fbpx

O Teste – Joelle Charboneau

O Teste é o primeiro livro de uma trilogia de mesmo nome e foi escrito por Joelle Charboneau. Foi lançado aqui no Brasil pela editora Única em 2014.

salvo_3

SOBRE O LIVRO

Há centenas de anos, o mundo quase foi destruído por completo. O ser humano se tornou uma praga possessiva e raivosa e diversas guerras foram travadas em nome do poder. Sangue foi derramado, vidas foram tiradas, recursos naturais destruídos. O ar e a água foram contaminados e a vida que restou passou por profundas modificações. A Comunidade das Nações Unidas é uma das poucas nações do mundo que tenta se reerguer das cinzas do mundo anterior.

A colônia de Cinco Lagos é uma das poucas áreas da nação onde a vida parece ter voltado a seguir um curso normal. As plantas e animais ali foram pouco afetados pela destruição, sendo um promissor laboratório de pesquisas genéticas. Malencia Vale – ou Cia – é uma das moradoras dessa comunidade e acompanha os trabalhos de seu pai, um cientista genético formado na Universidade de Tosu City. A cidade é a capital da nação e é o único lugar que apresenta tecnologia mais desenvolvida.

“Talvez seja a primeira regra que eu vá aprender como adulta: que nem sempre você pode conseguir o que quer.”

Todos os anos, os melhores e recém-formados alunos das escolas de todas as colônias são selecionados para realizarem o Teste, uma prova que permitirá que eles ingressem na universidade e decidirem o seu futuro, podendo ajudar na reconstrução do mundo. Malencia deseja muito cursar uma universidade e ser alguém importante na sua comunidade, a exemplo de seu pai, um cientista genético. Quando ela é selecionada, seu pai lhe revela alguns segredos: o Teste é um método perigoso e ela precisará tomar muito cuidado, pois sua vida pode estar em risco.

Assustada e desconfiada das revelações que seu pai lhe fez, Cia partirá para a capital e descobrirá que o Teste esconde muito mais segredos, e que eles podem ser até mortais. Entre a dúvida e a razão, a jovem aprenderá que confiar não é uma boa estratégia e que se quiser sobreviver, precisará entrar no jogo e ser a melhor em todas as suas escolhas.

MINHA OPINIÃO

O Teste não é a primeira distopia que leio, então já conheço bem esse universo pós-apocalíptico. Mesmo assim, decidi ler o livro pois fiquei bastante intrigado com a premissa da história: uma prova de conhecimentos científicos e lógicos que visa selecionar as mentes mais inteligentes para comandar o país. E o mais interessante, os jovens dessa distopia desejam participar do Teste. Geralmente em outras distopias que li, a população é obrigada a se submeter aos métodos do governo. Mas aqui, parece que todo mundo concorda com eles. Bom, até alguém realizar o Teste e descobrir a verdadeira história por trás dele.

“Mordo meu lábio para evitar que ele trema quanto os trompetes e os tambores tomam uma melodia de marcha. Meus olhos ficam embaçados com lágrimas não derramadas, me cegando por um momento com a entrada deles, que logo serão meus ex-colegas.”

Malencia Vale é a protagonista da história e mora na Colônia Cinco Lagos. É uma das colônias mais promissoras pois foi pouco afetada pelos Sete Estágios da Guerra que quase devastou o mundo todo. Ela é uma aluna dedicada e inteligente, sagaz e observadora. Compreende várias áreas de conhecimento e faz de tudo para ser selecionada para o Teste. Ela vê em seu pai o exemplo, já que ele é um formado no Teste e hoje trabalha na colônia desenvolvendo plantas geneticamente alteradas e saudáveis. Ela não deseja apenas ser uma boa candidata, ela quer ser a melhor candidata do teste. Seu única vulnerabilidade é a paixonite que tem em relação a Thomas, um garoto de sua classe com quem ela sonha se casar. Perto dele, a personagem questiona o que sabe e o que sente, e sente-se menos segura de suas decisões.

salvo_2

Uma vez selecionada para o Teste, o candidato é obrigado a ir. Não há recusa, nem desculpa para desistência. O governo chama e o candidato deve servi-lo. Cia é selecionada e vai para o Teste, mas pela primeira vez está amedrontada com o que virá pela frente. Poucos minutos antes de ir, seu pai lhe revela que tem constantes fragmentos de lembranças de quando realizou a prova, e eles não são nem um pouco agradáveis. Pela primeira vez ela começa a confrontar tudo o que sabe sobre esse método de seleção. A protagonista só estava avistando a ponta do iceberg. Havia muito mais segredos a serem descobertos, e muitos deles colocarão sua vida em grande risco. Cia começa a se questionar: e se ela não passar no Teste, o que vai acontecer? E os que foram para o Teste e não passaram, onde estariam agora? O que o governo esconde da população?

O Teste tem uma narrativa pouco fluida, pois a autora dispara grandes quantidades de informações sobre as escolhas, ações e pensamentos dos personagens. O universo distópico é bem complexo e é necessário contextualizar todas as partes: desde os animais que sofreram mutações até a escassez de recursos naturais. A história é contada sob o ponto de vista da personagem principal e criamos uma empatia com ela logo nas primeiras 50 páginas. A sua forma de pensar é instigante e envolvente. Mas por vezes, toma algumas decisões que contradizem o que ela é.

“Um arrepio passa por minha espinha. Não sei em que acreditar. Acreditar que os sonhos do meu pai são mais do que sonhos é impensável. Amanhã eu parto para Tosu City. No final de semana, vou começar o Teste. Recusar é traição e tudo o que isso implica. Quero gritar, berrar, mas só posso ficar parada tremendo.”

O livro rompe paradigmas ao trazer à tona um tema muito atual: o empoderamento feminino. As personagens femininas estão cada vez mais presentes e compondo o papel de heroína nas histórias. Cada vez mais são retratadas como personagens de personalidade forte e inteligente, e não indefesas e fracas, dependentes de um personagem masculino para conduzir a história. Se fosse escrita há uns 10 anos atrás, provavelmente esta história teria um personagem masculino, devido ao histórico da sociedade.

Além disso, o gênero distópico abordado no livro é uma excelente forma de realizar críticas sociais. Houve tempos em que imaginávamos o futuro como sendo promissor, pacifista e tecnologicamente avançado. Porém, com as evidências atuais, não é muito difícil imaginar um futuro onde o mundo será corrompido, destruído e desestabilizado. Um mundo onde o ser humano matará a qualquer custo, onde a tecnologia contaminará rios, mares, terra e ar. Um futuro onde o que sobrou da humanidade tenta se reerguer e reparar os danos causados. Enquanto estava lendo, ficava impressionado em ver como a autora induzia diversas perguntas: Até onde a sociedade irá com tantas guerras? Qual o preço a se pagar quando milhões de vidas forem destruídas e só restarem escombros? O que somos capazes de fazer para evitar que os erros do passado voltem a nos afetar? Não é apenas uma história de ficção. Serve de alerta sobre o futuro negativo que podemos construir com nossas ações.  Conforme diz o filósofo Žižek, “eles sabem o que fazem e ainda assim o fazem“.

salvo_4

O Teste também parece uma representação ao sistema de ensino que possuímos. Todos os anos, milhares de alunos em todo o mundo se dedicam a estudar para prestarem uma prova que ditará o rumo de suas vidas: o vestibular. É uma competição de “vida ou morte”, pois, ou você é selecionado e vai pra universidade, ou você não é selecionado e terá de esperar uma nova oportunidade de tentar. Além disso, o mercado de trabalho busca por profissionais inteligente e que tenham algo de novo a oferecer a sociedade. No mundo da Malencia, somente os mais espertos e inteligente irão sobreviver para reconstruir o mundo.

“Enquanto tomamos café da manhã, estudamos a página de Illinois no livro de mapas de Tomas. Por mais que a maioria das cidades, vilarejos e estradas tenha sido devorada pela guerra e pelo tempo, torcemos para que pelo menos alguns dos lagos e rios tenham permanecido.”

13326831A edição está bem agradável, as folhas são amareladas e o livro vem com marcador na capa traseira. Falando na capa, ela contém uma simbologia muito forte e que durante a leitura é possível compreender o seu significado. Além disso, fiquei pasmo em saber que a capa original é essa da foto ao lado. Se o livro tivesse sido publicado com essa capa, dificilmente eu teria sentido interesse em conhecer a história, pois vamos falar a verdade: é muito feia! Felizmente, a capa foi alterada e ficou linda. Ah, um detalhe bem interessante, olhando de frente na capa não vemos nada de mais. Porém, conforme viramos ela um pouco de lado e contra a luz, é possível ver números escondidos na imagem. Achei isso muito bacana, a ideia de ocultar segredos já logo na capa!

Tive três contrapontos que me incomodaram durante a leitura:

1) A história nos dá fragmentos do que houve no passado, da chamada Sete Estágios da Guerra. Não há aprofundamento dessa guerra, como começou, como terminou, etc. Só o que é explicado é que o Teste existe há pelo menos 100 anos e com isso, dá-se a entender que provavelmente houve uma guerra nuclear, já que a terra e os rios estão contaminados, e muitos animais e plantas sofreram mutações genéticas.

2) Romance desnecessário: ao meu ver, o romance da história só existiu porque é modinha nos livros YA ter um par romântico. Porque simplesmente não agregou nada. Namorados ou amigos, a história fluiria normalmente e terminaria da mesma forma. Implico não pelo fato de ter o romance, mas por ele acontecer em momentos que, na vida real, jamais aconteceria.

3) O fator mais “gritante” de todo o livro: a diagramação. A organização das falas e narrativas está bem ruim. Há muitos (e digo muitos mesmo) momentos onde o personagem está falando e quando você percebe, a fala já terminou e está na narração. O contrário também acontece. Você está lendo a narração e quando percebe já é uma fala da personagem. Faltou um cuidado especial na edição em sinalizar no texto quando é fala, quando é narração. Isso atrapalha muito a leitura.

“Eu pisco enquanto o pequeno quarto se enche com os sons de uma voz que soa como a minha, e escuto a voz falando palavras em que não quero acreditar.”

Se você gosta de distopias contemporâneas, O Teste merece a sua atenção. Além de trazer uma história super interessante, possibilita ao leitor formular suas próprias críticas e tirar as suas próprias conclusões sobre a nossa realidade. E digo mais, as pessoas só mostrarão quem são de verdade quando suas vidas estão em risco!

4estrelasb

O TESTE

Autor: Joelle Charbonneau

Editora: Única

Ano de publicação: 2014

No dia de formatura de Malencia ‘Cia’ Vale e dos jovens da Colônia Cinco Lagos, tudo o que ela consegue imaginar – e esperar – é ser escolhida para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas, que seleciona os melhores e mais brilhantes recém-formados para que se tornem líderes na demorada reconstrução do mundo pós-guerra. Ela sabe que é um caminho árduo, mas existe pouca informação a respeito dessa seleção. Então, ela é finalmente escolhida e seu pai, que também havia participado da seleção, se mostra preocupado. Desconfiada de seu futuro, ela corajosamente segue para longe dos amigos e da família, talvez para sempre. O perigo e o terror a aguardam. Será que uma jovem é capaz de enfrentar um governo que a escolheu para se defender?

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.