O Silêncio dos Inocentes – Thomas Harris

O Silêncio dos Inocentes é uma história de terror psicológico, escrita por Thomas Harris e publicada originalmente em 1988. A edição lida foi a de 2015, da editora Bestbolso.

Sobre o livro

Cinco mulheres são brutalmente assassinadas e tiveram seus corpos encontrados em localidades aleatórias nos Estados Unidos. Para chegar até o criminoso, intitulado de ”Buffalo Bill”, a jovem e nova agende do FBI, Clarice Starling, tenta se mostrar capaz a todo o custo de que se lhe derem uma chance, ela irá ajuda-los a desvendar o caso.

Sendo assim, Jack Crawford, o chefe de Clarice, a manda entrevistar o Dr. Hannibal Lecter, um dos mais brilhantes psiquiatras e também um dos mais temidos assassinos canibais, que encontra-se numa prisão de segurança máxima e não fala com praticamente ninguém. Foi condenado a prisão perpétua, já esta detido há mais de 8 anos por ter cometido 9 assassinatos e comido suas vítimas.

“Pomba bélica,
vem chegando calmamente,
roubando o silencio dos inocentes,
fazendo o que teve vida , não ter mais.”

Clarice e Crawford veem esperanças nessas entrevistas com Dr. Hannibal, porque alguém ligado ao crime que estão tentando desvendar já foi paciente dele, e eles contam com a possibilidade de que o Doutor lhes entregue um nome, uma pista, uma luz, mas, “quid pro quo“, como diz Hannibal, e ele não dirá uma só palavra sem que tenha vantagens em troca.


Minha opinião

Eu não sou uma leitora assídua de livros do gênero e também não sou conhecedora e fã de carteirinha de Hannibal, mas há uns anos atrás, pelo meu gosto por filmes criminais, eu assisti o filme de mesmo nome inspirado nessa obra e gostei, e apesar de não lembrar de muita coisa, a expectativa que eu tinha para ler o livro era alta, até porque essa é uma história bastante clássica e premiada, só no cinema, levou 5 estatuetas do Oscar pra casa. Porém, como gosto é algo muito particular de cada um, eu não achei O Silêncio dos Inocentes essa coca toda.

Aqui temos uma premissa muito legal, que é usar um assassino para capturar outro e, no meio disso, uma teia de confusão acontece até que se chegue num desfecho. No entanto, O Silêncio dos Inocentes é o segundo livro de uma trilogia, só que nada impede você de ler este sem ter lido o primeiro (Dragão Vermelho), como eu fiz, e nem lhe obriga a ler o terceiro (Hannibal). Porém, óbvio que para ter uma opinião com propriedade sobre a história, os três devem ser lidos.

Os personagens que mais se destacam na história, por óbvio, é Hannibal e Clarice. Hannibal por vezes nem parece um ser humano, é tão inteligente, tão sagaz, com instintos tão aguçados, que chega a ser uma pena ele ser portador de uma ruindade tão grande e usar todas as suas atribuições para o mal. E por mais que seja um assassino, dá pra criar certa empatia, mas só porque ele mesmo confunde nossas mentes, por ser tão educado, cheio de charme e de lábia.

Clarice, por sua vez, é uma das mais inteligentes da sua turma no FBI e esta sedenta para arrancar qualquer coisa de Hannibal, se mostrando ser tão durona e inteligente quanto ele. E de fato, Clarice não é nenhuma iludida achando que é tão esperta quanto ele, tanto que o próprio assassino cria um certo sentimento de empatia por ela, a ponto de realmente cogitar a ajudar a agente capturar Buffalo Bill. As coisas começam a dar errado quando o Dr. Chilton, diretor do sanatório em que Hannibal está preso, se mete nas entrevistas e tenta fazer as coisas do seu modo.

Dr. Chilton é uma pessoa tão desprezível que dá até vontade que Hannibal o corte em pedaços. E após sua intromissão em meio ao caso, tudo começa a desandar e vai de mal a pior, em contrapartida, ficamos eufóricos para que Clarice e Crowford consigam resolver o caso com as pistas que Hannibal já lhes forneceu, pois dali em diante nada mais se sabe por intermédio dele.

Embora a história em si não tenha me ganhado muito por eu já conhecer muita coisa semelhante, tenho que reconhecer que esse livro é de uma magnitude tamanha! Thomas Harris é mestre em descrever cenários, ações, jeitos, trejeitos, sentidos, aromas, e parece falar com bastante propriedade sobre FBI, termos policiais, medicina, psicologia, insetos… nada que ele coloca dentro de sua história tem cunho superficial, é tudo muito bem escrito e explicado.

Recomendo a leitura para quem gosta de histórias do gênero, principalmente aquelas histórias horripilantes, inundadas de detalhes, cheias de mistério e diálogos para lá de capciosos! Na verdade, recomendo até para quem não é lá muito fã de livros de terror psicológico, pois a escrita de Thomas Harris merece ser conhecida, e mesmo não curtindo o gênero, jamais dará para dizer que este é um livro ruim!

O SILÊNCIO DOS INOCENTES

Autor: Thomas Harris

Editora: Bestbolso

Tradução: Antonio Gonçalves Penna

Ano de publicação: 2015

Cinco mulheres são brutalmente assassinadas em diferentes localidades dos Estados Unidos. Para chegar até o criminoso, a jovem agente do FBI Clarice Starling entrevista o ardiloso psiquiatra Hannibal Lecter, cuja mente psicopata está perigosamente voltada para o crime. Ao seguir as pistas apontadas pelo dr. Lecter, Clarice envolve-se em uma teia mortífera surpreendente.

Apaixonada por livros desde que me entendo por gente, me infiltrei aqui no Resenhando Sonhos para poder falar dessa paixão desenfreadamente (sem ser julgada).