O Iminente colapso de Boston – Vandi Dogado

O Iminente Colapso de Boston é do autor nacional Vandi Dogado e é um lançamento de 2016 da Novo Século, pelo selo Talentos da Literatura Brasileira.

salva_dois

SOBRE O LIVRO

Num futuro próximo, a tecnologia foi bastante desenvolvida e a cura para várias doenças, entre elas o câncer, foram descobertas. Porém, mesmo à luz, se criam trevas. Uma nova droga está sendo consumida por milhares de jovens dos Estados Unidos, levando-os a morte em poucas horas após ser ingerida. Com a promessa de aumentar as habilidades cerebrais em segundos, jovens consomem a AK 36, a pílula da inteligência.

A droga é vendida principalmente pela poderosa e misteriosa organização secreta denominada Rátio, que possui membros infiltrados até mesmo nos altos escalões do governo. Após a traição de um desses membros, a fortaleza Templo de Aiakos, na cidade de Boston, foi tomada pelo governo americano para pesquisas um tanto ilegais. Antiga sede dos ratianos, seu líder supremo decide invadir a fortaleza e retomar o poder da organização. Porém, uma invasão a força bruta poderá desencadear uma grandiosa explosão nuclear, que poderá destruir toda a cidade e se tornar a maior tragédia nuclear já vista após as bombas de Hiroshima e Nagasaki.

“Ninguém na Rátio acredita em Deus, mas este quadro tem dois significados muito importantes a todos os ratianos: quem trair a ordem poderá ter o pescoço cortado e poucos perceberão tal feito, do mesmo modo que poucos percebem que o menino do quadro teve a cabeça decepada.”

Com isso, o líder dos ratianos encontra uma solução: usar da ajuda de Patrick Monks para reconquistar a sede. Não será algo fácil de se conseguir, pois o brilhante decifrador de códigos da CIA é um homem de bem e não aceitaria fazer parte de um crime. Mas devido as circunstâncias e após pressão emocional, Patrick não terá escolha e precisará ajudar a Rátio a invadir o Templo de Aiakos, onde no passado também perdera seu irmão.

Confrontando seus princípios, ele precisará escolher entre salvar a vida daqueles que ama e ajudar na invasão ou se opor ao crime e arriscar perder todos a sua volta. Nessa dualidade entre certo e o errado, entre fazer e escolher, Patrick descobrirá o que um homem é capaz de fazer para alcançar o poder, mesmo que isso signifique passar por cima de todos que estão próximos, e entenderá que muitas vezes, os criminosos estão bem próximos a nós.


MINHA OPINIÃO

Eu gosto muito de livros e filmes que falam sobre teorias da conspiração, sociedades secretas e assuntos deste tipo. Quando me deparei com este livro, fiquei muito empolgado com a história, pois a sinopse dava uma descrição bacana e a capa é maravilhosamente linda, com todos esses códigos binários e tudo mais. Entretanto, ao ler a história, acabei me decepcionado um pouco. O que tinha tudo para ser uma trama envolvente e bem trabalhada, acabou com um atropelamento de enredo.

salvo_tres

Patrick Monks aparenta ser um homem de coração bom e generoso, e muito inteligente, diga-se de passagem. Não é a toa que trabalha na CIA. Mas o momento que ele passa é angustiante, devido a perda de seu pai. Patrick teme também pela vida de sua esposa, Mary, que está se tratando de um raríssimo câncer, em Nova York. Patrick não tem muita escolha quando se alia à Rátio para invadir o Templo de Aiakos. Ou ele faz isso ou mais pessoas de sua família serão tiradas dele. O que você faria no lugar de Patrick? Essa é a questão que permeia a narrativa. A dualidade entre fazer o que é certo diante das leis ou diante do coração. É um complicado jogo de Xadrez, onde o movimento errado de uma peça pode colocar todo tabuleiro em xeque, ou até mesmo, levar ao xeque-mate.

“Era a segunda vez no dia que se deparava com jovens brilhantes e com hábitos incomuns. Partidas de xadrez às cegas exigem elevado grau de raciocínio lógico, além de uma poderosa memória visual. Entretanto, aqueles garotos jogavam com tamanha facilidade e destreza, um fenômeno bizarramente assustador.”

O livro não dá muito detalhes sobre a personalidade dos personagens, não os descreve como deveria ser feito e com isso torna-se complicado criar empatia com eles. Também, a localização temporal não é dada na narrativa,  mas devido a descrição de robôs autônomos, descoberta da cura de diversos tipos de câncer e criação de pílulas de aprimoramento cerebral (ou pílula da inteligência), acredita-se que a história se passe um pouco no futuro, algo em torno de 2030, 2040. Li em alguns lugares que a história se passa em 2034, mas a narrativa não confirma isso.

salvo_quatro

Achei a premissa muito interessante, toda essa questão de envolver o desenvolvimento da tecnologia e na criação de uma pílula da inteligência, apesar dos danos colaterais que ela causava. Também considerei muito legal saber que no universo desse livro a cura para o câncer havia sido descoberta. Que bom se isso acontecesse na vida real. Mas faltou um algo a mais na história, faltou amarração, faltou convencimento. E pesquisando sobre o livro, descobri o porque.

“Quem lida com interesses de uma nação, ganha inimigos silenciosos nas trevas do poder.”

O livro é uma continuação de uma outra história que nem mesmo foi publicada aqui no Brasil. O outro livro, o Templo de Aiakos, só teve publicação nos Estados Unidos e em Portugal.  Li em um artigo que o autor comenta que não era necessário ler o primeiro para entender o segundo. Mas acredite, é complicado ler um livro que faz tanta referências a outro que não foi publicado aqui. Com isso, acredito que a superficialidade com que os personagens são apresentados se deve ao fato de haver este primeiro livro. É como você ler o segundo livro de qualquer trilogia ou série: a história não fará sentido, os personagens vão parecer superficiais, e você certamente não vai gostar da narrativa.

Dado esse primeiro pequeno problema de continuidade, há outro ponto desfavorável na história: a sequência como os fatos ocorrem. Muitas vezes parecia uma corrida de alta velocidade, pois em questão de duas páginas acontecia tanta coisa que se tornava até forçado acreditar. Por exemplo, há um personagem que aparece se mostrando o bonzinho e que quer ajudar. Mas em duas páginas, ele se torna vilão, comete inúmeros crimes e é preso. Ou Morre. Parece que faltou um pouco de lógica ou coerência na forma como os fatos são apresentados.

“Quando a luz, único antídoto para as trevas, atingiu seus olhos, não o abonou da impetuosa sentença: terrível desengano, abominável dor e cruel acaso.”

salva_um

Ma o livro não é de todo ruim já que a premissa da história é muito boa, porém faltou, ao meu ver, um desenvolvimento mais cuidadoso, uma atenção mais demorada em construir a trama do livro. Há inúmeras críticas embutidas na história, como por exemplo: a desvalorização do ser humano em relação ao outro e a ganância pelo poder. Mas há coisas na história que desacreditam o proposto. Um dos pontos que eu achei mais sem sentido foi em relação a um personagem que levou um tiro na cabeça, foi dado como morto, supostamente sua alma se encontra com uma outra no céu, e no final, descobre-se que na verdade o personagem se fingiu de morto para poder pedir ajuda (!?!?!?!).

É um livro curtinho, 220 páginas apenas, e poderia ter oferecido uma história surpreendente, mas não conseguiu se sustentar. Há vários outros pontos que eu poderia citar aqui, como as falas super extensas (tem uma fala que tem quase duas páginas de escrita), mas não vou me estender mais. Eu estava bem animado, fazia tempo que não encontrava um livro sobre conspirações e tudo mais, e este seria um típico caso onde eu abandonaria a possibilidade de ler o autor novamente. Porém, neste acontece tenho o desejo de ler o Templo de Aiakos (livro 1), para ver se o meu desânimo com a trama aconteceu realmente devido a falta do primeiro, ou se realmente existe um problema exclusivo nesse livro.

A capa dispensa comentários: é muito bonita, uma das mais intrigantes e chamativas da minha estante. Mas, apesar dos pontos negativos apontados acima, uma coisa eu gostei também na história: inúmeras cabeças vão rolar. Então, logo vou avisando, se você pretende ler o livro e deseja aproveitar ao máximo, procure ler O Templo de Aiakos primeiro e depois venha para este. Tenho certeza que assim a história fará mais sentido e será mais gratificante. Ou se preferir, arrisque-se por contra própria e se aventure pelo Iminente Colapso de Boston.

thumb_livro

4estrelasb

O IMINENTE COLAPSO DE BOSTON

Autor: Vandi Dogado

Editora: Talentos da Literatura

Ano de publicação: 2016

Patrick Monks, brilhante decifrador de códigos da CIA, é chantageado pela Rátio, uma poderosa sociedade secreta, para invadir uma fortaleza subterrânea do governo americano. Em troca, a organização possibilitaria a cura de uma grave doença que acomete sua esposa. Contudo, entre a pátria e a amada, tomou a decisão pela vida de seu grande amor, e as consequências podem ser mortais para milhares de pessoas. Na fortaleza americana O Templo de Aiakos são desenvolvidas experiências científicas com urânio, e a tentativa de invasão a esse forte poderá provocar uma explosão capaz de destruir Boston. Patrick é o único que pode mudar a história, porém, terá de zelar pela vida de sua esposa e, ao mesmo tempo, tentar evitar a maior tragédia da história dos EUA.

É colaborador do Resenhando Sonhos. Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.
  • Daiele

    Oi Reinaldo. Tudo bem?
    Então, é a primeira resenha sua que leio onde têm tantos pontos negativos, mas também, é a primeira vez que tenho conhecimento em que uma editora lança o segundo livro de uma “série” e não lança o primeiro. É bem esquisito isso né? Eu nunca tive esse problema de ler um livro que tinha uma continuação da qual eu nao li, mas mesmo assim, acho que seria um pouco confuso, mesmo que nao fosse uma continuação direta.
    Alem de todos os problemas que vc citou, eu encontrei um na sinopse que me deixou um pouco confusa. Se estamos em um tempo onde a cura do câncer foi encontrada, pq então a mulher do protagonista está se tratando do câncer?!
    Com certeza a sinopse é interessante, mas eu nao me arrisco a ler uma obra da qual vc precisa sim ler um livro anterior para entender perfeitamente a obra…

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Daiele como vai?
      hahaha pois é, o livro tinha uma premissa interessante, mas não foi bem conduzido.. só acumulou problemas :/ haha
      sobre o câncer, então, lá pelas tantas do livro a narração conta que a cura não é para todos os tipos. Há alguns casos específicos da doença que a ‘cura’ não funciona. No caso, a mulher do personagem tem esse tipo raro que não tem a cura ainda.
      É, no caso recomendo tu tentar ler o primeiro, para depois vir para esse. Que aí a história fará sentido (eu espero) hahah

      Bjs

      • Daiele

        hnmm, agora entendi, hahaha, obrigada.
        Pois é, mas eu to na fase ainda de leituras infantis em inglês, hahahah

        • Reinaldo José Nunes

          hahaha eu ainda não me aventurei em ler outros idiomas pq meu conhecimento em inglês é bem limitado :/ mas um dia espero ter essa oportunidade *-*

  • Lili Aragão

    Oi Reinaldo, eu gostei da capa também, mas achei o resumo um pouco confuso, contudo como é um livro que fala de conspirações achei que poderia ser até interessante e eu só teria que ler atentamente, mas ai veio tua opinião e os pontos negativos que você apontou me desanimaram, o principal foi a falta de empatia, já tive experiências em que não conseguia me conectar ou mesmo me importar com os personagens e é bem chato. Essa história de que o livro é uma continuação de outro também não me agradou, por que as editoras fazem isso? haha. Fiquei até um pouco confusa, o autor é nacional (o selo é talentos da literatura brasileira certo?)? Mas o livro anterior só foi lançado lá fora (EUA e Portugal)?

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Lili *-*
      Sim, eu amei a capa, pena que a história não despertou o mesmo sentimento
      Então, a história do livro é mesmo confusa, acontece muitas coisas ao mesmo tempo, e coisas até impossíveis de levar a sério (não posso falar por conta de spoiler haha)
      Sobre a edição, pelo que sei, como é um selo da editora, a publicação é meio que independente, então o autor vai e publica o que quiser, da fora que quiser, algo assim.

      Sobre o primeiro, sim, o autor mesmo fala que só publicou lá por fora (de fato, tem o livro em inglês e em português de Portugal), mas achei mancada não publicar aqui no Brasil primeiro, já que esse segundo faz INFINITAS referências ao anterior.

      Uma pena :/

  • Lara Caroline

    Oi Reinaldo, tudo bem?
    Olha, eu gostei da premissa do livro, mas achei um pouco confuso. Talvez seja mesmo pelo fato de ser continuação de um outro livro. Ainda to tentando assimilar aquele personagem que morreu e depois descobre-se que ele se fingiu de morto (what???). A capa é bem bonita mesmo, todos esses números chamam bastante atenção. Tomara que publiquem o primeiro livro, porque é meio sem sentido uma editora publicar um livro que é continuação de outro sem ter publicado o primeiro volume.
    Beijos :)

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Lara, tudo certo e contigo? *–*
      Sim, o livro é bem confuso ;x
      sobre o personagem que morre mas não morre, também tive a mesma reação hahah mas fazer o que né.. hahah

      Beijos *-*

  • Bruna Prata

    Fiquei confusa, o autor é nacional mas só tem o segundo livro publicado no Brasil? Sendo o primeiro livro em questão publicados em outro lugar? hahaha. Eu não consigo pegar uma série de livros, mesmo com história independentes, e ler em ordem desconexa da publicação. A capa realmente é linda.

    • Reinaldo José Nunes

      Ooi Bruna
      então, sim, o autor é nacional, mas só publicou esse livro aqui no Brasil, mas o primeiro da série, não teve publicação por aqui (sim, também achei bem confuso isso e sem sentido).
      Eu acabei descobrindo isso depois, enquanto lia, se não teria ido atrás do primeiro :/
      A capa é show, pena que a história não segue o mesmo caminho ;s

  • cristiane dornelas

    Nossa, mas que louco esse negócio de não terem lançado o outro livro. Não costumo gostar de ler assim, quando dizem que não é necessário ler tal livro para entender porque quando fazem referência e eu fico boiando me dá uma frustração danada! Ele tem uma premissa legal mesmo, mas não sei se leria sem ter o outro. Parece que a história acaba ficando meio rasa e talvez com o outro livro desse para entender melhor…

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Cris, pois é, se fosse algo como os livros do Dan Brown, onde independente de qual tu pegar, vai entender a história com o personagem Robert Langdon, nesse aqui ele se mostra como continuação direta do livro anterior, não independente como o autor diz ser. É chato quando isso acontece haha
      Que nada, quem sabe eu leia o primeiro também haha

    • Vandi Dogado

      CRISTIANE
      Meus leitores mandam-me as resenhas que encontram na internet. Então, procuro responder as dúvidas dos comentários. Gosto da proximidade com os leitores. Não é bem assim, o livro possui começo, meio e fim, todavia não responde a todas questões (isso é feito de propósito)… Contudo, lógico que Reinaldo tem razão sobre o afeto pelas personagens (pois, o protagonista é caracterizado no primeiro livro, além do mais é uma série, apresentarei as características gradualmente). Não há incoerência sobre o tiro (encenação pura)… O enredo não é confuso, mas complexo. (menos que os livros de Thomas Pynchon). Não é um livro policial (isso foi erro da editora), mas científico-filosófico. Exploro a essência humano (egoísmo, vaidade, orgulho, hipocrisia, vingança, psicopatia…), tudo sustentado por teorias científicas e filosóficas (Sou formado em Letras, psicólogo e Doutor em Educação (uso meus conhecimentos para construir meus personagens). A Novo Século irá publicar o primeiro livro, estamos esperando vencer o contrato com a editora portuguesa. Caso queira ler https://www.amazon.com.br/Iminente-Colapso-Boston-Vandi-Dogado-ebook/dp/B01I9TY10S/ref=sr_1_3?s=books&ie=UTF8&qid=1482497482&sr=1-3&keywords=Vandi+Dogado . Já O Templo de Aiakos pode ser comprado aqui http://www.livrariacultura.com.br/p/o-templo-de-aiakos-42665404
      VISITEM MINHA PÁGINA E TIREM DÚVIDA https://www.facebook.com/VandiDogadoBR/
      ABRAÇOS

  • Manuelle Schimainski

    Oi Reinaldo, tudo bem? Gostei bastante da capa também. Confesso que não leio muitos livros de policiais. Apesar de amar séries como CSI, NCIS, Bones, e principalmente Criminal Minds. Vou procurar conhecer melhor alguns livros do tipo. Beijos e ótima resenha

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Manuelle, tudo bem e contigo? *–*
      Eu amo livros de suspense policiais, gosto de tentar pensar junto com o personagem, desvendar os fatos junto com ele. Mas esse aí não foi bem sucedido, que pena. De séries policiais, uma que eu gosto muito é Cold Case (ainda vou assistir tudo de novo hahah)

      Beijos ^^

  • Gabriela Souza

    Como assim uma pessoa leva um tiro na cabeça mas no fim ele só se fingiu de morto? Oi?
    No inicio da resenha achei que o livro ia ser tipo o filme Lucy, mas depois tomou um rumo diferente. Amo livros futurísticos e to morrendo de vontade de saber a decisão de Patrick. Nunca li suspense policial, mas esse parece ser interessante para começar! Beijos

    • Reinaldo José Nunes

      OI Gabriela
      Então, esse lance do tiro que não mata e tals.. é bem complicado haha deu um bug no meu cérebro também hahah
      Pela capa eu acreditei que seria um livro bem focado em tecnologia computacional, hackers, essas coisas, mas passa um pouco longe disso haha (que pena)
      Beeijos

    • Vandi Dogado

      Olá Gabriela
      Meus leitores mandam-me as resenhas que encontram na internet. Então, procuro responder as dúvidas dos comentários. Gosto da proximidade com os leitores. Sobre o tiro há explicação, em meus livros nunca se sabe quem está do lado de quem, poderia perfeitamente ser uma encenação entre comparsas. Não posso dizer, mas no livro 3 será esclarecido. A resenha do Reinaldo é muito bem feita e sincera, contudo a editora cometeu um erro ao colocar o gênero como policial. Na verdade, trata-se de um livro de ficção científica… A capa também gerou uma expectativa de que fosse um livro de hackers… Sobre o fato do primeiro livro ter saído no exterior (vendeu quase 1 milhão de exemplares). Na Livraria Cultura é vendido em Língua Portuguesa “O TEMPLO DE AIAKOS”. Já O IMINENTE COLAPSO DE BOSTON está sendo vendido por uma superpromoção R$ 9,90 o livro impresso na Saraiva e na Amazon (a Amazon para algumas regiões o frete é grátis). Na verdade, o livro possui começo, meio e fim (contudo há referências ao primeiro livro). A trama de meus livros não é confusa, mas complexa. Não tenho preocupação em deixar evidente todas as interpretações. Meus livros não são tão simples quando de autores best-sellers que primam pelo apenas pelo comércio. Tenho mais preocupação em explorar a essência da alma humana: ganância , egoísmo, morte… Quer livro muito mais complexos do que os meus, é só ler os livros de Thomas Pynchon (melhor escritor vivo dos EUA). De fato, ler os dois seria o melhor caminho (https://www.amazon.com.br/Iminente-Colapso-Boston-Vandi-Dogado-ebook/dp/B01I9TY10S/ref=sr_1_3?s=books&ie=UTF8&qid=1482497482&sr=1-3&keywords=Vandi+Dogado).
      Abraços

  • Vandi Dogado

    Olá, sou o autor do livro. Um leitor enviou-me essa resenha em minha página https://www.facebook.com/VandiDogadoBR/. Li atentamente e a considerei muito boa, ainda que traga justas e severas críticas. Quanto ao tiro (há explicação lógica, visto que poderia ter sido uma simulação, não um tiro real. Quem assistiu a série de Sherlock poderia me dizer se o grande inimigo do detetive morreu após dar um tiro no céu da boca?). Quanto ao fato do selo da Novo Século nos comentários de que o autor poderia fazer o que bem entender não é verdade, são bem rigorosos. Publicam geralmente o primeiro livro de um autor por este selo, mesmo que tenha livros por outras editoras, salvo raríssimos casos. Uma confusão que se faz com este livro é o fato de não ser policial, mas ficção científica. Além disso, tem mais o objetivo (que foi captado pelo resenhista) de criticar as explorações de poder e o cientificismo exacerbado, por isso propositadamente apresenta personagens não muito caracterizadas e frias. De fato, há uma questão há se considerar, já fui lido por milhares de pessoas no mundo. Sou conhecido fora, mas não no Brasil, apesar de já ter vendido aqui mais de 200 mil cópias de um livro de não ficção (Inteligência e Aprendizagem: desafios mentais), mas os literários não são conhecidos. O Templo de Aiakos publicados por várias editoras no mundo seria o primeiro livro de uma trilogia que estava pronta. Ocorreu que mudei os rumos, resolvi investir no Brasil. Então, não estabeleci contratos com as editoras estrangeiras para os novos livros. E, infelizmente, nenhuma editora quis publicar a trilogia (ainda tenho contrato a cumprir do primeiro livro). A Novo Século topou publicar, só que pediu para transformar em uma série, assim tive de rapidamente adaptar o livro, aumentando ainda mais as lacunas. Quando vencer o contrato com as outras editoras publicarão o Templo de Aiakos. A editora de Portugal vende o livro por encomenda na Livraria Cultura http://www.livrariacultura.com.br/busca?N=0&Ntt=Vandi+Dogado. Como qualquer série tudo será desvendado aos poucos. O fato de um personagem surgir e rapidamente desaparecer significa que não é relevante para a série. Apenas Patrick Monks deve ser observado com cuidado. Quem ler o primeiro livro não poderá dizer que não terá afeto por Patrick Monks. Agradeço a resenhista Reinaldo… É um ótimo observador… Se puder me conceder a honra, leia e O Templo de Aiakos e faça uma resenha com a mesma sinceridade desta. Deem uma visitada em minha comunidade no Facebool. Somos quase 30 mil. Abração a todos

    • Reinaldo José Nunes

      Olá Vandi Dogado, como vai?
      Me sinto honrado em receber o seu comentário aqui na resenha. Conforme disse no final da resenha, tenho muito interesse em conhecer o primeiro livro, pois achei a premissa deste segundo bem interessante, apesar de não ter me conquistado por inteiro :s

      É uma pena saber que os autores nacionais não são tão conhecidos / requisitados no país, como deveria ser ;x Eu particularmente leio bastante nacionais, e gosto de descobrir histórias novas *-*

      Apesar da narrativa não ter me prendido por conta dos detalhes que mencionei, captei as críticas presentes, e achei isso super bacana. Após ler o livro eu resolvi pesquisar mais sobre a ideia de pílulas de aprimoramento cerebral e fiquei surpreso em saber que existe de fato drogas e medicamentos que trabalham exclusivamente com essa função :O :O

      Apenas sobre personagens que aparecem e somem sem necessidade, compartilho da opinião de Stephen King, que diz que se o personagem não agrega a história, não há necessidade de tê-lo.. mas isso são detalhes, claro *-*

      Ficarei muito contente quando conseguir publicar o primeiro livro por aqui pelo Brasil, com alguma editora boa e que faça jus ao livro, afinal, o Brasil precisa incentivar os autores aqui presentes, não é?

      Um grande abraço, e continue acompanhando as nossas resenhas, tem conteúdos muito bacanas saindo por aqui todo dia *-*
      Abraços e sucesso *–*

      • Vandi Dogado

        Olá Reinaldo
        Legal que queira escrever um livro. (Fico à disposição para trocar ideias e oferecer dicas). Sou profundo conhecedor do mercado editorial brasileiro, justamente de tanto bater cabeça… Publiquei meu primeiro livro INTELIGÊNCIA E APRENDIZAGEM: DESAFIOS MENTAIS aqui no Brasil por uma editora pequena por demanda. Atualmente, está na 3ª edição e já se tornou livro mais vendido da Amazon por várias vezes. (por aqui tenho alguns milhares de leitores de três livros de não ficção). Já os livros literários meus não vendem, primeiramente por causa do preconceito de ser brasileiro e depois por causa das dificuldades impostas a novos autores. Então, publiquei O TEMPLO DE AIAKOS por editoras estrangeiras e logo deve ultrapassar a casa de 1 milhão de exemplares vendidos (por aqui vendeu muito pouco), por isso optei por fazer uma adaptação que acabou comprometendo o 2º livro… Mesmo as grandes editoras como a NOVO SÉCULO não capricham tanto em autores desconhecidos por aqui. Deixaram passar alguns erros bobos de ortografia (apesar que em qualquer livro é possível descobrir pequenos erros gramaticais). Quanto à pílula da inteligência se deve tomar muito cuidado. Como meu primeiro livro é científico e sobre a inteligência conheço bem sobre o assunto. Não existe nenhuma substância que pode aumentar globalmente a inteligência, mas há apenas 3 drogas que pode melhorar algumas funções Donepezil (memória), Ritalina (atenção) e Modafinil (raciocínio lógico, memória, alerta e concentração). Este último inspirou o filme Sem Limites. Contudo, há sites vendendo um tal Neurofos, Genius X ou Focus X e tantos outros nomes prometendo aumentar a inteligência (é apenas um suplemento à base de vitaminas, sais minerais, óleo de peixe e ginseng). Pura enganação… Os três mencionados são faixa preta e não são indicados por seus benefícios cognitivos, mas para outros fins. Sou amigo de alguns gênios (por isso resolvi escrever este estilo, porém faço críticas relevantes em meus livros, ao contrário de outros livros comerciais (veja aqui um artigo meu sobre o gênio brasileiro Miguel Nicolelis https://www.facebook.com/notes/vandi-dogado/conhe%C3%A7a-o-pol%C3%AAmico-g%C3%AAnio-miguel-nicolelis/1335472079829186). Fico feliz de jovens como você se dedicarem algo tão nobre como a leitura de livros (gostando ou não). Para ler gosto de Dostoievsky, Herman Hesse…, mas leio os comerciais também… Contudo, há problema linguístico (frases muito curtas e simples), empobrecendo o nível literário (Dan Brown, James Patterson, John Green…). Tento um meio termo entre um e outro, mas a confusão do livro é proposital (deixo lacunas para resolver no futuro). Irei rever o que aconteceu, se a editora acabou tirando sem querer alguma data, mas a história ocorre em 2034 (deveria estar no livro). Irei sugerir um autor que talvez você irá gostar (Thomas Pynchon), aliás, na atualidade só ele e, por incrível que pareça, King são considerados com qualidade literária no gênero policial, terror e científico (na história só Poe, Agatha e Doile tiveram reconhecimento da crítica literária)…. Fico à disposição para ajuda-lo com seu livro…. Abração

  • Anne

    Eita que livro doido! Kkkkkkkkkkkkk! Como lançam o livro 2 sem o livro 1? Só pode dar m***! Kkkk! Realmente essa capa é bem bonita. Eu gosto tbm dessa premissa, dessa coisa de investigação e CIA, mas tem que ter MUITAAAAAAAA pesquisa, o autor tem que ser O CARA porque senão surge mais furos do que uma peneira no enredo e isso é horríveeeeel!!

    • Reinaldo José Nunes

      Olá Anne, pois é, o enredo é meio confuso haha
      Sobre a questão do lançamento só do segundo livro, o autor entrou em contato (ver comentário abaixo) e explicou os motivos pelo qual só o segundo livro saiu por aqui. Complicado esses lance com editoras, as vezes os autores tem ideias bacanas, mas as editoras acabam se metendo e estragando uma boa ideia.

      Nesse ponto concordo, creio que todo livro deva ter uma boa base de pesquisa para ser fundamentada, principalmente se for ficção científica ou thriller policial / conspiração.

      Beeijos

  • O livro parece ser interessante mas pelo que você falou acabei desanimando um pouco, principalmente pelo fato de ter muitos acontecimentos em um curto período de tempo, não gosto disso. E também me pareceu que acontece muita coisa para tão poucas páginas…
    Mas é legal um autor nacional criar uma história que a meu ver é bem diferente.

  • Marta Izabel

    Oi, Reinaldo!!
    A capa do livro é muito apropriada para o tema do livro. A sinopse do livro chama muita atenção. Achei a premissa do livro muito interessante, mas é uma pena que o primeiro livro não tenha sido lançado aqui no Brasil.
    Beijoss

  • Naiara Fidelis

    Me interessei bastante pelo enredo, porém fiquei um pouco chateada por saber que o primeiro livro não tem aqui, que pena.