fbpx

O Lado Sombrio dos Contos de Fadas

Todo mundo adora uma boa história, principalmente as crianças….

Uma das lembranças da infância de todo mundo são os momentos em que um adulto lhes contava histórias, sendo quase impossível falar desse período sem mencionar os famosos “contos de fadas”. Mas, será que realmente nos contaram as verdadeiras histórias?

Existem algumas teorias que dizem o contrário, que talvez as verdadeiras histórias de contos famosos não tenham sido escritas para crianças, muito pelo contrário. Essas teorias expõem um lado sombrio dos contos, evidenciando aspectos como a violência, a pedofilia, incesto, mutilação e canibalismo. É claro que para serem conhecidos como são nos dias atuais, muitas coisas foram modificadas.

Os contos de fadas surgiram e foram se propagando nos vilarejos medievais, principalmente da Alemanha, França e Polônia, e, muito tempo depois, foram adaptados pelos aclamados Irmãos Grimm, e posteriormente pelo mundo mágico de Walt Disney, retirando a essência pesada das versões iniciais para que fossem adequados para crianças.


Chapeuzinho Vermelho Canibal

A história de Chapeuzinho Vermelho nos apresenta uma doce e inocente menina que recebeu esse nome por sempre se vestir com um capuz vermelho feito por sua avó. Ao pegar a estrada certo dia, até a casa da vovó para lhe levar uma deliciosa cesta de doces e pães, Chapeuzinho se depara com um lobo mau, que chega primeiro na casa e devora a avó da menina, e planeja devorá-la também, mas ao final do conto ambas são salvas por um bondoso caçador.

Já na versão original do conto, o lobo não apenas devora a avó por inteiro, mas parte o seu corpo em pedaços e separa seu sangue em garrafas para poder saborear enquanto come sua carne e, quando a menina chega, o lobo que se vestiu com as roupas da avó a oferece carne e vinho e a menina aceita sem desconfiar de nada.


A Bela Adormecida

A Bela Adormecida conta a história de uma jovem princesa que foi amaldiçoada por uma bruxa má e que ao espetar seu dedo no fuso de uma roca de fiar cai em um sono profundo até que fosse acordada por um beijo de amor verdadeiro. É uma história romântica e muito bonita, certo?

Errado. De acordo com o conto primitivo, a princesa espeta o dedo em um espinho venenoso e cai em um sono interminável. Um jovem rei a encontra adormecida e ao perceber que não existem meios de acordá-la, decide aproveitar-se da moça e nove meses depois ela dá a luz a gêmeos, enquanto continua adormecida. Um dos gêmeos que busca o seio da mãe para se alimentar acaba acidentalmente chupando o espinho do dedo da mãe e a desperta. Quando o rei fica sabendo que a bela acordara, acaba a forçando a casar-se com ele.


A Pequena Sereia

Ariel é a princesa do mar, uma jovem encantadora que possui uma linda voz. Ao se apaixonar por um humano, ela acaba fazendo um acordo com a bruxa má que lhe da pernas humanas em troca de sua voz e para manter-se assim e recuperar a voz, ela deve fazer com que o príncipe apaixone-se por ela.

Apesar de se manter fiel em muitos pontos, a história original conta que a moça ao perder a voz, não consegue conquistar o príncipe e acaba perdendo-o para outra jovem moça e, deprimida por ter feito tanto esforço em vão, ela se atira de um penhasco para o mar e acaba se afogando e morrendo.


E então….

Essas são algumas versões dos contos, apesar de existirem muitas teorias, cada uma pesada em um aspecto. É claro que os contos de fadas continuarão sendo vistos como lindas histórias consagradas por introduzirem as crianças no mundo da imaginação e da leitura.

Além das versões aqui descritas, a revista Super Interessante fez uma matéria sobre o lado sombrio dos contos que vale a pena conferir. Além disso, existem vários livros, inclusive um publicado pela mesma revista que se propõem a expor teorias sobre o tema.

Agora, você já sabe a “verdade” sobre os clássicos contos de fadas. Assustador, não? Acho que ficarei apegada às adaptações, e você?

 

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 21 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.