A Mamãe é Rock – Ana Cardoso

A Mamãe é Rock é o primeiro livro de Ana Cardoso e surge como par de O Papai é Pop, do autor Marcos Piangers, com quem é casada. O lançamento é da editora Belas Letras, em 2016.

20160715_155726

Ser mãe não é uma tarefa fácil. Nunca foi e acho que fica mais difícil a cada dia. Além de carregar o bebê, grande parte das responsabilidades são colocadas na figura materna e, como se o simples fato de gerar uma criança não fosse nervoso o suficiente, as mães ainda precisam lidar com toda a pressão emocional imposta pela sociedade.

Ana Cardoso é mãe de duas meninas, Anita e Aurora. Em 2015, seu marido Marcos Piangers publicou o livro O Papai é Pop, onde conta sua experiência como o pai das duas garotas, com textos que tratam dos mais diversos assuntos sobre a paternidade. Para o lançamento do volume 2, que saiu esse ano, ele convidou Ana a escrever alguns textos também, para expor o lado da mãe. Porém, o que acabou acontecendo é que Ana Cardoso ganhou o seu próprio livro, proporcionando textos voltados às mulheres e a sua experiência.

A visão de Ana abre um leque enorme de outros temas e abrange um outro público: o feminino. Como comecei o texto falando, a pressão sobre a mulher é imensa e a postura da mãe é muito questionada, principalmente quando não seque os “padrões” determinados.

20160715_160148

20160715_160133

Por serem uma família jovem a visão dessa mãe sobre o mundo e suas filhas é diferente de uma mãe mais velha e é ai que está toda a graça do livro. A maternidade e a paternidade não são coisas com fórmulas prontas e, portanto, não deveriam ser encaixados num formato só de certo ou errado. Além das pessoas serem diferentes, os tempos também são e é preciso ir se adequando. A mãe que trabalha, o pai que cozinha, a escolinha, a aula, as férias. As dúvidas, as perguntas, os anseios e medos. Como criar duas jovens menininhas para enfrentar esse mundo? Qual o papel do pai nessa história? Como ser mãe sem deixar de ser você?

Ana Cardoso debate tudo isso através de textos curtos e bem escritos que abrangem os mais diversos temas e que falam também sobre a quebra de paradigmas da maternidade. Trazendo como exemplo mulheres fortes e que escreveram seu nome na história, a autora conecta vários pontos diferentes e discorre sobre eles com naturalidade. Por mais que você não seja mãe é impossível não se identificar com alguma coisa e se inspirar com a forma como as ideias da autora são conduzidas.

20160715_160120

Além do conteúdo ser super relevante para as mães não só de primeira viagem, a edição está muito bonita. Todas as páginas são trabalhadas com ilustrações que condizem com o conteúdo apresentado, além de pequenos elementos de interação que deixam tudo ainda mais caprichado. Seguindo o padrão, o livro de Piangers, O Papai é Pop 2 também foi publicado da mesma maneira e a junção dos dois é muito bacana.

Ana e Piangers representam uma nova geração de mães a pais que estão muito mais preocupados com o bem estar dos filhos, sua visão de mundo e aprendizado do que com convenções da sociedade. Isso muitas vezes gera olhares tortos, preconceito e indiferença de algumas pessoas, mas o importante aqui é mostrar que a forma certa de conduzir a maternidade ou a paternidade é através do afeto, do cuidado e do respeito entre mãe, pai e filho.

Fica aqui então a dica de A Mamãe é Rock, e também de O Papai é Pop, para todas as mamães e papais de primeira viagem, ou não, que queiram conhecer a visão de outras pessoas sobre os desafios de criar os filhos nos dias atuais.

thumb_livro

4estrelasb

A MAMÃE É ROCK

Autor: Ana Cardoso

Editora: Belas Letras

Ano de publicação: 2016

Este é um livro sobre a maternidade e todos os sentimentos loucos que as mães têm em relação a quem de alguma forma criam, seja um filho natural, adotivo, neto ou sobrinho. É sobre família e é sobre as mães também, esses seres que falam uma língua estranha e chata que só entende quem entra para o clube e se torna uma delas. Não se preocupe, não é um livro de lamentações. É o contrário: tem histórias engraçadas, singelas e verdadeiras. Aqueles que leram O papai é pop estão convidados a conhecer o lado mais in/tenso da experiência. “A mamãe é rock” é um recorte sem filtro dos divertidos e comoventes malabarismos que um casal moderno faz todos os dias para criar suas filhas.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.
  • Alison de Jesus

    Olá,o livro é perfeito para mães que se sentem inseguras na hora de cuidar de seus bebês mas o que realmente é interessante é o fato de o casal ter publicado cada um seu livro,fato que torna este momento de criação e cuidado especial e dinâmico. Beijos.

  • Lara Caroline

    Oi Tamirez, tudo bem?
    Eu gostei muito da premissa de Papai é Rock e com certeza já gostei do livro Mamãe é Rock. Acho muito importante que mesmo de forma sutil, sejam falados sobre esses assuntos para que cada vez mais o preconceito possa ser derrubado.
    Achei muito linda a edição, ainda mais com essa página da Malala. Não sou mãe mas comc erteza quero muito ler.
    Beijos

  • Nina Novaes

    Oi Tami!

    Realmente a arte do livro está muito linda (assim como suas fotos!). Eu já tinha ouvido falar do nome desse livro por alto. Fiquei encantada com a proposta dele e conheço algumas pessoas que iriam amar esse tipo de leitura.

    beijos
    Psicose da Nina | Instagram

  • Daiele

    Como eu disse na resenha de O Papai é Pop, acho muito bacana essa ideia da criação do livro, com certeza é um entretenimento e tanto para quem tem algum medo de embarcar nessa de ser papai e mamae. Mas, como eu ainda não sou mamãe, nao tenho interesse na leitura. Apesar de parecer um livro muito divertido, não acho que me acrescentaria nada no momento. Mas, adorei a resenha e com certeza, um dia lerei.

  • Marta Izabel

    Oi, Tamirez! !
    Essa edição está maravilhosa! ! Esse livro é excelente para quem são pais de primeira viagem. Enfim , é uma indicação bem interessante para quem precisa de dicas como essas.
    Beijos

  • Gislaine Lopes

    Oi Tamirez,
    Deve ser interessante ler este livro, principalmente depois de ler Papai é Pop, pois se tem uma outra visão da criação de suas filhas. Ser mãe não é mais fácil ou mais difícil que ser pai, mas sim mais cobrado, não só pelas sociedade, mas pela própria mulher. A cada dia que passa tem novas “regras” e julgamentos que a sociedade impõe para a criação dos filhos. Não segui-los não quer dizer que está indo contra, ou que não aprova, mas sim, que vc sabe é que é melhor para seu filho.
    Ainda não li nenhum dos livros, mas dá para perceber que o Marcos e a Ana, descobriram a melhor criação para as filas dentro do que eles acreditam que é o ideal para a suas formações de caráter!!

  • Bruna Prata

    A edição está realmente linda. Deve ser interessante ver pela perspectiva dos próprios pais de como criar os filhos, de tudo que a ser lidado. Ótima escolha para os pais, principalmente os de primeira viagem.