Mensur – Rafael Coutinho

Mensur é uma HQ de Rafael Coutinho, que foi publicada em 2017 pela Companhia das Letras, por meio do selo Quadrinhos na Cia.

SOBRE A HISTÓRIA

Em Mensur iremos conhecer Gringo, um andarilho que busca fazer as pazes com seu passado e deixa de lado a carreira de médico para se aventurar em trabalhos braçais, quase sempre em caráter temporário. Nos tempos de faculdade, Gringo era um praticante de mensur, é uma luta de espada surgida na Europa no Século 15, comum entre homens de fraternidades universitárias, que acabavam marcados com cicatrizes no rosto por conta do combate.

” Tenho tentado ver as coisas como elas são. Estou aqui agora, e é isso.”

Para uma república estudantil repleta de homens, os duelos secretos eram uma excelente oportunidade de provar a masculinidade. Até que um dia porém, um episódio infeliz fez com que esse “clube da luta” se dissolvesse sem deixar muitas pistas.


Minha Opinião

Esta é a primeira graphic novel que Coutinho assina sozinho. O autor dedicou sete anos para a conclusão de Mensur e seu trabalho é digno de todo o reconhecimento. A história de não é linear e segue temas de mistério e suspense dignos de Agatha Christie.

O fator mais intrigante sobre essa HQ é que mesmo não sendo uma obra voltada a crítica social entralizada no Brasil, muito do que encontramos na história se volta pra isso e pontua assuntos que estão sendo discutidos no momentos. Alguns exemplos são os conflitos entre classes sociais e condições de trabalho.

Essa é uma narrativa que permite muitas interpretações e o traço fluído de Rafael também é fator importante para a construção dessa narrativa.

Ao mesmo tempo em que a narrativa permite várias camadas de interpretação, a fluidez vigorosa e enérgica do traço de Coutinho nos empurra para uma gradual construção do enredo.Lentamente na história vamos descobrindo o passado de Gringo, um médico que passou anos trabalhando em vários empregos fugindo de algo do passado. Surge a tona então uma sociedade secreta que permeou seu passado onde, entre outras coisas, os futuros médicos – na época estudantes ainda -, se reuniam para praticar o Mensur. Pode não parecer em um primeiro momento, mas essa é uma história de assassinato e vingança.

“Ter medo é também ter poder. Poder pra demitir, punir, destruir, justificar. O medo humano passa pelo prisma da moral. Ele não é puro.”

As ilustrações estão em preto e branco e faz um mix de sentimentos em suas páginas. Há momentos one há luta e há aqueles onde a introspecção é o ponto forte. Impossível não mencionar o quanto os diálogos são bem escritos e refletem muito mais do que aquilo que é dito com palavras.

O autor usa suas páginas para dar voz aos males da sociedade, seja ela a brasileira ou de forma geral: a corrupção, preconceito de raça, violência, machismos, segregação e tantos outros fatores que marcam o nosso dia-a-dia. Conseguimos por nossos olhos nisso e ver o quanto tudo é mascarado e muito pouco é feito para que não aconteça novamente. Há quase um selo de aprovação para as atitudes, refletindo ainda mais tudo isso.

Essa é uma obra extremamente recomendada pelo seu teor e pela forma como retrata todos os seus temas. Pela forma de traço o autor consegue trabalhar várias coisas e passar ao leitor a trama sem o peso que ela detém em sua natureza. Certamente uma recomendação.

MENSUR

Autor: RAFAEL COUTINHO

Editora: QUADRINHOS NA CIA

Ano de publicação: 2017

Um dos artistas mais talentosos do quadrinho brasileiro, Rafael Coutinho volta à forma longa neste que é seu mais ambicioso trabalho desde Cachalote, romance gráfico criado em parceria com o romancista Daniel Galera. Em Mensur, Coutinho conta a história do Gringo, um andarilho que percorre cidades brasileiras em busca de bicos e trabalhos manuais. Todavia, o Gringo é também um dos últimos praticantes do mensur, uma luta de espadas surgida na Alemanha do século XV entre estudantes universitários. Enquanto lida com seus próprios fantasmas e obsessões, um caso amoroso pode colocá-lo em conflito com seu passado e com segredos que jamais deveriam vir à tona. Um dos mais originais e impressionantes trabalhos do quadrinho brasileiro, Mensur é uma saga pessoal e um épico íntimo da busca por um lugar e, sobretudo, por algum tipo de paz.

É colaboradora do Resenhado sonhos
Carioca, escorpiana e futura contadora.
Amante de séries e livros, que nunca consegue ler ou assistir o suficiente.