O Papai é Pop 2 – Marcos Piangers

O Papai é Pop 2 é o segundo volume do livro escrito por Marcos Piangers. O lançamento é de 2016 pela editora Belas Letras.

20160715_160003

Enfrentar a paternidade não é algo fácil, mudar a forma como as pessoas encaram esse papel parece ser ainda mais difícil. Para Marcos Piangers, autor de O Papai é Pop e agora O Papai é Pop 2, há formas muito mais leves e fáceis de encarar tudo isso. A primeira delas é que a diferença entre o papel do pai e o papel da mão não é exatamente delimitada por uma linha explícita, apesar de as vezes ser na cabeça das pessoas.

O que o – ainda jovem – pai retrata nesse livro são formas mais descontraídas e simples de encarar tudo o que esse momento traz, com seus desafios, felicidades e dúvidas. Para ser um bom pai não há uma fórmula pronta, o que precisa haver é a necessidade de melhorar e de encontrar sempre as maneiras mais bacanas de se engajar nessa jornada.

Quem é o autor:

rsz_d29384f1-e6c1-4a93-9c65-f9f553da39ce-horzMarcos Piangers está desde 2001 trabalhando com comunicação jovem e plataformas digitais no maior grupo de mídia do sul do Brasil. Apresenta o programa Pretinho Básico, um fenômeno de audiência e ganhador do prêmio Melhores 2014 do iTunes, da Apple. Produz conteúdo para tv, rádio, jornal e internet. É responsável pela inovação nas rádios entretenimento do grupo RBS e coordena a área digital, área de vídeo, redes sociais, branded content e de impressos da Rede Atlântida. Em 2015 escreveu o best seller O Papai é Pop, o livro que já vendeu mais de 100 mil exemplares e fala sobre sua maior paixão: ser pai da Anita e da Aurora, as meninas que dão razão para a sua existência. Em 2016 lançou O Papai é Pop 2, que alcançou o ranking nacional de livros mais vendidos do Brasil.  (Fonte: Marcos Piangers)


20160715_160421.jpg

O livro é composto pro crônicas sobre o cotidiano e situações que se apresentam. A troca de fraldas, o que é um pai perfeito, o segundo filho, as férias, a escola e algumas conversas mais sérias, tudo isso com bom humor e algumas pitadas de diversão. Os textos são leves e muito fáceis de ler, proporcionando uma rápida passagem pelas páginas.

Através das palavras de Piagers refletimos sobre o ato da paternidade e do que realmente consiste em ser um bom pai ou a quebrar e manter convenções. Nas páginas que contam como uma diagramação excepcional da editora Belas Letras encontramos não só ilustrações, mas elementos para interação do leitor. A edição do livro está muito bonita e é certamente uma ótima opção para presentear um jovem pai.

Acredito que hoje, mais do que nunca, num mundo que é confuso e cheio de preconceitos, o ato de ter um filho pode ser amedrontador. Para os mais jovens e marinheiros de primeira viagem e, principalmente, aqueles que não planejaram esse momento, deve ser uma confusão sem fim. Será que vou dar conta? Será que vou ser um bom pai? Será que saberei o que fazer?

20160715_160609

20160715_160541

É exatamente para ajudar a acalmar as ansiedades e perguntas que surgem nesse período que acho que esse livro vem bem a calhar. O autor é um pai que vê a paternidade com olhos não tão tradicionais, e tenta trilhar seu próprio caminho, descobrindo a cada novo desafio como ser melhor ou proporcionar às filhas o melhor crescimento. Anita e Aurora pegam o pai pela mão e, num mundo extremamente feminino onde essas duas menininhas vivem, ele se insere, tentando compreende-las ao máximo. Através de suas palavras nos encantamos também por essas meninas, que conduzem a vida dele e lhe proporcionam tantos ensinamentos. Afinal é assim, não? Não são somente os pais que ensinam aos filhos. As crianças desde que chegam ao mundo tem lições muito importantes para nos passar.

E, por mais que você possa não ser um papai de primeira viagem ou assim tão jovem, que tal dar uma olhada pra esse momento com outros olhos? Que tal rever as convenções, aprender algumas coisas, refletir sobre as atitudes e, quem sabe, buscar mais acertos em uma próxima vez. E, para as mamães de plantão, a esposa do Piangers, Ana Cardoso, que a princípio iria colaborar com alguns textos para esse livro, acabou ganhando um só dela e trouxe junto do Papai é Pop 2, A Mamãe é Rock.

O autor nos repete a fórmula do primeiro livro, abrangendo outros temas e insere o leitor no seio da sua família, inspirando o leitor a ser melhor. Aos que já tem a maternidade e paternidade na vida há aqui a oportunidade de desbravar mais esse mundo e, para aqueles que assim como eu não alcançaram ainda esse momento, quando ele chegar olhar para ele com mais coragem, sabendo que a maneira certa para cada um conduzir esse ato é através do amor, da dedicação, compreensão e carinho.

thumb_livro

4estrelasb

O PAPAI É POP 2

Autor: Marcos Piangers

Editora: Belas Letras

Ano: 2016

E“O papai é pop” está de volta! Marcos Piangers vai colocar você no banco de trás do carro, ao lado das filhas Anita e Aurora, para contar novas histórias – algumas comoventes, algumas divertidas e outras talvez um pouco nojentas – sobre essa coisa absolutamente comum e extraordinária que é ter um filho. Um sentimento que não se pode explicar, não se pode entender. Só se pode viver. Porque você não vai ter um filho para obter vantagens, descontos, deduções do imposto de renda ou balões de graça sempre que for ao shopping. Um filho vai esgotar suas economias e minguar suas noites de sono. Vai sujar suas camisas novas e desenhar em suas paredes. Você vai ter um filho, na verdade, por um único motivo: para aprender a amar outra pessoa mais do que a você mesmo.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.

  • Lara Caroline

    Oi Tamirez, tudo bem?
    Que ideia bacana essa de escrever livros voltados aos pais. A nossa sociedade ainda tem a ideia de que a criação dos filhos se restringe apenas as mães ou aos indivíduos do sexo feminino, e este livro é uma forma bem legal de inserir o pai nesse papel de criação e mostrar que ele tem sim suas responsabilidades, além de servir como um guia para os pais mais jovens. Adorei, quando eu tiver um filho com certeza vou dar este livro para o meu marido.
    Beijos

  • Daiele

    Eu não sou mãe em muito menos pai, hahaha, por isso nunca dei muita importância para esses livros do Marcos e tbm o da esposa dele. Mas, acho bacana a ideia do livro, mesmo nao me interessando, acho legal ele relatar as suas experiencias, afinal temos tanto pais perdidos em suas funções não é mesmo?!
    Logo que ele lançou esse segundo livro, estava aqui na minha cidade autografando, e eu acabei perdendo a oportunidade de talvez dar uma chance a historia conhecendo um pouco mais do autor..

  • Gislaine Lopes

    Oi Tamirez,
    Conheço o Piangers por acompanhá-lo no Pretinho básico, mas não conheço o Piangers escritor/autor. O que eu acho interessante na proposta do livro, é o fato da paternidade ser abordada de uma forma bem descontraída e leve. Não sou mãe e não posso dizer o que é certo ou errado na criação de um filho, mas o que posso dizer é que na nossa sociedade, os pais (ou quem estiver representando este papel na vida de uma criança) tem que, de alguma forma, se adequar a nossa atualidade. Digo isso, pois as crianças estão sempre evoluindo com a “modernidade” e os pais podem usar disso para se aproximar dos filhos e, através daí, estipular uma forma de comunicação e criação e sair um pouco dos antigos costumes, rígidos e de privações. É como vc disse não são só os pais que ensinam, as crianças tem muito a ensinar também!!

  • Marta Izabel

    Oi, Tamirez!!
    Sabe não conheço esse autor Marcos Piangers, mais achei bem interessante o livro, ser pai ou mãe não é fácil principalmente para os de primeira viagem!! Então se tem um livro que possa ajudar por que não dá uma chance?!! Gostei muito do tema do livro sem dúvida é uma ótima pedida para todos que desejam saber um pouco mais sobre como criar os filhos.
    Beijoss

  • Bruna Prata

    Já vi esses livros rodando por essa Internet faz um tempo, mas nunca me aprofundei na história ou sobre do que se trata. Achei bem legal o livro ser voltado para os pais, já que a sociedade está em constante mudança e nós precisamos nos adequar à ela.

  • Alison de Jesus

    Olá,ainda não tive a oportunidade de ler ambas as obras mas pela resenha posso dizer que podemos conhecer mais os desafios que pais e mães enfrentam na criação de seus filhos. Beijos.