fbpx

A Luneta Âmbar – Philip Pullman

A Luneta Âmbar é o último volume da trilogia Fronteiras do Universo escrito por Philip Pullman e relançado no Brasil em 2017 pela Suma de Letras.

SOBRE O LIVRO

Will agora é o guardião da faca sutil. Ele prometera ao pai em seu leito de morte que entregaria a arma ao poderoso Lorde Asriel. 

Enquanto uma guerra se aproxima das fronteiras entre todos os tempos, forças de todos os universos procuram encontrar seu lugar na rebelião de Asriel contra a Autoridade. Qualquer feiticeira, anjo, espião, assassino ou mentiroso tem um papel do qual não poderá fugir. No entanto, a tarefa dos amigos Will e Lyra é a mais perigosa. Eles devem alcançar um misterioso mundo feito de sombras, um mundo onde nenhuma criatura viva conseguiu penetrar, ou sair.

“Finos vapores escapam de tudo que fazem os vivos. A noite é fria e cheia de anjos, esmagando os vivos. As fábricas estão todas iluminadas, o soar do carrilhão se eleva, sem ser ouvido. Afinal, estamos juntos, ainda que muito distantes.”

O destino dos vivos e dos mortos depende dos dois, mas será que eles serão capazes de fazer a escolha certa? Uma escolha simples, porém a mais difícil de todas.


MINHA OPINIÃO

Uma trilogia capaz de carregar em sua essência vários aspectos que acabam por fazer parte de um único todo. O desfecho da trilogia reitera a ideia apresentada inicialmente: em uma história de fantasia muito mais pode ser abordado além de seres mágicos e universos distantes.

Não só o final do desenvolvimento dos personagens e possivelmente do próprio leitor, “A luneta âmbar” fecha a trilogia com chave de ouro, abordando todos os assuntos já tratados, como a religião, a crença, o caráter e diversos outros, assim como respondendo a todos os questionamentos impostos ao longo da trama.

Um ponto interessante e que talvez mereça a atenção do leitor é o fato de ao início de cada capítulo estarem presentes trechos de livros bíblicos, bem como de obras conhecidas de John Milton. Não estão lá por acaso… Envolver-se com um universo diferente, criar questionamentos e tirar suas próprias conclusões é parte essencial da leitura.

“Relíquias, contas, indulgências, dispensa, perdões, bulas… O divertimento dos ventos.”

O amor e a amizade entre os personagens é parte principal durante o desenrolar de toda a trilogia, e principalmente, neste último volume. Um aspecto mais forte aqui do que nos outros dois livros seja a prova com o autor coloca o apego do leitor para com os personagens. Dividindo a narrativa em dois momentos, um contado por Will e outro pela Sra. Coutler trazem ao leitor sentimentos diferentes.

Enquanto o primeiro, apesar de já ter passado por árduas batalhas, ainda tem a essência de um garoto (é claro que já bem mais maduro do que no primeiro livro), a segunda é uma rabugenta que sofre constantes mudanças de humor e personalidade, mas que por outro lado cria uma aproximação do leitor com uma personagem até então “menos importante” para a trama, o que cria uma espécie de reviravolta. Lyra por sua vez, apesar do obstáculo criado para ela a ter afastado um pouco, garante sua aparição com toda a bravura, coragem e grandeza que possui desde a primeira vez em que tivemos contato com ela. Quanto ao temido Lorde Asriel, o autor propõe que cada leitor tenha sua própria impressão de suas características dominantes e como elas influenciam sua personalidade.

Para o desfecho desta jornada, Philip Pullman reserva ao maior dos três livros, o desenrolar de “pequenas” subtramas, o que cria no leitor uma ansiedade, por vezes incômoda, mas de forma alguma, desnecessárias. É claro que é uma missão complicada falar sobre o último volume de uma trilogia sem dar spoilers, mas se puder dar um conselho é o de que não desistam nos momentos cansativos.

Apesar  de não ter sido o meu favorito, considerando a proposta da trama, foi um bom final. Talvez esta não seja uma boa pedida para aqueles que não tenham tido contato com outras fantasias, mas por outro lado, é um prato cheio para aqueles que procuram universos repletos de magia e mistério, assim como Will e Lyra, independente do que isso lhes reserve.

thumb_livro

4estrelasb

A LUNETA ÂMBAR

Autor: Philip Pullman

Editora: Suma de Letras

Ano de publicação: 2017

Will é o portador da faca sutil. Ele prometera ao pai, no leito de morte, que iria entregar a lâmina terrível ao Lorde Asriel. Está se aproximando uma guerra, a maior guerra de todos os tempos, e a lâmina é a única arma que pode render o inimigo. Um forasteiro num mundo estranho, Will começa sua jornada perigosa. Mas como pode cumprir a promessa quando Lyra, sua corajosa companheira, está desaparecida?Terceiro volume da trilogia Fronteiras do Universo.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 21 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.