fbpx

Não Me Esqueças – Babi A. Sette

Não Me Esqueças é um livro da escritora Babi A. Sette, lançado em 2017 pela editora Verus.

Sobre o Livro

Lizzie tem 21 anos e nesta fase da vida um casamento bem arranjado é tudo o que a sociedade espera de moças como ela. Ainda mais tendo um dote generoso para oferecer ao pretendente e sendo filha do Duque de Belmont, uma das figuras mais importantes da aristocracia. Acontece que após uma desilusão amorosa, casamento é a última coisa que se passa pela sua cabeça. Principalmente se for apenas um ‘acordo’ financeiro disfarçado de união matrimonial, costume tão comum na Londres de 1861.

“-Selvagens são os nossos costumes de obrigar as mulheres a desfilarem para aquela corja de senhores, como ovelhas a serem escolhidas para o abate…”

Lizzie não é como as mocinhas afetadas e extremamente sensíveis, que gostam de chamar a atenção utilizando como armas de sedução longos cílios batendo ou a tentativa fracassada de um desmaio. O que essa protagonista gosta mesmo é de estudar, e o que ela mais quer é aprender tudo o que for possível a respeito da Escócia. Uma paixão antiga que a faz se debruçar sobre livros e passar seus dias entre pesquisas, traduções de manuscritos e sonhos envolvendo o país. Justamente por isso a ideia de passar o verão nas Highlands soou tão sedutora e imperdível, e a protagonista não perdeu tempo ao arrumar seus pertences e partir, junto com sua dama de companhia, para a Escócia. O que ela não esperava é que tomar uma rota alternativa a colocaria em problemas. E o que ela não imaginava era que esses problemas a levariam para dentro de um castelo escondido, habitado por um verdadeiro clã escocês.

Gareth é líder de um clã que, aparentemente, nem deveria existir. O ódio pelos ingleses, o medo de perder suas raízes e a necessidade de manter os seus em segurança fez todos pensarem que a melhor alternativa seria viver de maneira reclusa, escondidos do resto do mundo e sem que ninguém tivesse acesso ao castelo. Até que Lizzie aparece. Com uma curiosidade extrema, sua língua afiada e a postura desafiadora, a jovem não entende o que significa a presença de uma dama inglesa em um ambiente como aquele. Gareth por outro lado, sabe muito bem o que isso significa e quais as consequências de tê-la ali, mas precisa arriscar, porque aquela dama… Sua presença por perto faz valer a pena correr qualquer tipo perigo. Até que a situação se complica mais do que esperado, e a atração entre os dois pode não ser suficiente para impedir uma tragédia.


Minha Opinião

Em A Promessa da Rosa, conhecemos Arthur e Kate. Ele é o Duque de Belmont e ela sua duquesa, a mulher que virou seu mundo de cabeça para baixo. Eles vivem um casamento cheio de amor, respeito e parceria e é lindo encontrá-los nesta obra, que conta a história da filha dos dois. Claro que Lizzie herdou características de ambos, então conhecemos aqui uma protagonista inteligentíssima, irônica, envolvente e corajosa. Uma leitora voraz que alimenta uma paixão pela cultura e pelos mistérios que envolvem a Escócia, e que sonha em conhecer pessoalmente tudo aquilo que acompanha através dos livros e pergaminhos. Esse sentimento é maior, inclusive, do que a vontade de se casar. Afinal, qual pretendente a aceitaria do jeito que ela é e não a faria abrir mão da própria essência? Não um aristocrata fútil qualquer, isso estava claro.

Quando decide passar um tempo nas Highlands, encontrar um amor era algo que não imaginava. Conhecer as florestas, as montanhas, os castelos? Isso sim. Aprender mais sobre os costumes, as crenças, a cultura? Com certeza. Ficar presa em um castelo misterioso, na companhia de um clã quase totalmente hostil, cujo líder fazia seu coração bater mais forte e despertava sentimentos que ela não imaginava querer sentir? Não, isso não lhe passou pela cabeça. Mas foi justamente o que aconteceu.

“Lizzie não conseguia mais respirar, assim como não conseguia se livrar da correnteza magnética que a fez mergulhar no interior dos olhos de Gareth e, enfim, enxergá-lo. Ele era a definição de profundidade. Tantas camadas de tudo o que traz conforto e tudo o que inquieta a alma que ela se viu obrigada a fechar os olhos.”

Impossibilitada de voltar para casa, Lizzie passa seus dias tentando provar que não oferece perigo para o clã, ao mesmo tempo em que tenta aprender e compreender mais sobre aquelas pessoas que vivem ali… Principalmente sobre Gareth. Por que ele é tão calado? Por que esconde seu rosto atrás de uma máscara? Por que tem um lobo como animal de estimação e por que o animal é assustadoramente igual ao que aparece em seus sonhos, há tanto tempo? São muitas perguntas, e poucas pessoas interessadas em respondê-las, e Gareth era uma dessas pessoas a princípio.

Ele era o líder, afinal. Inteligente, forte, respeitado, mas inseguro no que dizia respeito a agir de maneira diferente do acordado entre o clã. Por precaução ou medo, ele tentou manter distância da bela jovem inglesa, mas nessas horas o coração costuma ser mais forte e falar mais alto. Ele foi contagiado pela risada dela, pelo jeito doce, pela curiosidade e encantamento que Lizzie demonstrava sempre que descobria algo sobre Gareth, sobre seu povo ou sobre a Escócia.

A aproximação aconteceu aos poucos e ainda assim o casal não estava preparado para o impacto que essa relação causaria. Desavenças, intrigas, maquinações; uma ventura que se transforma em uma história de amor, para em seguida virar uma corrida contra o tempo, tudo isso enquanto o leitor desvenda os mistérios de uma terra cheia de magia e encantos; ao mesmo tempo em que compreendemos o que ali desperta tanta paixão na protagonista. É bonito de ver, e ainda mais incrível é sentir essa história.

“Nem em seu delírio mais fantasioso, Gareth imaginou um dia estar na sala do trono com os braços amarrados e o kilt erguido até a barriga. Não imaginou também que, nessa situação, estaria a um passo de enlouquecer e de confessar todos os seus pecados, ou o que mais aquela dama endiabrada desejasse.”

Talvez por pensar dessa forma eu senti falta de algumas coisas. Relacionadas ao casal e em momentos específicos, eu senti necessidade de mais. Relacionadas à cultura celta e mais especificamente sobre a religião (que não é o foco aqui, mas que quando aparece é lindamente representada), eu precisei de mais. Se esses pontos tivessem sido melhor explorados, o livro seria ainda mais incrível. Com personagens bem construídos, o leitor tem a oportunidade de (caso tenha lido seus outros romances de época) reencontrar personagens queridos, compreender um pouco mais sobre os prováveis futuros protagonistas da autora, além de se apaixonar por personagens secundários que deixaram sua marca aqui, seja através das maldades feitas ou por conta da bondade e ensinamentos que passaram para a protagonista, e, consequentemente, para quem lê.

A gente sabe que a Babi A. Sette não brinca em serviço, e isso fica muito claro cada vez que entro em contato com sua escrita, este livro é mais uma prova.  Isso porque Não me Esqueças conta uma história que, de certa forma, está relacionada a um livro anterior, mas ainda assim é algo totalmente novo, podendo inclusive ser lido separadamente, independente se o leitor já conhece os outros livros da autora ou não. E adianto que são todos bem diferentes entre si, cada história é única e capaz de despertar sentimentos diferentes em quem lê. Este aqui, por exemplo, é aquele tipo de livro que nos faz suspirar.

A escrita poética, uma característica da Babi, é encontrada nesta obra, mas talvez as semelhanças com seus outros livros parem por aí. Aqui não há grandes dramas, mas uma história de amor, mistério e superação que tem um ‘Q’ de conto de fadas, daquele tipo que nos faz sentir o amor e acreditar em finais felizes. É o tipo de história que pode ser considerada como uma homenagem à Escócia, seu povo e sua cultura, o que aguça a nossa curiosidade e faz nossa imaginação trabalhar dobrado ao imaginar os cenários, os cheiros e os sabores dali. Esta história é daquele tipo que desperta em quem lê uma vontade imensa de ter seu próprio conto de fadas… e se ele envolver o mistério que há por debaixo dos kilts, é capaz de ficar ainda melhor.

NÃO ME ESQUEÇAS

Autor: Babi A. Sette

Editora: Verus

Ano de publicação: 2017

Em um cenário de contos de fadas, Babi A. Sette convida o leitor a mergulhar em um mundo novo, repleto do encantamento que somente um amor de almas gêmeas pode realizar.
Aos vinte e um anos, Lizzie deveria estar empenhada em fisgar um noivo e finalmente se casar. Entretanto, após uma decepção amorosa, o coração da jovem só palpita por sua grande paixão — os estudos sobre o povo e a cultura celtas. Esse interesse faz com que ela troque os concorridos salões de baile de Londres pelas estradas desertas e sinuosas das Highlands escocesas. Ali, ela conhecerá Gareth, o enigmático líder do clã que vive no local mais remoto e bucólico da Escócia. Envolto em uma aura de mistério, ele luta para manter suas tradições, seus segredos e, principalmente, seu povo em segurança.
Enquanto o austero Gareth tem a vida toda sob controle e resiste a mudanças, Lizzie está muito entusiasmada com suas explorações e descobertas. Porém a vida de ambos é alterada de maneira inexorável quando uma fatalidade transforma a tão sonhada aventura de Lizzie em pesadelo. Vindos de mundos tão diferentes, mas unidos por uma atração irresistível, Lizzie e Gareth vivem uma paixão proibida e desafiadora, sem saber que finalmente poderão encontrar aquilo que só ousavam buscar em sonhos.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.