Minha escolha errônea

sorryeleicoes

Sempre fui dessas pessoas que evita discutir política. Por muito tempo não gostei, não entendi, não soube o quanto era importante. Mudei. Aprendi. Compreendi. Sigo sendo dessas pessoas que não discute política. Mas eu gosto de explanar sobre sonhos, fazer planos, pensar no futuro. Querendo ou não, isso tem muito a ver com política.

26 de Outubro. Uma data importante para o povo brasileiro. Será

Sendo apenas uma espectadora das eleições desse ano identifiquei três nichos de pessoas: as contra o PT, as a favor do PT e as, como eu, que preferem guardar suas opiniões mais elaboradas para si. Confesso que não sou fã dos dois primeiros tipos. Considero qualquer tipo de extremismo prejudicial e ao mesmo tempo hipócrita.

O PT fez muito pelo Brasil, mas também roubou e fez coisas erradas. Ele não é bom nem ruim. O PSDB já ajudou o Brasil, já fez muitos estados crescerem, tem boas propostas. Mas também é ruim. Também rouba, também tem pessoas corruptas. Não existe bom ou ruim. Existem as opções que temos, e tentar fazer delas melhor diminuindo a oposição é uma atitude extremamente mesquinha.

Ver os debates esse ano me causou revolta. Era pra ser um momento pra expor propostas, falar com o povo. Virou zona de guerra, zueira. Acusações vs Acusações. Palhaçada.

Lembro-me do ano passado, das pessoas nas ruas, protestando, pedindo por um Brasil melhor, pedindo por mudança. Hoje, vendo os já eleitos penso o quanto aquelas palavras foram da boca pra fora, sem engajamento, sem verdade. Porque não foi feita a mudança? Porque não elegemos gente nova? Porque mantemos os mesmos velhos conhecidos no poder?

Aqui no RS houve uma surpresa. Para o segundo turno de governador o atual e o que aparecia em 3º, agora na liderança. Será que é um acordar tardio e parcial daqueles que ano passado instigaram o país inteiro a ir as ruas? Não sei. Também não sei se esse candidato vai ajudar o RS. O que sei é que quando cometemos um erro devemos aprender com ele. Voltar a cometer o mesmo erro é burrice. Mas um erro novo, ele sempre nos ensina algo.

Então eu penso assim, que seja um erro, porque parece que não há acertos nesse pleito, mas que seja um erro novo, um erro com promessa e expectativa de acerto. Um erro melhor que o erro anterior.

Nem Dilma nem Aécio vão ser a solução para o Brasil. A merda em que estamos, com a inflação, os impostos gigantestos e a corrupção não se resolve com o trocar de uma bunda em uma cadeira. Até porque quase tudo, não depende somente do presidente. Qualquer um dos dois é um erro. Mas é o que temos. Vale pesar qual erro é maior que o outro. Qual erro é o velho, qual erro é o novo. E isso não é um vote Aécio porque ele é novo. Não. O PSDB já sentou na presidência, ele também é nosso velho amigo.

O que temos também é esperança, sonho, promessa, vontade e enquanto tivermos isso, temos muito. Temos muito pelo que lutar.

Eu já fiz minha escolha. Já sei qual é a minha escolha errônea. Já decidi o que é menos pior. Não existe uma resposta certa. No mundo que vivemos hoje, onde o individualismo prevalece, a reposta certa é relativa. Depende de como a pessoa vive, do que ela viveu, do que ela conquistou, ou não conquistou. A minha resposta é diferente da resposta do meu pai, é diferente da resposta do meu avô, é diferente da sua resposta. A minha resposta é minha. É o que eu acho que vai ser melhor pra mim, para o meu mercado de trabalho, para o meu futuro. É individualista, é egoísta. É o erro que temos pra hoje.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.

  • Ontem, discutindo o debate por um grupo do Whatsapp, uma amiga perguntou “Toda hora um contradiz o argumento do outro. Como a gente sabe o que é verdade? Dá vontade de votar nulo.”

    Daí eu disse que cada um acredita no que deseja e no que vê mais sinceridade, essa é a verdade. Não acredito naquela plateia de indecisos, por exemplo, e acho que, a dois dias das eleições, todo mundo já escolheu seu lado e irá acreditar nos argumentos do seu candidato – ou na maioria deles. Ontem, por exemplo, os dois partidos foram atacados como os “culpados pela inflação”. Ninguém assumiu, mas um pôs a culpa no outro.
    Se não quiser acreditar nos argumentos, pense em votar pelas propostas que mais se identificam com teu pensamento, mas não acredito que o voto nulo seja opção em momento nenhum. Um pessoal que veio antes de nós lutou tanto pelo direito a voto dos pobres, das mulheres, dos jovens… que acho injusto com eles alguém jogar isso fora.

    No meu estado, optamos pela mudança e tiramos um partido que estava há 12 anos no governo logo no primeiro turno. Não votei em nenhum dos dois candidatos atuais a presidência no primeiro turno e precisei refletir um pouquinho mais, mas acredito que minha escolha pela mudança vai prevalecer. E o mais importante sobre todos os votos que dei: mudança, para mim, precisa estar ligado a avanço e não a retrocesso. É mais do que ForaPT ou FicaDilma, sabe?

    Adorei a postagem, bem sensata!
    André Cefalia

  • Concordo, perdi muitas amizades por causa disso… E o que sinto é que perdi amizades que vivem postando contra PT e PSDB e quando paro para discutir mesmo sobre o assunto, por falta de argumentos da pessoa acabo sendo vetada

    Infelizmente o país não tem boas opções, e me sinto indo pra forca hoje

    A inflação do país não está alta mas sim no limite 6,57% sendo que a máxima é 6,50 e a correta seria 4,5% e o que sabemos é que independente de quem for ganhar essa numeração vai disparar =/

    http://www.saidaminhalente.com