O Despertar do Príncipe – Colleen Houck

O Despertar do Príncipe é o primeiro livro da nova trilogia de Collen Houck, mesma autora da famosa série A Saga do Tigre. Foi publicado em 2015 pela editora Arqueiro e o segundo volume, Coração da Esfinge já foi lançado esse ano.

salvo_4

SOBRE O LIVRO

Neste livro, conheceremos Liliana Young, uma jovem de 17 anos e que possui uma vida rodeada de luxo. Mora com seus pais em um caríssimo hotel de Nova York, ganha uma boa mesada e se veste com as melhores marcas de roupas. Seus pais são bem-sucedidos e estão quase sempre fora de casa, porém, isso não os impede de ditar as regras à filha. Para manter a vida confortável que possui, Lily precisa tirar boas notas e se relacionar somente com as pessoas que seus pais aprovam.

Um dia, enquanto passeava pela sessão egípcia do Metropolitan Museum of Art – MET – ela escuta alguns sons estranhos. Com um pouco de medo e também curiosidade, resolve descobrir o que estaria causando os estranhos barulhos e acaba se deparando com um sarcófago aberto e vazio, e próximo a ele, um homem forte, bronzeado e atraente. Lily fica encantada com a presença deste homem e descobre que seu nome é Amon. O homem lhe revela ser um príncipe do Egito e que despertou de um sono de mil anos com uma missão a cumprir: proteger a Terra do retorno de um deus maligno, o Obscuro Seth. Para isso, ele precisa reencontrar seus outros dois irmão e, juntos, realizarem o ritual antes que a Lua cheia passe por cima das pirâmides.

“Ao me virar para ir embora, olhei para baixo e de repente percebi duas coisas: primeiro, que o sarcófago não continha nenhuma múmia; segundo, que a serragem exibia outro conjunto de pegadas além das minhas, pegadas deixadas por pés descalços e que se afastavam do sarcófago.”

Lily desconfia da história e fica imaginando de que hospital psiquiátrico o rapaz deve ter fugido. Porém, há algo nele que a atrai de uma forma como nunca sentira antes. Seria ele quem se tornaria o seu namorado dos sonhos? Sem compreender direito o que são estes sentimentos, ela decide ajudar o príncipe a encontrar seus irmãos. Amon precisa ir até o Vale dos Reis no Egito e Lily fica em dúvida do que fazer, mas percebe que talvez esta seja a sua única chance de viver uma grande aventura. Com a decisão tomada, ambos partem para a terra do Nilo.

Embarcando em uma aventura fantástica e passando por belos e inexplorados lugares, desde as pirâmides até os templos dos deuses, a jovem Young e o Príncipe despertado nos conduzirão por inúmeras descobertas no mundo antigo, de seitas místicas a faraós importantes, de deuses benevolentes ao desejo maligno de Seth e de esperança ao amor verdadeiro.


MINHA OPINIÃO

Este foi o meu primeiro contato com a autora, mas já tinha ouvido falar inúmeras vezes da sua série anterior, A Saga do Tigre. Neste livro, a autora traz uma ideia parecida, porém envolvendo a mitologia egípcia. O livro mistura fantasia e romance e evidencia o emponderamento feminino. Aqui teremos uma personagem bem construída e com personalidade forte e que terá uma grande mudança na vida. Apesar de ter romance (e não ser o estilo que gosto de ler), estava com grandes expectativas em relação ao livro, já que aborda uma mitologia que eu gosto muito.

Lily Young é uma adolescente de 17 anos que precisa tomar algumas decisões importantes para o seu futuro. Ela deseja fazer faculdade mas ainda não sabe qual carreira escolher nem qual universidade cursar. Se de um lado ela tem dúvidas sobre sua carreira, de outro ela tem bastante convicção: não quer ficar às sombras dos pais para sempre. Quer ser livre, escolher as pessoas com quem se relacionar, encontrar o amor de sua vida, viajar, dançar, enfim, fazer o que ela quiser.

“O Met era um dos meus esconderijos preferidos. Além de meus pais aprovarem a instituição, uma vantagem clara, o museu era um ótimo lugar para observar pessoas.”

Amon, pelo contrário, é um personagem misterioso, sedutor e focado em suas ações. A sua missão de salvar a Terra do deus Seth é a tarefa mais importante de todas. Seu objetivo de vida, quando desperta, é servir aos deuses mais uma vez enquanto for necessário. Não importa o que precise fazer, desde que a sua missão no fim tenha sido um sucesso. Mas seu encontro com Lily despertará outras questões na vida dele. Irá mexer com o seu lado humano e levá-lo a questionar o quão importante a sua missão é.

O interessante dos personagens é que quanto mais convivem um ao lado do outro, mais difícil se torna negar os sentimentos. E isso as vezes acaba atrapalhando o objetivo deles. Lily não entende porque Amon a recusa, e ele não sabe como se envolver sem comprometer a sua tarefa milenar.

“O sol nos deixa fortes, jovem Lily. Assim como eu estou ligado a ele, você está ligado a mim.”

salvo_3

Com uma narrativa dividia em três partes e feito em primeira pessoa, vamos gradualmente acompanhando os passos dos personagens enquanto decifram mistérios do mundo antigo e questionam seus corações. A forma como Houck conduziu a escrita não torna a narração cansativa nem entediante, pois mesmo nos momentos de devaneio da personagem principal, há algumas reflexões escondidas e que são respondidas páginas à frente. Ainda, no início de cada parte há uma narrativa em terceira pessoa que conta o passado de Amon e seus irmãos, e ajuda a compreender como e porque eles despertam a cada mil anos.

O que me tirou um pouco a expectativa do livro foi a forma como ele é encerrado. O final não foi bem trabalhado. A batalha contra Seth não aconteceu da forma como eu esperava e pareceu um conto de fadas, tudo muito fácil e simples de resolver. Foi bem clichê mesmo. Penso que a autora quis focar muito na solução do casal e esqueceu de focar na solução da trama fantástica a qual o livro se propõe. Tinha tudo para ser meu preferido. Mas com esse final, não.

“Batendo as asas, o falcão feito de luz começou a circular minha cabeça ,voando cada vez mais alto. Ficou claro que o recinto era bem maior do que eu havia imaginado. Quando ele passou pelos dois homens em combate, pude ver Amon e o shabit.”

Para mim, o ponto forte sem dúvida é o cenário e a mitologia. Me senti em uma grande viagem pelo Egito, o qual desejo muito conhecer um dia. A descrição da cidade do Cairo, das pirâmides vista ao longe, dos oásis no deserto, das maldições, múmias e contos torna o livro muito envolvente. A autora acertou em cheio ao nos inundar de informações sobre a mitologia egípcia, mesmo eu achando que ela poderia ter ido um pouco mais além. Durante a leitura, constantemente eu procurava na internet fotos e informações adicionais dos locais que a autora descreve ou da mitologia envolvida, pois tinha sede de conhecimento por essa sociedade antiga. Fiquei surpreso ao pesquisar e confirmar que todos os nomes de deuses, reis ou faraós, contos e paisagens de fato existiam. Fiquei fascinado com o universo da trama. A capa também está perfeita e muito bem desenvolvida, com todos esses hieróglifos, símbolos e o brilho metálico. A capa transpira a essência do livro e mesmo que eu não tivesse gostado da história, o manteria em minha estante, em lugar de destaque.

“A localização dos pertences de Hatshepuset era sempre próxima de hieróglifos que representavam o símbolo do sol, o símbolo de Amon-Rá. Minha teoria é que ela mandou construir sua tumba em um lugar especial, um lugar onde fosse garantido que, quando o deus do sol nascesse, ela seria a primeira a lhe dar as boas-vindas.”

O Despertar do Príncipe é mais que uma aventura fantástica em mundo repleto de deuses, maldições e relíquias místicas. É uma história envolvente de amor e esperança, dúvidas e escolhas. É um livro que questiona quem somos e quem desejamos ser. E mostra que o amor vence qualquer obstáculo que possamos encontrar, basta acreditar nele.

Se você é fascinado pela mitologia do Egito antigo, se você gosta de aventura com seres misticos ou se prefere um romance adolescente, O Despertar do Príncipe é uma ótima leitura nesse universo mágico e encantador.

4estrelasb

O DESPERTAR DO PRÍNCIPE

Autor: Collen Houck

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2015

Aos 17 anos, Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade.
Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem.
Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos.
A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth.
Em “O despertar do príncipe”, Colleen Houck apresenta uma narrativa inteligente, cheia de humor e ironia. Este é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia.

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.