Mais do que isso – Patrick Ness

Mais do que isso é do autor Patrick Ness, lançado em 2017 pela editora Novo Conceito.

Sobre o Livro

Seth tem certeza que está morto. Ele se afogou, lutou com a água, sentiu ela invadir os seus pulmões e lhe tirar o ar. Mas porque então, ao invés do fim esperado, ele acorda? E que lugar é esse onde ele está, deserto, desabitado e tão familiar? Ele está cansado, não se lembra de tudo, mas passa a ter esperança. Será que não é o fim? Será que algo depois ou algo a mais?

“Você nunca sentiu que deve haver mais?
Como se houvesse mais em algum lugar distante, pouco além do seu alcance, se ao menos você pudesse chegar lá?”

Com resiliência, Seth começa uma jornada em busca de lembrar, compreender e sobreviver. Ele sente frio, fome, cansaço, e isso torna tudo mais real e difícil. Ele sente medo, solidão e mergulha em lembranças toda vez que fecha os olhos. Há um caixão no seu quarto. O que está acontecendo?


Minha Opinião

Patrick Ness é um daqueles autores que todo mundo fala bem, mas que eu li muito pouco. Meu primeiro contato com ele foi no começo do ano com Sete Minutos Depois da Meia Noite, que foi uma história escrita por ele, mas não concebida. Desde então fiquei ainda mais curiosa por entender tamanho buzz em volta de seu nome. Quando a Novo Conceito anunciou Mais do Que Isso, mesmo sem saber ao certo o que iria encontrar, resolvi apostar.

E, realmente, foi bem diferente de qualquer coisa que eu pensei. Primeiro imaginei que seria uma leitura mais lenta, como acontece comigo com Neil Gaiman, por exemplo, e não, o livro é muito fluido e fácil de ler. A escrita é jovem e há uma leveza na condução da história. Segundo, o rumo, contexto e moral da história foi longe do que eu imaginei quando comecei a ler, ou com o que a sinopse passa, e isso é muito curioso.

Na hora de fazer uma resenha todo esse mistério não ajuda muito, confesso. Pois, quase tudo que eu possa falar sobre condução de história pode ser um spoiler e eu não quero estragar a experiência pra ninguém. Então, ao invés de eu falar sobre aspectos da trama que me marcaram, vou falar sobre como eu me senti lendo.

Acho que o primeiro sentimento pra todos vai ser curiosidade, afinal é uma situação bem peculiar. O livro começa com Seth se afogando e ninguém que morre espera acordar. Tudo no cenário em que ele desperta é confuso e nesse momento há uma abertura para cogitarmos muitas coisas e teorias. Quando as memórias começaram eu achei interessante, mas em certos momentos do livro, apesar de elas serem importantes pra compreender o porque de Seth morrer, achei cansativo e preferi estar na trama principal do presente.

Por uma boa quantidade de páginas ele vai conduzir a narrativa sozinho, mas não permanecerá assim pra sempre. Ai, eu fiquei mais curiosa, porque queria mais explicações e aquele momento do “senta aqui que vou lhe contar uma história” parecia que não ia chegar nunca. Parece que nunca as coisas vão fazer completo sentido.

Quando um pouco é explicado eu fiquei: ok, isso é bacana. E eu digo a vocês que não tinha pego nenhuma diga da edição física do livro – máximo que vocês vão arrancar de mim – e não havia cogitado aquela possibilidade. Porque mesmo já tendo visto em outros livros, pareceu bem bizarro na situação exposta aqui.

“É ruim e pesado demais culpas a si mesma, então ela coloca a culpa em você.”

Há questionamentos super fortes aqui sobre como escolhemos conduzir nossa vida, homossexualidade e outros fatores que não quero spoilear ninguém – mais uma vez. Mas me peguei pensando que algo que o autor quis passar como extremamente ruim o tempo inteiro, provavelmente devido a situação em que o narrador estava inserido – e para ele, portanto, era ruim -, se analisado, não é assim tããão horrível. São escolhas e, quando há livre arbítrio, as pessoas tem o direito de decidir o que querem, certo?

E eu acho que o livro tinha todo o potencial pra desenvolver algo magnifico, mas quando o fim chegou eu fiquei apenas pensando que acreditava se tratar de um livro único. Mas, se realmente for, não faz sentido, pois não tem final. E eu não achei nenhum indicativo de que vai haver uma continuação, o que deixa a situação ainda mais confusa. E se tivesse um final, um ou outro ajustezinho, poderia ter virado algo realmente incrível. Fui até ler outras reviews depois da minha leitura, coisa que não faço, pra ver se eu tinha perdido algo, mas não, realmente há uma confusão geral sobre o rumo das coisas e provavelmente é isso que corta a vibe de quem ta lendo, levando de surpreendente a ok em uma escolha de desfecho.

Mesmo assim, admiro toda a construção feita em volta do enredo, o mistério e a forma quase sufocante como tudo foi sendo, aos poucos, revelado. Sigo intrigada pelas obras do autor e quero muito ler a Trilogia Mundo em Caos e The Rest of Us Just Live Here, esse último ainda não publicado no Brasil. Eu teria um perfil específico para recomendar esse livro, mas pra isso teria de entregar a cereja do bolo sobre o que ele realmente fala, então vou encerrando por aqui, esperando que tenha despertado a curiosidade nas pessoas certas ;)

MAIS DO QUE ISSO

Autor: Patrick Ness

Editora: Novo Conceito

Ano de publicação: 2017

Um garoto se afoga, desesperado e sozinho em seus momentos finais. E morre. Então ele acorda. Nu, ferido e com muita sede, mas vivo. Como pode ser? Que lugar é este, tão estranho e deserto? Enquanto se esforça para compreender a lógica de seu pior pesadelo, o garoto ousa ter esperança. Poderia isto não ser o fim? Poderia haver mais desta vida, ou quem sabe da outra vida?

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.