O Bosque Subterrâneo – Colin Meloy

O Bosque Subterrâneo é o segundo livro da trilogia “Crônicas do bosque”, lançado originalmente em 2011 e trazido ao Brasil pela Galera Record em 2016.

obosquesombrio

*Esta resenha contém spoilers do primeiro livro

SOBRE O LIVRO

Desde a partida da amiga Prue McKeel, Curtis encontrou um novo lar junto aos “bandidos” do bosque e vive uma vida peculiar junto aos demais seres da grande floresta. No entanto, a vida da garota do lado de fora da imensidão da floresta havia se tornado sem graça. Depois de experimentar toda a magia do bosque e seus habitantes, ela perdera o gosto por sua pacata vida no mundo humano, além é claro de ter retornado de lá com uma pequena peculiaridade: ela agora podia ouvir as plantas e um chamado no fundo do seu coração a guiando para a Floresta Impassável.

Um rigoroso inverno tomava conta do bosque e trazia com ele o início de tempos perigosos para seus habitantes e para todos aqueles que estivessem em seu caminho. Um dia uma notícia chega ao esconderijo dos bandidos: Prue esta correndo um grande perigo! Um assassino a está caçando, e caso eles não a encontrem a tempo, todo o Bosque pode vir a desfalecer.

“Escute. A estrada está silenciosa. Escute.”

Um pouco mais distante do Bosque, os pais de Curtis decidem partir em uma viagem em busca do filho e resolvem deixar suas duas filhas menores, Elsie e Rachel em um lar provisório, o Lar Unthank para crianças rebeldes. No entanto, eles jamais poderiam imaginar que por trás da fachada do orfanato existia uma enorme oficina onde as crianças eram exploradas e forçadas a trabalhar por longos períodos produzindo partes de máquinas. Apesar de amedrontadas, as irmãs se focaram em acreditar que, como prometido, os pais voltariam para buscá-las em duas semanas. O que elas não podia imaginar era que, talvez, elas já não estivessem mais lá.


MINHA OPINIÃO

Trazendo um lado conto de fadas e um lado sombrio, o livro nos dá uma perspectiva diferente daquela com a qual estamos acostumados, onde uma coisa é o que parece ser, ou é se não, ainda mais óbvia. O autor criou um universo bem construído onde consegue mesclar elementos fantásticos com os do nosso mundo, criando no leitor uma grande curiosidade e ansiedade pelo que virá a seguir. O fato de o autor ter criado situações “separadas” que se unem posteriormente cria uma expectativa ainda maior. Queremos saber o que acontecerá a seguir no mundo mágico do Bosque ao mesmo tempo em que não queremos nos desligar das personagens que vivem suas próprias aventuras no mundo exterior.

O que acontece com Elsie e Rachel pelo lar Unthank, enquanto tentam se manter calmas a espera de seus pais, se torna excitante a medida em que elas descobrem as falcatruas do dono do orfanato. Além das duas meninas, ganhamos mais uma companhia adorável: Martha, uma pequena garotinha que cria imediatamente uma simpatia pelas irmãs e passa a segui-las em suas empreitadas. É impossível não torcer para que elas consigam alcançar seus objetivos sem se meter em encrenca.

53

Apesar de o livro ser um tanto gordinho, acredito que tudo foi dosado na medida certa, a descrição tanto do bosque quanto da área industrial do mundo exterior acabam por nos transportar à cada cenário, sem ao mesmo tempo se tornar arrastada, o que é na maioria das vezes inevitável. Apesar de ter criado personagens mágicos, nada se torna impossível de imaginar, afinal, todos ainda carregamos um lado infantil que acredita em animais que falam, toupeiras governadas por um déspota e metamorfos. Sim, usemos aqui a imaginação.

“Fé. É uma ideia terrivelmente linda, não é? Gosto da poesia disso tudo contanto que não esteja causando nenhum mal a ninguém, não vejo motivo para tirar o véu.”

Além de cada aspecto pitoresco, a edição está um primor! O livro é cheio de ilustrações que nos transportam ainda mais a cada cenário nas partes mais interessantes, e a diagramação também não deixa a desejar.

A grande questão do livro para mim foi a de que talvez eu tenha criado uma expectativa muito grande e me esquecido de que sendo uma trilogia, nem todos os mistérios se resolveriam pelo segundo volume. Confesso que fiquei esperando o “boom” a cada capítulo e ele não veio, mas considerando que tudo foi muito bem amarrado e desenvolvido na medida que coube, o gancho para o próximo livro me deixou curiosa para continuar acompanhando.

thumb_livro

3estrelasb

O BOSQUE SUBTERRÂNEO

Autor:Colin Meloy

Editora:Galera Júnior

Ano de publicação:2016

Um clássico para o século XXI, O bosque selvagem só poderia ter nascido da imaginação de Colin Meloy, celebrado vocalista da banda Decemberists. Vida de Prue Mckeel é bem normal até seu irmãozinho ser sequestrado por um bando de corvos. Nos mapas de Portland, no Oregon, existe uma imensa área verde às margens da cidade conhecida como “F.I.”, ou “Floresta Impassável”. Ninguém nunca cruzou seus limites, ou pelo menos nunca voltou de lá para contar. É exatamente nesse lugar que os corvos pegam o irmão de Prue. E é onde começa a aventura que levará a menina e seu amigo, Curtis, até o coração da Floresta Impassável e seus perigos e maravilhas.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 20 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.