O Amor nos Tempos do Ouro – Marina Carvalho

O Amor nos Tempos do Ouro é o novo livro da autora nacional Marina Carvalho. Ele chegou às livrarias em 2016 pela Globo Alt.

Sobre o livro

Cécile acaba de perder toda a família e como ainda não tem idade suficiente para tomar o controle de sua herança se vê nas mãos de um ganancioso tio. Ele a força a mudar-se da França para o Brasil e deixar de lado todo um ambiente que lhe era familiar, além da lembrança de seus entes amados.

Ao chegar em terras tupiniquins ela se depara com uma realidade bem diferente da vivida na França. No período escravista, aqueles que comandam as grandes fazendas e muitos escravos, fazem a economia girar e detêm todo o poder. Seu tio é umas dessas pessoas, bem como o homem com quem ele negociou pra que ela se casasse, um barão já com certa idade e que é conhecido por ser um tirano.

“Para ele, as mulheres nasciam para obedecer aos homens e representar seus poucos papéis na sociedade. Comportar-se adequadamente era um deles. Consentir com um casamento arranjado sem questionar, também – e este era o mais importante.”

20160524_084725

Para levá-la até seu futuro marido um mercenário é contratado, e a travessia segura de Cécile cai nas mãos do jovem e charmoso Fernão. Ao longo da viagem e de todos os imprevistos que surgiram, ambos se darão por conta que fizeram uma primeira impressão errada um do outro e passam a nutrir um sentimento de admiração. Agora, será que Cécile poderá confiar e contar com Fernão para ajudá-la a escapar de seu destino ou terá que travar essa batalha sozinha?

Minha opinião

Nunca tinha lido nada da Marina Carvalho e O Amor nos Tempos do Ouro foi meu primeiro romance histórico de 2016. Já tinha ficado interessada na história quando vi que estava rolando a votação para a capa no facebook, sendo essa opção super bonita a escolhida e pela qual eu votei.

20160524_084712

Acho que a primeira coisa que devo ressaltar é a personalidade de Cécile. Sempre fico apreensiva em pegar mocinhas fracas ou suscetíveis, mas ela é longe de ser assim. Como foi criada em uma realidade diferente e sempre recebendo muito amor de sua família, ela é audaciosa e corajosa e não entende como o tio pôde fazer algo tão horrível com ela, a colocando a mercê de um homem que ela desconhece para lucrar com isso, como um negócio. Porém, mesmo em um ambiente hostil, ela não baixa a cabeça nunca e passa o livro todo batalhando por trilhar o seu caminho da forma como deseja.

Fernão é o típico cara durão que vai abrindo os caminhos por onde passa. Mas ele não é um homem mau e tem muita honra envolvida na forma como conduz seus negócios, mesmo aqueles que não acontecem dentro da lei. Portanto, mesmo sabendo que a situação de Cécile não é justa, ele tem sua palavra a cumprir. Mesmo assim, algo dentro dele balança e ele tenta nas entrelinhas encontrar uma forma de ajudá-la, fazendo com que o leitor crie um carinho especial por ele e, aos poucos, passe a compreender também suas motivações.

Esse dupla de personagens e a forma como agem me lembrou um pouco Outlander e a interação entre Jaime e Clare. Ambos tem personalidades muito parecidas, além do contexto como se conhecer e acabam por se aproximar. Além do fato de Fernão chamar Cécile por um apelido em outra língua, como Jaime faz, ao se referir a Claire como “Sassenach”.

Mas as semelhanças param por ai e o cenário aqui é bem diferente e sem nenhum tipo de fantasia. Estamos no período da escravidão e não há nada bonito ou bacana sobre isso. Vemos a crueldade como os negros eram tratados e a total falta de humanidade em que muitos viviam, sem voz e sem direitos. Junto com isso, une-se à realidade em que as mulheres não tinham voz e que somente deveriam obedecer, sendo educadas e obedientes. Hoje, mesmo com muitos direitos a serem conquistados ainda, vemos que já andamos um longo caminho e dá uma vergonha enorme saber que esse período está registrado na história do Brasil.

“Fui forte, papa. O senhor teria orgulho de mim. Todas as vezes em que meu corpo fraquejava, eu respirava fundo e visualizada meu futuro.”

20160524_084747

No início do livro há um alerta da autora sobre o extenso trabalho de pesquisa sobre a época para contextualizar o livro de forma correta. Eu não tenho nenhuma expertise no assunto, mas consegui caminhar pela história de forma muito fácil e visualizei todas as cenas, tendo em vista meu conhecimento e as descrições bem feitas. Portanto, acho que nesse sentido a autora se saiu muito bem em desenvolver e descrever essa época que não é familiar a todos nós.

Achei a escrita de Marina Carvalho bem fácil e leve e o livro fluiu super bem, sendo lido em apenas algumas horas. Não conheço os outros trabalho da mesma, mas fiquei interessada em dar uma conferida em mais obras, pois ela tem vários livros publicados e alguns deles são queridinhos dos leitores.

Pra mim, que não sou uma fã dos romances e tenho pouco conhecimento sobre romances de época, digo a vocês que tive uma experiência super positiva e torci muito para que as coisas dessem certo ao longo do livro. Por vários momentos temi que algo ruim acontecesse e que caminhássemos para um final que não fosse tão feliz, mesmo esse não sendo o normal nessas tramas. E, ainda assim, é possível encontrar até mesmo um pouco de ação em O Amor nos Tempos do Ouro, e tenho certeza de que quem é fã do gênero vai encontrar aqui uma boa opção nacional pra voltar no tempo e mergulhar em uma nova história de amor.

4estrelas

20160524_084823

“Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?”
Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.

 

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.