nova constituição familiar, e com as novas possibilidades que aparecem, faz com que nosso carinho por ela aumente, e a gente torce para que essa mocinha consiga o ponto e vírgula, com um seu felizes para sempre em seguida. É claro que antes disso acontecera Lucy propõe que o leitor embarque em uma narrativa que mistura realidade e ficção inclusive dentro do próprio livro. Aqui a autora fala dos seus trabalhos (reais), enquanto utiliza um toque fantástico para desenrolar a história da Annabelle. Tem um triângulo amoroso bem basiquinho que achei legal, porque acontece de maneira fofa. Tem informações interessantes sobre escrita, que são passadas para os alunos, mas que sem dúvidas são úteis também para quem lê Literalmente.

Não tenho como fazer qualquer comparativo desta história com outras obras da autora, que são inclusive bastante citadas neste livro; mas é justamente por conta desse detalhe que fiquei curiosa para conhecer mais do seu trabalho. Literalmente não é um livro perfeito, é uma história que fala sobre adolescência e suas vicissitudes, fala sobre primeiro amor e sobre tudo aquilo que a gente precisa às vezes abrir mão, mesmo que doa, porque não cabe somente a nós manter tudo igual. É um livro leve, que embora trabalhe essas questões, não se aprofunda muito e utiliza de certo humor na narrativa; de modo que é ideal para leitores adolescentes ou para quem busque uma leitura mais despretensiosa.

 

LITERALMENTE

Autor: Lucy Keating

Tradução: Alice Klesck

Editora: Globo Alt

Ano de publicação: 2018

E SE A VIDA PERFEITA JÁ ESTIVESSE ESCRITA PARA VOCÊ?
Annabelle leva uma vida perfeitamente sob controle. Ela tem amigos, segue sua rotina à risca, está prestes a se formar e mora com os pais e o irmão mais velho em uma casa que ama.
Mas as coisas começam a fugir do controle quando Lucy Keating, autora best-seller de livros juvenis, vai à sua escola falar sobre seu novo romance e, curiosamente, passa a descrever a vida de Annabelle.
Logo fica claro que Annabelle é a mais nova protagonista da história de Lucy e, de súbito, o relacionamento de seus pais não parece mais tão perfeito, a casa que tanto ama corre sérios riscos de ser vendida, Will — um aluno transferido que parece literalmente feito para ela — não é mais tão interessante e Elliot, o melhor amigo de seu irmão, passa a ser algo mais que apenas um coadjuvante em sua história.
Lucy Keating pode ter um plano para ela. Mas Annabelle está disposta a escrever sua própria história.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.