O Quarto Dia – Sarah Lotz

O Quarto Dia é da autora Sarah Lotz, que também escreveu o livro Os Três, e é lançamento de 2016 da editora Arqueiro.

Sobre o Livro

20160528_164634

O cenário é um cruzeiro de ano novo, de 2016 para 2017, em um navio chamado O Belo Sonhador. No quarto dia de viagem e no dia da virada, um incidente acontece nas profundezas do navio causando um incêndio e deixando alguns funcionários feridos. Ao mesmo tempo, uma jovem tem a bebida batizada e é conduzida por seu agressor até o quarto, onde em função do álcool e de estar inconsciente, acaba morrendo.

É ai que, sem motivo aparente ou lógico, os motores do navio param, assim como todas as formas de comunicação com o mundo exterior. A tripulação de 2.962 pessoas se vê à deriva no Golfo do México e sem previsão de retorno a terra firme.

Conforme as horas e dias se passam a situação começa a ficar insuportável, bem como alguns passageiros começam a vivenciar algumas experiências ou visões inexplicáveis ou sobrenaturais, o que não é abafado graças a presença de Celine del Ray, uma médium muito famosa que estava se apresentando durante o cruzeiro.

“Gritou e mordeu a língua quando um peso pousou em seu peito, tirando-lhe o ar dos pulmões. Tentou se soltar debatendo-se, mas os braços não queriam – ou não conseguiam – se mexer. Paralisado, não havia nada que pudesse fazer enquanto um hálito de gelo roçava em seu rosto e dedos frios subiam feito aranhas por sua coxa.”

Os dias se passam, coisas estranhas acontecem, as pessoas perdem um pouco de sua humanidade e senso de coletivo e, após 5 dias desaparecido o navio é encontrado. Porém, não há uma pessoa viva a bordo. Pelo menos não que alguém queira admitir.

Minha opinião

Minha primeira preocupação foi saber se eu precisava ter lido Os Três para encarar O Quarto Dia, e a resposta foi não. Porém, depois de ter tido a experiência de leitura e ter visto a sinopse do livro anteriormente lançado, que apresenta uma situação semelhante, vi que provavelmente teria entendido bem mais as referências e identificado vários elementos do livro que criam o suspense em Os Três, como o menino misterioso que aparece no navio ou a referência a “eles”. Mas, de qualquer forma, o livro pode sim ser lido de forma individual, mesmo que ele possa ser melhor compreendido ou crie uma expectativa maior em quem já vem com a leitura de Os Três na bagagem.

Sempre tive muita curiosidade em ler esse primeiro livro, então quando vi o lançamento desse novo, precisei conferir. Mas, confesso que vi minha experiência de leitura um pouco prejudicada pela sinopse. Já de ante mão sabemos que “ninguém será encontrado vivo”, mas começamos a narrativa acompanhando o ponto de vista de sete personagens: Maddie, a assistente da médium; o estuprador que causa a morte da garota; duas senhoras que estão no navio com o propósito de cometer suicídio; Jessi, um dos médicos do cruzeiro; o segurança que encontra a garota morta; Altheia, uma camareira; e Xavier, um blogueiro que tem como propósito expor as farsas de Celine del Ray.

Acredito que os vários pontos de vista engrandeceram a história, mas não sei até que ponto não tivemos demais adicionadas à trama, que acabaram soando  como desnecessárias frente as muitas coisas que estavam acontecendo simultaneamente.

“Foi tomada pelo medo quando o viu. Estava sentado no canto, os joelhos encolhidos junto ao peito. O rosto banhado em lágrimas, e ela não conseguia ver seus olhos. A iluminação provinha das luzes verdes de emergência, que não eram suficientes para que pudesse distinguir os detalhes.”

20160528_164714

O dia-a-dia com esses personagens vai se dar até o fim do livro, quando finalmente o cruzeiro será encontrado. Mas pra onde eles foram e o que aconteceu? Pois é, acho que esse mistérios ficaria muito mais complexo e difícil de ser decifrado se não esperássemos desde o começo que ninguém fosse encontrado.

Conforme as páginas se passam vamos esperando que algo horrendo aconteça que justifique o desaparecimento de todos, e as páginas vão acabando sem que esse momento chegue. Mas, no final, há claro, uma “explicação” bem aberta a interpretações, mais para o próprio leitor tirar suas conclusões do que realmente para esclarecer o que aconteceu.

Há algumas cenas de suspense muito bacanas no livro e alguns elementos que se você pensar muito sobre eles e for medrosa como eu, podem ficar grudados na sua cabeça por um tempo, já que estamos falando aqui de coisas sobrenaturais e sim, a possível presença de alguns espíritos ou entidades que desconhecemos.

Acho que nem preciso falar sobre a capa né? Ta linda! Apesar de não tem nenhum outro efeito especial além do verniz localizado, o acerto das cores pra criar esse efeito de luminosidade foi muito positivo. E, apesar do livro não ter orelhas, ele vem com a lateral das folhas em azul escuro, assim como o outro livro da autora!

Não achei a narrativa da Sarah Lotz difícil, mas ela também não é leve, impondo que o livro seja digerido no seu tempo. E, sim, o maior debate ou confabulações de teorias acontece no fim do livro, após o término da leitura, quando tudo o que aconteceu ficará martelando na cabeça do leitor. Depois dessa experiência ainda quero muito ler Os Três já que é um título que sempre me intrigou pela capa e sinopse e que acaba nunca entrando na fila de leitura. O Quarto Dia é um livro pra quem gosta de teorias da conspiração e suspense sobrenatural.

3estrelas

20160528_164343

Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica… se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro.
As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis.
Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.

 

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos. Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo. Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.
  • Romeo Monteiro

    Aaah esse livro 😍😍 Ja tá a anos na minha listá e não sai de lá
    Não sei se acho ruim eles terem revelado na sinopse a parte que o navio é encontrado sem nem um tripulante
    As vezes penso que tirou toda a graça do livro e em outras, acho que foi necessário pra dar um “quê” a mais na sinopse

  • Ellis Monteiro

    Que livro maravilhoso é esse?! A capa já me conquistou, mesmo não tendo muito
    Agora a história. .. preciso ler logo!
    Super curiosa pra saber pra onde esse tanto de gente foi 😶
    Esse negócio aí da vidente vai dar muita treta
    É o estupo? Ninguém quer condenar o estrupador?
    Tudo meio Lost, gostei

  • Cris Setúbal

    Eu também prefiro quando a narrativa é intercalada entre os pontos de vista dos personagens, mas acho que sete foi um pouquinho demais. Eu também tinha essa dúvida se precisava ler Os Três, e apesar de não ser exatamente necessário, acho legal lê-lo para entender melhor as referências como você falou. A sua resenha me deixou bastante curiosa, principalmente pra saber o que aconteceu com toda essa gente, e pretendo ler os dois livros em breve. Ah, e essa capa é linda!! Beijo!

  • Flávia Pachêco

    Eu gostei do efeitinho da capa também! Bem legal haha
    Logo no começo da resenha, quando se fala no navio, me lembrei do filme “O Navio Fantasma”, não sei porque, mas foi um filme que me traumatizou um pouco na infância, haha.
    Ás vezes gosto de assistir um suspense, mas bem ás vezes, quase nunca. Como não gosto muito, nunca cheguei a ler um livro do gênero. Até gostei um pouco da história, mas o fato de ser sobrenatural eu não gostei, odeio teorias da conspiração e coisas sobrenaturais, pra mim não dá não :(
    Além disso, quando tem muitos pontos de vista, muitos personagens narrando eu acabo me confundindo um pouco e me perdendo! Haha

  • Krisnamara Alencar

    Olá, Tamirez!

    Eu também tinha a ideia de que para ler este, era necessário ler o os Três antes. Fiquei sabendo que não havia necessidade num evento que fui, onde falaram mais sobre este livro. Agora, lendo sua resenha, penso que talvez seja de fato interessante. Pra se familiarizar mais com alguns temas que o livro aborda, acredito.
    Ele está na lista, mas confesso que não é daqueles livros que me despertam uma vontade alucinada de iniciar a leitura…

    Abraço

    https://revelandosentimentos.blogspot.com.br/

  • Gustavo Henrique

    Sim, você recomendou certinho o livro. É bem isso mesmo, mas acho que poderia ter sido um pouquinho melhor se tivesse se apegado menos aos detalhes. Ainda assim, um bom livro.

  • Oieee! Fiquei sabendo desse livro um pouco antes de ler sua resenha, estou louca pra ler agora, não sei, mas queria ler algo com um pouco de suspense. haha
    É uma pena que faltam detalhes, mas me parece ser um livro que vale a pena!
    Beijinhos <3
    Livros, Amor e Mais

  • Lyandra Franco

    Vi muitas críticas negativas a respeito do livro, por isso ainda tenho dúvidas, pois a sinopse parece ser bem interessante. Mas seguirei seu conselho, vou ler Os Três antes desse. Embora não seja sequência, talvez a leitura se torne mais fluida.

  • Livros e unicórnios

    Na bienal de São Paulo queria muito comprar Os três, mas nem la o preço abaixou, então enrolei tanto que até hoje não comprei .
    Agoniante que deve ser estar lendo as pessoas perceberem que não têm data prevista de retorno à terra .
    Ao contrário do que você fez acho que preferiria ler Os três primeiro para depois ler este . Mas adorei o enredo, mas o final me parece meio decepcionante . Quem sabe não entra pra lista ?

  • Daiele

    Fiquei um pouco arrepiada com essa resenha, hahaha. Sempre assistia quando pequena à filmes com essa tematica, e eu simplesmente amava! Hoje eu sou tão medrosa, que mesmo com uma vontade imensa de ler, ja to assustada, haha.
    Mas como tbm nao li os três, é bem provavel que eu leia ele primeiro, mas tbm adorei a cada desse livro, e a sinopse é bem intrigante…

    beijos

  • Renata Oliveira

    Nossa amei a ideia do livro…tbm acho que estragaram ja falando que não restaria ninguém..mas vai saber o que se passa na cabeça desse povo. Igual caixa de pássaros o livro todo e bom mas pra que aquele final?

  • Sua resenha está muito boa, realmente a capa desse livro está linda, fiquei bem curiosa em relação a história, que parece ser muito boa, quem sabe futuramente eu resolva ler esse livro.

  • camila rosa

    Oiiee, tudo bom?
    Eu li Os três, e ainda não sei o que senti em relação ao livro, achei meio confuso, mas é claro que pretendo ler O quarto dia, pelo visto ele segue o mesmo padrão do livro anterior, não curto muito o gênero, mas sou curiosa, espero que eu ache esse melhor que o outro.
    Beijos *-*

  • Adriana Da Silva Batista De Ar

    Poxa vida gostaria de nao ter lido essa resenha….
    Agora fiquei curiosa pra saber o que aconteceu com as pessoas do barco. Se fossenum filme eu ficaria com medo de ver sozinha . mais quando eu pegar ele, eu vou ter que me segurar pra nao ver o final logo…

  • Reinaldo José Nunes

    Comecei a ler o livro ontem, mas estou um pouco de receio de acabar não gostando da história. Se de fato a sinopse já entrega a história toda e o livro só caminha pra explicar como aquilo ocorreu, creio que a história já começa “estragada”.

    Quando saiu o lançamento do livro eu fiquei muito interessado, pois a premissa é boa (se bem que li esses dias atrás O Último Passageiro, do Manel Loureiro, com uma premissa parecida e que prometia ser muito bom, e no final a história foi muito fraca e clichê). Mas confesso que estou passando da página 60 e até agora a história pra mim está morna e sem algo muito cativante.