Mensur – Rafael Coutinho

Mensur é uma HQ de Rafael Coutinho, que foi publicada em 2017 pela Companhia das Letras, por meio do selo Quadrinhos na Cia.

SOBRE A HISTÓRIA

Em Mensur iremos conhecer Gringo, um andarilho que busca fazer as pazes com seu passado e deixa de lado a carreira de médico para se aventurar em trabalhos braçais, quase sempre em caráter temporário. Nos tempos de faculdade, Gringo era um praticante de mensur, é uma luta de espada surgida na Europa no Século 15, comum entre homens de fraternidades universitárias, que acabavam marcados com cicatrizes no rosto por conta do combate.

” Tenho tentado ver as coisas como elas são. Estou aqui agora, e é isso.”

Para uma república estudantil repleta de homens, os duelos secretos eram uma excelente oportunidade de provar a masculinidade. Até que um dia porém, um episódio infeliz fez com que esse “clube da luta” se dissolvesse sem deixar muitas pistas.


Minha Opinião

Esta é a primeira graphic novel que Coutinho assina sozinho. O autor dedicou sete anos para a conclusão de Mensur e seu trabalho é digno de todo o reconhecimento. A história de não é linear e segue temas de mistério e suspense dignos de Agatha Christie.

O fator mais intrigante sobre essa HQ é que mesmo não sendo uma obra voltada a crítica social entralizada no Brasil, muito do que encontramos na história se volta pra isso e pontua assuntos que estão sendo discutidos no momentos. Alguns exemplos são os conflitos entre classes sociais e condições de trabalho.

Essa é uma narrativa que permite muitas interpretações e o traço fluído de Rafael também é fator importante para a construção dessa narrativa.

Ao mesmo tempo em que a narrativa permite várias camadas de interpretação, a fluidez vigorosa e enérgica do traço de Coutinho nos empurra para uma gradual construção do enredo.Lentamente na história vamos descobrindo o passado de Gringo, um médico que passou anos trabalhando em vários empregos fugindo de algo do passado. Surge a tona então uma sociedade secreta que permeou seu passado onde, entre outras coisas, os futuros médicos – na época estudantes ainda -, se reuniam para praticar o Mensur. Pode não parecer em um primeiro momento, mas essa é uma história de assassinato e vingança.

“Ter medo é também ter poder. Poder pra demitir, punir, destruir, justificar. O medo humano passa pelo prisma da moral. Ele não é puro.”

As ilustrações estão em preto e branco e faz um mix de sentimentos em suas páginas. Há momentos one há luta e há aqueles onde a introspecção é o ponto forte. Impossível não mencionar o quanto os diálogos são bem escritos e refletem muito mais do que aquilo que é dito com palavras.

O autor usa suas páginas para dar voz aos males da sociedade, seja ela a brasileira ou de forma geral: a corrupção, preconceito de raça, violência, machismos, segregação e tantos outros fatores que marcam o nosso dia-a-dia. Conseguimos por nossos olhos nisso e ver o quanto tudo é mascarado e muito pouco é feito para que não aconteça novamente. Há quase um selo de aprovação para as atitudes, refletindo ainda mais tudo isso.

Essa é uma obra extremamente recomendada pelo seu teor e pela forma como retrata todos os seus temas. Pela forma de traço o autor consegue trabalhar várias coisas e passar ao leitor a trama sem o peso que ela detém em sua natureza. Certamente uma recomendação.

MENSUR

Autor: RAFAEL COUTINHO

Editora: QUADRINHOS NA CIA

Ano de publicação: 2017

Um dos artistas mais talentosos do quadrinho brasileiro, Rafael Coutinho volta à forma longa neste que é seu mais ambicioso trabalho desde Cachalote, romance gráfico criado em parceria com o romancista Daniel Galera. Em Mensur, Coutinho conta a história do Gringo, um andarilho que percorre cidades brasileiras em busca de bicos e trabalhos manuais. Todavia, o Gringo é também um dos últimos praticantes do mensur, uma luta de espadas surgida na Alemanha do século XV entre estudantes universitários. Enquanto lida com seus próprios fantasmas e obsessões, um caso amoroso pode colocá-lo em conflito com seu passado e com segredos que jamais deveriam vir à tona. Um dos mais originais e impressionantes trabalhos do quadrinho brasileiro, Mensur é uma saga pessoal e um épico íntimo da busca por um lugar e, sobretudo, por algum tipo de paz.

É colaboradora do Resenhado sonhos
Carioca, escorpiana e futura contadora.
Amante de séries e livros, que nunca consegue ler ou assistir o suficiente.
  • Lara Caroline

    Olá Fernanda, tudo bem?
    Realmente esta edição está maravilhosa, adorei o tom da capa e as ilustrações mais simplistas. O tema da HQ é até interessante mas não me chamou muito atenção, prefiro mais estórias fantásticas nos quadrinhos.
    Beijos

    • FERNANDA TALON

      Oi lara!! Tudo sim e com você?? Menina quando ele chegou aqui em casa, fiquei surpresa com a edição.
      Uma coisa que eu tenho percebido, é que a editora está a cada lançamento melhorando. Estão se dedicando bem.

  • Nayane Evylle

    Oi Fernanda!
    Não sou uma leitora de quadrinhos. Só leio alguns de personagens que eu gosto muito.
    Achei o trabalho do autor incrível. O cuidado que ele teve com as ilustrações ficou maravilhoso.
    Eu gosto quando os autores, de alguma forma, incluem questões sociais na história. É um tema que eu gosto muito de saber e fico curiosa a respeito das diferentes abordagens.
    Vou procurar saber mais sobre esse autor que eu já tinha ouvido falar, mas não conhecia nenhuma obra dele.

    bjus

    • FERNANDA TALON

      Oi Nay!!! Você vai gostar bastante de Mensur, questões sociais é o que não falta hehe
      Bj 😘

  • Natália Costa

    Obrigada pela dica Fernanda! Também coloquei ler mais quadrinhos, ou melhor, ler quadrinhos como meta para este ano! Toda indicação é válida!

  • Márcia Saltão

    Olá.
    A edição parece realmente muito bonita. Não tenho costume de ler quadrinhos, mas quem sabe um dia, venha a conferir. Obrigada pela dica.
    Abraços.

  • rudynalvacorreiasoares

    Fernanda!
    Fico impressionada como o mercado tem se desenvolvido em termos de HQ e tem trazido cada vez melhores histórias para que possamos apreciar.
    Na minha época tínhamos apenas os gibis e eram a maior diversão, agora temos histórias e ilustrações mais bem elaboradas e maduras.
    Bom final de semana!
    “Saber envelhecer é a grande sabedoria da vida.” (Henri Amiel)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

  • Bruna Prata

    Sempre me pego admirando as HQ’s desse estilo.
    A edição aparenta estar linda, mas infelizmente não cultivo o hábito de ler quadrinhos (mas estou tentando).

  • Andressa Alves

    Oie Fernanda!! Parabéns pela resenha, ficou muito boa.
    Não sou muito fã de quadrinhos. Na realidade não leio praticamente nada! Não me pergunte porque mais nunca consegui levar a leitura adiante. Meus amigos até que ficam no meu pé, mais simplesmente não vai :/

  • Marta Izabel

    Oi, Fernanda!!
    Gostei bastante da resenha e da indicação desse Hq maravilhoso!! Achei a história fantástica e sem dúvida gostaria muito de ler!!
    Bjoss

  • Isabela Carvalho

    Oi Fernanda ;)
    Não sou muito acostumada a ler HQs, mas essa capa e a premissa me interessaram bastante!
    Adorei as ilustrações, e gostei muito dos temas que você disse que o autor aborda, como conflitos entre classes sociais e as condições de trabalho.
    Gosto de livros mais densos, que a narração nos dá várias “camadas” de interpretação como você disse, e já tinha ouvido falar bem do Coutinho, então acredito que ele não desaponta mesmo nessa obra ;)
    Bjos

  • Natalí Marques

    Olá!
    Não conhecia essa HQ, a capa é bem peculiar, ainda não me decidi se gostei ou não haahaha
    mas o gráfico é bem interessante e parece deixar a história ainda mais legal!
    Não leio muitos HQs leio mais mangá, e por esse HQ ser em preto e branco me lembrou bastante.
    Vou anotar a dica (:
    Beijos

  • Micheli Pegoraro

    Oi Fernanda,
    Quero muito me aventurar na leitura de HQ´s e como adoro livros que trazem histórias com critica social essa obra é uma boa opção. Gostei de saber que essa narrativa instiga o leitor a muitas interpretações, afinal os temas abordados que o autor trabalha estão bem presentes na nossa sociedade. Estou intrigada para conferir essa narrativa com suspense.
    Beijos

  • Carol

    Oie. Nao leio HQs, mas pretendo transformar em hábito de leitura e adorei a recomendacao. A história parece ser mto interessante, com temas relevantes, com certeza vai pra minha listinha!

  • Nara Brasil do Amaral

    Como já tinha dito antes, não leio HQ’s, na verdade já tentei, mas não gostei muito. O interessante é que jamais que eu ia saber que mensur se tratava de uma luta de espadas do século 15. A premissa da história pode ser até boa, com uma narrativa fluida, mas não é o estilo de história que fico ansiosa para ler. Agora é interessante que se trate de uma história de vingança e assassinato, porque realmente quando a gente lê a sinopse não parece se tratar disso.