Lugar Nenhum – Neil Gaiman

Lugar Nenhum é uma fantasia urbana do autor Neil Gaiman, tendo sido publicado pela Intrínseca em 2016.

01_lugar_nenhum

SOBRE O LIVRO

O jovem Richard Mayhew não sabia que sua vida iria ter uma grande reviravolta naquela noite. Seu dia no trabalho já fora estressante e, para piorar a situação, se esquecera de agendar um jantar em um importante restaurante da cidade, onde sua noiva Jéssica e o chefe dela iriam comparecer. O Dr. Stockton, um renomado empresário da cidade, poderia oferecer uma grande oportunidade de negócio, talvez a melhor de toda as suas vidas. Mas o que aconteceu a caminho do jantar mudou completamente o rumo de sua vida.

Correndo pelos esgotos sujos e escuros do subsolo de Londres, a ofegante e assustada Door tenta se esconder dos seus algozes, Sr. Croup e Sr. Vandemar. Os dois a seguem devagar, pois sabem que não há lugar no esgoto que eles não conheçam. Mas Door fez algo que não devia ser feito, algo que não era previsto: abriu uma porta para outro lugar, para outro mundo. Ela abriu uma porta para a Londres de Cima.

“Todas as chamas queimam, minha criança. Um dia você vai aprender.”

Richard e Jéssica não entenderam com clareza o que aconteceu, mas o que viram foi uma garota aparecer do nada e cair bem na frente deles. Richard resolve então ajudar a garota, ele e Jéssica brigam, mas ele leva a jovem desconhecida para casa. Porém, no dia seguinte, ele descobre algo estranho: ele não existe mais e ninguém consegue vê-lo. Sem entender o porquê disso, o homem vai descer ao submundo junto com Door e conhecer uma Londres cheia de criaturas estranhas e assustadoras. E, talvez, se juntar a outras pessoas invisíveis seja a única forma de entender o que aconteceu com ele e tentar resgatar a sua antiga vida.


MINHA OPINIÃO

Muitos amigos meus já haviam me falado sobre os livros do Gaiman e até me indicaram alguns. Com exceção de uma trilogia de ficção científica escrita pelo autor, eu não tinha interesse em ler suas outras obras. Até que uma colega de trabalho disse que me emprestaria Lugar Nenhum. A princípio, li a sinopse e achei a ideia interessante, mesmo assim não havia me despertado tanta curiosidade.

Estava sem nenhuma expectativa do que ia encontrar, o que foi muito positivo, porque terminei o livro sem ter aquela frustração gerada por esperar uma coisa e receber outra. A história é bacana e os personagens bem apresentados, a escrita do Neil é boa e simples, mas não foi com esse livro que ele me conquistou.

“Londres se tornou uma coisa gigantesca e contraditória. É um bom lugar, uma cidade razoável, mas há um preço a se pagar pelos bons lugares e um preço que todos os bons lugares têm que pagar.”

04_lugar_nenhum

Em Lugar Nenhum, vamos conhecer o jovem e bondoso Richard Mayhew, que se mudou para Londres há apenas quatro anos, onde possui um bom emprego, uma namorada de alta classe e uma vida reconfortante. Ele vive sua vida atarefada e estressante, mas sempre atento ao que acontece ao seu redor e disposto a ajudar quem precisasse. Mesmo que sua aparência lhe dê um ar de superioridade, Richard se compadecia dos excluídos, dos que estavam à mercê da sociedade. Foi assim que ele conheceu Door, a jovem que o levaria em uma grande – e sinistra – aventura por uma Londres subterrânea, a Londres de Baixo.

Após se tornar um completo desconhecido e invisível ao seu mundo, Richard vai ver sua vida pacata se virar ao avesso e também vai descobrir que tudo o que ele sempre julgou impossível pode, na verdade, ser possível na Londres de Baixo. Anjos, ratos falantes, vampiros e fantasmas são tão reais quando ele, e que abaixo da Londres onde ele morava existe um mundo repleto de coisas desconhecidas. Ao longo de sua jornada pelo Submundo, vemos o personagem passar a aceitar a sua ignorância e a dar maior valor as pequenas coisas do seu dia a dia. Se antes ele ignorava uma flor desabrochando ou um pássaro voando, agora ele começara a notar o quão belo eram essas coisas no seu mundo. O mundo inferior é frio, nojento e desprezível, mas é ali que o personagem aprende que é possível ser generoso sem esperar algo em troca ou que às vezes o que mais precisamos é de alguém que nos dê conforto.

“Meu jovem, entenda uma coisa: existem duas Londres. A Londres de Cima, onde você vivia, e a Londres de Baixo, o Submundo, onde habitam as pessoas que caem pelas brechas do mundo. Agora você é uma delas.”

Door é a personagem que em grande parte conduz a história. Sua família fora morta pelos cruéis Sr. Croup e Sr. Vandemar, que estão a caçando pelo submundo a mando de outra pessoa. Ela não sabe quem é, mas supõem que deva ser por conta dos segredos que sua família sempre preservou. Door é uma garota frágil, solitária, mas muito guerreira e inteligente. Mesmo diante de todo o mal que lhe cerca, ela não se deixa abater e percorre todo o submundo em busca do anjo Islington, que pode ser a sua única chance de descobrir quem a quer morta e porquê.

A construção da personagem Door é bem elaborada. No começo, quando Richard entra para o submundo, ela se mostra bastante antipática e muitas vezes grosseria. Porém, conforme vai convivendo com ele e com os outros amigos, a jovem vai se tornando mais simpática e brincalhona, e aos poucos vamos nos afeiçoando a ela e compartilhando de sua busca por respostas. Há momentos sim em que a personagem se mostra um pouco ingênua, mas na maior parte do livro ela se torna uma adorável companhia.

“O Sr. Croup começou a rir. O som de seu riso era como um quadro-negro sendo arrastado sobre as unhas de uma parede feita de dedos decepados.”

05_lugar_nenhum

A Londres de Baixo construída por Gaiman é bem interessante e descritiva. Algumas vezes conhecemos um ou outro personagem  aleatório, que tornam a descrição do submundo ainda mais enfática. Notei, de certa forma, que essa Londres de Baixo funciona como uma metáfora à Londres de Cima (ou a sociedade em geral), pois nela há todos os tipos de pessoas que geralmente são ignoradas: mendigos, artistas de rua, pessoas perdidas, crianças sozinhas, entre outros. Logo, acredito que a ideia do autor foi nos mostrar que a nossa volta há um mundo inteiro que fazemos questão de não ver, mas que se déssemos atenção, poderíamos encontrar boas pessoas e até mesmo salvá-las daquelas condições.

Uma coisa que fiquei sabendo ao ler esse livro é que na verdade ele é uma revisão de várias outras edições que já foram publicadas. É como se fosse um resumo do melhor que teve nos outros, excluindo algumas partes e acrescentando outras. Além disso, a obra é o primeiro romance escrito por Gaiman, e que foi feito a partir de uma série televisiva da BBC que ele mesmo havia criado em 1996. Esta edição, inclusive, traz um conto extra, uma cena que não existe nos outros livros, uma introdução escrita pelo próprio Neil Gaiman e um mapa do metrô de Londres, onde boa parte da história acontece.

03_lugar_nenhum

Se a função da história era criar um universo de questões reflexivas e a cerca dos excluídos socialmente, então eu diria que ele funciona muito bem. Infelizmente a narrativa não me ganhou ao longo de suas 330 páginas. Gostei da construção dos personagens, das reflexões embutidas na história, mas a trama em si não me envolveu, não me fez desejar saber o que iria acontecer com os personagens ou mesmo se Richard iria ou não conseguir ter a sua vida normal de volta. Inclusive, alguns diálogos são desnecessários e muitas vezes bobos. Há quem diga que o foco do livro não são os personagens, mas os acontecimentos em volta deles. Seja como for, me peguei lendo capítulos inteiros que não acrescentaram nada, ou pouquíssima coisa. Uma pena começar um livro e ao terminá-lo não poder dizer “nossa, essa história me surpreendeu”.

Lugar Nenhum pode não ter oferecido uma boa experiência para mim, mas para os fãs de fantasias urbanas e fãs de Neil Gaiman certamente é uma das várias leituras obrigatórias. Para quem, assim como eu, nunca leu nada do autor e vai começar por este, fica o meu conselho: vá sem expectativa. Quem sabe você dê mais sorte e se surpreenda com a história, não?

LUGAR NENHUM

Autor: Neil Gaiman

Editora: Intrínseca

Ano de publicação: 2016

Publicado pela primeira vez em 1997, a partir do roteiro para uma série de TV, o sombrio e hipnótico Lugar Nenhum, primeiro romance de Neil Gaiman, anunciou a chegada de um grande nome da literatura contemporânea e se tornou um marco da fantasia urbana. Ao longo dos anos, diferentes versões foram publicadas nos Estados Unidos e na Inglaterra, e Neil Gaiman elaborou, a partir desse material, um texto que viesse a ser definitivo: esta edição preferida, que também inclui uma introdução do autor, uma cena cortada e um conto exclusivo.
Em Lugar Nenhum, Richard Mayhew é um homem simples de coração bom que tem a vida transformada quando ajuda uma jovem que encontra ferida numa calçada. De um dia para o outro, Richard se torna invisível na Londres que sempre conheceu: não tem mais trabalho, não tem mais noiva, não tem mais casa. Para recuperar sua vida, ele se embrenha em um mundo que nunca sonhou existir, uma cidade que se abre nos esgotos e nos túneis subterrâneos: a chamada Londres de Baixo, em que personagens únicos e cenários mirabolantes fazem a Londres de Cima parecer uma mera paisagem cinza.

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.

  • Carolina Santos

    A primeira vez que eu ouvi falar sobre esse livro foi a turnê intrínseca do ano passado eles falaram que seria um relançamento do livro pela edição favorita do autor e fiquei muito interessada em ler por causa da sinopse e o contexto na qual o livro se envolveria achei muito interessante a premissa e realmente não sei o que é que me deu que ainda porque não coloquei essa leitura em dia